Gostou do artigo? Compartilhe!

Artrite reumatoide: definição, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção e evolução

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é artrite reumatoide1?

A artrite reumatoide1 é uma desordem inflamatória crônica que afeta principalmente as articulações2 e que pode levar a deformações e perdas funcionais. A artrite reumatoide1 pode também apresentar sinais3 e sintomas4 em outros órgãos.

Quais são as causas da artrite reumatoide1?

A artrite reumatoide1 é uma doença autoimune5, cujas causas ainda não são completamente conhecidas, embora se saiba haver um forte componente hereditário. Especula-se o papel do tabaco e da deficiência de vitamina6 D no desencadeamento da artrite reumatoide1.

Quais são os principais sinais3 e sintomas4 da artrite reumatoide1?

A artrite reumatoide1 pode acometer pessoas de qualquer idade, porém é mais comum em pessoas de meia idade. Embora afete sobretudo ossos e cartilagens7, pode produzir também inflamações8 difusas nos pulmões9, pericárdio10 (membrana que envolve o coração11), pleura12 (membrana que envolve os pulmões9), pele13 e partes brancas dos olhos14. Nas articulações2, a artrite reumatoide1 causa inflamações8, o que as torna inchadas, quentes e com movimentos limitados. Quase sempre as articulações2 são atingidas simetricamente, mas a artrite15 pode também ser assimétrica. Com o passar do tempo, múltiplas articulações2 são afetadas (poliartrite) e sofrem deformidades e perda das funções. As articulações2 mais envolvidas são as pequenas juntas das mãos16, pés e coluna cervical17, mas as articulações2 maiores também podem ser afetadas. Geralmente se formam nódulos na pele13 vizinha às articulações2 atingidas (nódulos reumáticos) e diversas formas de vasculites.

Como o médico diagnostica a artrite reumatoide1?

O diagnóstico18 da artrite reumatoide1 é eminentemente19 clínico, baseado nos sintomas4 e no exame físico. Outros exames complementares como radiografias, ressonância magnética20, ultrassonografia21, testes sanguíneos de laboratório e análise do líquido podem ajudar no diagnóstico18 e contribuem para excluir outras doenças semelhantes. Um diagnóstico18 diferencial deve ser feito com outras formas não infecciosas ou inflamatórias de artrites. Os exames de imagem também ajudam a avaliar as deformidades ósseas ocasionadas pela enfermidade.

Como o médico trata a artrite reumatoide1?

Não há cura para a artrite reumatoide1. O objetivo do tratamento é controlar a inflamação22 e prevenir qualquer limitação funcional, incluindo tanto medicações quanto medidas não farmacológicas, como fisioterapia23, uso de talas e braçadeiras, terapia ocupacional24 e mudanças de dieta. Essas providências tornam mais lenta a progressão da doença, mas não a impedem. Os analgésicos25 e anti-inflamatórios suprimem ou diminuem os sintomas4, mas também não paralisam a evolução da doença. A cirurgia pode ser praticada nas fases iniciais da doença, para remover a sinóvia (membrana interior das articulações2) inflamada ou numa fase evoluída da doença para fazer a substituição de uma articulação26 severamente comprometida (prótese27). A fisioterapia23 é sempre necessária. Os tratamentos que visam abrandar a enfermidade tem melhores resultados se forem iniciados precocemente e feitos de modo agressivo.

Como prevenir a artrite reumatoide1?

Não há como prevenir a artrite reumatoide1.

Como evolui a artrite reumatoide1?

O curso da doença varia grandemente. Algumas pessoas só apresentam sintomas4 leves, mas em outras a doença progride e se agrava durante toda a vida. O aparecimento de nódulos está associado com um pior prognóstico28. Exercícios regulares são recomendados para manter a função física e os músculos29 fortalecidos. Ainda não se sabe ao certo se os fatores dietéticos têm algum valor. A atividade física é benéfica e a terapia ocupacional24 melhora as habilidades funcionais das pessoas com artrite reumatoide1. A artrite reumatoide1 não tratada reduz a expectativa de vida30 de três a doze anos.

Quais são as complicações da artrite reumatoide1?

A artrite reumatoide1 pode apresentar como complicações fibrose31 pulmonar, inflamação22 crônica dos rins32, complicações cardíacas e circulatórias, oculares, sanguíneas, hepáticas33, neurológicas, etc.

ABCMED, 2015. Artrite reumatoide: definição, causas, sinais e sintomas, diagnóstico, tratamento, prevenção e evolução. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/757397/artrite-reumatoide-definicao-causas-sinais-e-sintomas-diagnostico-tratamento-prevencao-e-evolucao.htm>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
2 Articulações:
3 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
5 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
8 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
10 Pericárdio: Saco fibroseroso cônico envolvendo o CORAÇÃO e as raízes dos grandes vasos (AORTA, VEIA CAVA, ARTÉRIA PULMONAR). O pericárdio consiste em dois sacos, o pericárdio fibroso externo e o pericárdio seroso externo. O pericárdio seroso consiste em uma camada parietal externa e uma visceral interna próxima ao coração (epicárdio), com uma cavidade pericárdica no meio. Sinônimos: Epicárdio
11 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
12 Pleura: Membrana serosa que recobre internamente a parede torácica e a superfície pulmonar.
13 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
14 Olhos:
15 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
16 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
17 Coluna cervical: A coluna cervical localiza-se no pescoço entre a parte inferior do crânio e a superior do tronco no nível dos ombros. Ela é composta por sete vértebras cervicais unidas por ligamentos, músculos e por elementos que preenchem o espaço entre elas, os discos intervertebrais. No interior da coluna cervical está o canal vertebral por onde passa a medula espinhal, que comanda todos os nossos movimentos e sensações. Nesta região, a medula emite oito raízes nervosas que se ramificam para a cabeça, pescoço, membros superiores, ombros e parte anterossuperior do tórax.
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Eminentemente: De modo eminente; em alto grau; acima de tudo.
20 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
21 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
22 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
23 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
24 Terapia ocupacional: A terapia ocupacional trabalha com a reabilitação das pessoas para as atividades que elas deixaram de fazer devido a algum problema físico (derrame, amputação, tetraplegia), psiquiátrico (esquizofrenia, depressão), mental (Síndrome de Down, autismo), geriátrico (Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson) ou social (ex-presidiários, moradores de rua), objetivando melhorar a qualidade de vida dessas pessoas. Além disso, ela faz a organização e as adaptações do domicílio para facilitar o trânsito dessa pessoa e as medidas preventivas para impedir o aparecimento de deformidades nos braços fazendo exercícios e confeccionando órteses (aparelhos confeccionados sob medida para posicionar partes do corpo).
25 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
26 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
27 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
28 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
29 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
30 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
31 Fibrose: 1. Aumento das fibras de um tecido. 2. Formação ou desenvolvimento de tecido conjuntivo em determinado órgão ou tecido como parte de um processo de cicatrização ou de degenerescência fibroide.
32 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
33 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Reumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.