Atalho: 6Z9VMJP
Gostou do artigo? Compartilhe!

Botox ou toxina botulínica: o que ele faz? Como fazer a aplicação? Quem deve usar? Quais são os efeitos da intoxicação pela toxina botulínica?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é Botox?

Botox é o nome comercial de um dos tipos da toxina1 botulínica (tipo A - C6760H10447N1743O2010S32), obtida a partir da bactéria2 anaeróbia Clostridium botulinum. Para fins unicamente médicos, é utilizada uma forma injetável da toxina1 purificada. A toxina1 botulínica aplicada por via muscular produz uma paralisia3 muscular localizada, por denervação4 química, a qual produz uma atrofia5 do músculo que, posteriormente, desenvolve novos receptores para a acetilcolina6 e a debilidade que se instalará acaba se revertendo. Em pequenas doses, a proteína botulínica bloqueia a liberação da acetilcolina6, responsável por levar as mensagens elétricas do cérebro7 aos músculos8 e então, como resultado, o músculo não recebe a mensagem para contrair. Assim, se aplicada na face9, para efeitos estéticos (aplicação mais comum), as linhas de expressão são suavizadas e, em muitos casos, uma semana após a aplicação elas ficam praticamente invisíveis e os efeitos duram de quatro a seis meses. Após este período ela pode ser reaplicada.

Como realizar a aplicação de Botox?

O Botox deve ser aplicado por injeções, diretamente no músculo que se deseja afetar. O procedimento deve ser realizado por profissionais experientes e treinados. A toxina1 botulínica deve ser diluída em cloreto de sódio 0,9% em volume de acordo com as indicações. A toxina1 sofre desnaturação10 por agitação violenta, por isso o diluente deve ser injetado suavemente para dentro do frasco. O produto liofilizado11 e o diluente não contêm conservantes ou preservativos. A solução resultante é incolor e livre de partículas e deve ser descartada sempre que não conservar essas características. O produto, conservado em temperatura fresca (congelador entre 2 e 8°C) deve ser aplicado dentro de quatro horas após ser retirado do congelador e reconstituído. A administração intramuscular é local, segundo indicações específicas.

Quem deve usar Botox?

Além das indicações terapêuticas, o medicamento também é usado com finalidades estéticas ou higiênicas. Na dermatologia tem sido utilizado para tratamento de rugas de expressão, sorriso deprimido e para tratamento de hiperidrose12 palmar13 e ou axilar. Medicamente, o Botox é utilizado para tratar o estrabismo14, o blefaroespasmo15, o espasmo16 hemifacial, as distonias17 e espasticidades18 musculares, bem como condições urológicas como incontinência urinária19 ou bexiga20 hiperativa. No caso das distonias17 (contração muscular involuntária21 causando distúrbios funcionais, dolorosos e estéticos) e espasticidades18 (contração muscular involuntária21 e permanente que causa dores e posturas anormais) a toxina1 botulínica é aplicada diretamente nos músculos8 comprometidos, provocando relaxamento e bloqueando a atividade motora involuntária21. O Botox também é utilizado para tratamento de crianças com problemas musculares, permitindo a elas terem um grau maior de flexibilidade muscular.

Quais são os efeitos da intoxicação pela toxina1 botulínica?

A toxina1 botulínica é um veneno natural muitíssimo mais poderoso que o cianureto, mas a dosagem aplicada para fins terapêuticos e estéticos é muito pequena e incapaz de desencadear as reações do envenenamento. Na verdade, ela é o mais potente veneno conhecido. A intoxicação alimentar pela toxina1 botulínica, no entanto, é uma condição extremamente grave e frequentemente fatal, que causa uma paralisia3 muscular progressiva incurável, que pode afetar a musculatura respiratória e levar à morte.

ABCMED, 2013. Botox ou toxina botulínica: o que ele faz? Como fazer a aplicação? Quem deve usar? Quais são os efeitos da intoxicação pela toxina botulínica?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/353924/botox-ou-toxina-botulinica-o-que-ele-faz-como-fazer-a-aplicacao-quem-deve-usar-quais-sao-os-efeitos-da-intoxicacao-pela-toxina-botulinica.htm>. Acesso em: 12 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Toxina: Substância tóxica, especialmente uma proteína, produzida durante o metabolismo e o crescimento de certos microrganismos, animais e plantas, capaz de provocar a formação de anticorpos ou antitoxinas.
2 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
3 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
4 Denervação: Consiste na ressecção ou remoção dos nervos que inervam um órgão ou parte dele.
5 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
6 Acetilcolina: A acetilcolina é um neurotransmissor do sistema colinérgico amplamente distribuído no sistema nervoso autônomo.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
9 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
10 Desnaturação: 1. Perda daquilo que é da natureza, que é característico ou próprio de algo; descaracterização, desfiguração, adulteração, desnaturalização. 2. Em bioquímica, é a perda da estrutura tridimensional de uma macromolécula em razão da exposição a agentes como o calor e a acidez. 3. Na genética, é a separação das duas cadeias de nucleotídeos componentes da molécula de ADN.
11 Liofilizado: Submetido à liofilização, que é a desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas, usada especialmente na conservação de alimentos, em medicamentos, etc.
12 Hiperidrose: Excesso de suor, que costuma acometer axilas, palmas das mãos e plantas dos pés.
13 Palmar: Relacionado com a palma da mão
14 Estrabismo: Desvio da posição de um ou ambos os globos oculares, secundária a uma alteração no sistema de músculos, tendões e nervos encarregados de dar aos olhos o movimento normal.
15 Blefaroespasmo: Doença neuromuscular que causa contração involuntária dos músculos ao redor dos olhos, fazendo com que o paciente pisque os olhos de modo involuntário e vigoroso.
16 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
17 Distonias: Contração muscular involuntária causando distúrbios funcionais, dolorosos e estéticos.
18 Espasticidades: Contração muscular involuntária e permanente que causa dores e posturas anormais.
19 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
20 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
21 Involuntária: 1.    Que se realiza sem intervenção da vontade ou que foge ao controle desta, automática, inconsciente, espontânea. 2.    Que se encontra em uma dada situação sem o desejar, forçada, obrigada.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.