Gostou do artigo? Compartilhe!

Relação da síndrome inflamatória multissistêmica em crianças com a Covid-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a síndrome1 inflamatória multissistêmica?

A síndrome1 inflamatória multissistêmica (MIS, do inglês Multisystem Inflammatory Syndrome) ou simplesmente síndrome1 multissistêmica é uma doença que afeta preferentemente crianças, com inflamações2 agudas em diferentes partes do corpo (vasculite3 inflamatória primária), incluindo coração4, pulmões5, rins6, cérebro7, pele8, olhos9 ou órgãos gastrointestinais. Ela é chamada doença de Kawasaki porque foi descrita pela primeira vez pelo pediatra japonês Tomisaku Kawasaki, em 1961.

Quais são as causas da síndrome1 inflamatória multissistêmica?

Ainda não se sabe o que causa a MIS, no entanto, sabe-se que algumas crianças (4 a 17 anos) com coronavírus (COVID-19) ou que conviveram com alguém que portava o vírus10 apresentaram a síndrome1 inflamatória multissistêmica pediátrica (MIS-C, do inglês Multisystem Inflammatory Syndrome in Children) com frequência muito maior que normalmente.

Leia sobre "SARS-CoV-2 pediátrico", "Doença de Kawasaki" e "Tempo de permanência do SARS-CoV-2 nas superfícies".

Quais são as características clínicas da síndrome1 inflamatória multissistêmica em crianças com Covid-19?

As crianças com essa doenca podem apresentar alguns ou todos os seguintes sintomas11: febre12 elevada e persistente (38 - 40ºC), exantemas13, conjuntivite14, dor abdominal, vômito15, diarreia16, dor no pescoço17, erupção18 cutânea19, olhos9 vermelhos, sensação de cansaço e disfunção de múltiplos órgãos.

Se houver sintomas11 como problemas respiratórios, dor ou pressão persistentes no peito20, confusão mental, incapacidade de acordar ou permanecer acordado, lábios azulados (cianose21) e dor abdominal forte, isso indica emergência22 clínica e o médico deve ser procurado imediatamente.

Algumas crianças apresentaram comprometimento inflamatório sistêmico23 de serosas e como consequência tiveram ascite24 e derrame25 pleural ou pericárdico. Os pacientes evoluíram para choque26, com hipotensão arterial27 e taquicardia28.

Como o médico diagnostica a síndrome1 inflamatória multissistêmica em crianças com Covid-19?

O diagnóstico29 da MIS-C e COVID-19 exige a presença de infecção30 atual ou recente pelo coronavírus, com exclusão de qualquer outra causa infecciosa. O médico poderá solicitar certos exames para detectar a inflamação31 ou outros sinais32 de doença, entre os quais, exames de sangue33 para verificar atividades inflamatórias e outras, radiografias do tórax34, ultrassonografia35 do coração4 e ultrassonografia35 abdominal. A MIS-C na COVID-19 deve ser diferenciada da doença de Kawasaki, Kawasaki incompleta e/ou síndrome1 do choque26 tóxico.

Como o médico trata a síndrome1 inflamatória multissistêmica em crianças com Covid-19?

Os pacientes devem receber cuidados de suporte para os sintomas11, como medicamentos e/ou fluidos para fazê-los se sentirem melhor, e usarem vários medicamentos para tratar a inflamação31, prescritos pelo médico. A maioria das crianças que adoecem com MIS-C e COVID-19 precisará ser tratada no hospital e algumas precisarão ser tratadas em unidade de terapia intensiva36 pediátrica (UTI).

Veja mais sobre "Como é o coronavírus" e "SARS-CoV-2 em crianças e adolescentes".

Como evolui a síndrome1 inflamatória multissistêmica em crianças com Covid-19?

A MIS-C pode ser uma doença grave e até mortal, mas embora a síndrome1 traga preocupação em relação à sua evolução em crianças e adolescentes, essas ocorrências foram raras até o momento ante o grande número de casos com boa evolução, pouca gravidade e desfechos clínicos excelentes da doença.

Como prevenir a síndrome1 inflamatória multissistêmica em crianças com Covid-19?

Com base no que se sabe até agora, a melhor maneira de proteger a criança da MIS-C e COVID-19 é tomar medidas para evitar que a criança contraia o vírus10 que causa a COVID-19. Usar máscara facial, lavar as mãos37 com frequência, usar álcool-gel e manter distanciamento social são algumas recomendações importantes até o momento.

Advertência

Todos os assuntos e descobertas sobre a COVID-19 são muito recentes e não passaram ainda por estudos e pesquisas aprofundados, nem sofreram ainda a prova do tempo. As ideias veiculadas sobre eles devem ser tidas como provisórias e sujeitas a verificações posteriores.

As crianças são pouco afetadas pela Covid-19 (menos de 2% dos casos, em diversos países do mundo) e/ou são assintomáticas ou pouco sintomáticas. Contudo, recentemente, o Ministério da Saúde38, a Sociedade Brasileira de Pediatria e a Organização Pan Americana de Saúde38 liberaram publicações em que reconhecem a necessidade do diagnóstico29 e tratamento precoces de uma Síndrome1 Inflamatória Multissistêmica em Crianças e Adolescentes associada à COVID-19, a partir de informes vindos de alguns países europeus (Reino Unido, Espanha e Holanda, entre outros) e dos Estados Unidos.

Leia também sobre "Deficiência de vitamina39 D e risco aumentado de COVID-19" e "Fechamento de escolas relacionado à COVID-19 e risco de ganho de peso entre crianças".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Sociedade Brasileira de Pediatria, da Sociedade de Pediatria de São Paulo e da World Health Organization.

ABCMED, 2020. Relação da síndrome inflamatória multissistêmica em crianças com a Covid-19. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1378833/relacao-da-sindrome-inflamatoria-multissistemica-em-criancas-com-a-covid-19.htm>. Acesso em: 21 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Vasculite: Inflamação da parede de um vaso sangüíneo. É produzida por doenças imunológicas e alérgicas. Seus sintomas dependem das áreas afetadas.
4 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
5 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
6 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
9 Olhos:
10 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
11 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
12 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
13 Exantemas: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
14 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
15 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
17 Pescoço:
18 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
19 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
20 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
21 Cianose: Coloração azulada da pele e mucosas. Pode significar uma falta de oxigenação nos tecidos.
22 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
23 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
24 Ascite: Acúmulo anormal de líquido na cavidade peritoneal. Pode estar associada a diferentes doenças como cirrose, insuficiência cardíaca, câncer de ovário, esquistossomose, etc.
25 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
26 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
27 Hipotensão arterial: Diminuição da pressão arterial abaixo dos valores normais. Estes valores normais são 90 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 50 milímetros de pressão diastólica.
28 Taquicardia: Aumento da frequência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações.
29 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
30 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
31 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
32 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
33 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
34 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
35 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
36 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
37 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
38 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
39 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.