Gostou do artigo? Compartilhe!

Longevidade - o que é? Tem jeito de prolongar a vida?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é longevidade?

A palavra "longevidade" às vezes é usada como sinônimo de "expectativa de vida1", embora sejam coisas diferentes. Outras vezes, o termo refere-se especialmente a membros muito idosos de uma população, isto é, que estejam vivendo há mais anos do que o comum naquele contexto populacional.

O que é expectativa de vida1?

A expectativa de vida1 da população de uma determinada região, em um determinado ano, corresponde à média ponderada das idades das pessoas desse lugar que morreram naquele ano. Ela é definida estatisticamente como o número médio de anos restantes a partir de uma determinada idade. Por exemplo, a expectativa de vida1 de uma população ao nascer é igual à idade média de morte para todas as pessoas nascidas no mesmo ano.

A expectativa de vida1, e consequentemente a longevidade, vem aumentando no Brasil e em todo o mundo graças, por um lado, à melhoria das condições de vida das populações e, por outro, ao uso de tecnologias de vanguarda para detecção e tratamento precoce das doenças. Também tem contribuído de maneira significativa para isso o esclarecimento e educação das pessoas quanto a atividades e práticas alimentares corretas, tanto nas famílias, como nas escolas e nas mídias sociais. Assim, as novas gerações têm adquirido hábitos de vida mais saudáveis.

A média de vida do brasileiro é de 72,7 anos. Apesar do aumento desse indicador social nos últimos anos, o país ainda se encontra abaixo da realidade de muitos países desenvolvidos. A expectativa de vida1 é de 85,8 na Itália; 85,4 na Suíça e 84,6 na Suécia, por exemplo. Contudo, pensa-se que as crianças que nasceram depois do ano 2000 possam viver além até dos 130 anos ou mais.

Leia sobre "Envelhecimento saudável", "Como lidar com o estresse", "Insônia - como dormir melhor" e "Esgotamento mental ou síndrome2 de Burnout".

A longevidade na Medicina

Na Medicina, as considerações sobre a longevidade vão além do conhecimento sobre o tempo de duração da vida humana e incluem pensar sobre métodos para prolongar esse tempo. Vários fatores concorrem para determinar a duração da vida de um indivíduo e a duração média da vida em uma população: gênero, genética, higiene, acesso a cuidados de saúde3, dieta, estado nutricional, exercícios, estilo de vida e índices de criminalidade. Em parte, esses fatores dependem do indivíduo; em parte dependem do contexto social.

O prolongamento da vida de uma pessoa depende, em grande parte, do estilo de vida que ela adote desde cedo e não apenas de esforços que ela faça quando já envelhecida. Os fatores dependentes da sociedade devem ter um outro tipo de consideração, mas são igualmente relevantes.

Nos países desenvolvidos a expectativa de vida1 e a longevidade são significativamente mais altas que nos países em desenvolvimento. Assim, por exemplo, a expectativa de vida1 no Canadá é de 81,29 anos e em Moçambique de apenas 41,37 anos. A maior média do mundo é alcançada no Japão, onde está também o maior número de pessoas centenárias existentes atualmente.

Comprovadamente, um homem japonês chegou a viver 117 anos. Há relatos de pessoas que tiveram uma vida ainda mais longa, mas trata-se de situações esporádicas e não claramente comprovadas. A pessoa que comprovadamente até hoje mais viveu no mundo foi uma francesa que alcançou a idade de 122 anos e 164 dias. No Brasil, uma mulher baiana parece ter vivido 118 anos. O indonésio Mbah Gotho alega ter chegado aos 145 anos, alegação confirmada pelas autoridades da Indonésia. No seu período de vida ele já viu morrer 4 esposas, todos os 10 irmãos, filhos, netos e até bisnetos. Há ainda outras duas pessoas que reivindicam o recorde de terem vivido um maior tempo, embora não comprovem de modo inequívoco suas afirmações: Dhagabo Ebba, da Etiópia, alega ter chegado aos 163 anos e James Olofintuyi, da Nigéria, que diz ter 171 anos. Segundo o Guinness Book of Records, Mahashta Murasi, que viveu no norte da Índia, alegava ter nascido em 1835 e ter chegado a incríveis 179 anos.

Dicas para prolongar a vida

Os genes desempenham um papel muito importante na duração da vida, mas menor do que se acreditava originalmente.

Fatores ambientais, os quais as pessoas podem “controlar”, também são fundamentais. Eis alguns deles:

  1. Evitar comer demais. Normalmente uma pessoa come mais do que precisa fisiologicamente. Limitar suas calorias4 pode ajudar a viver mais e se proteger contra doenças.
  2. Comer nozes. As nozes são ricas em proteínas5, fibras, antioxidantes e compostos vegetais benéficos. Além do mais, são uma ótima fonte de várias vitaminas e minerais, como cobre, magnésio, potássio, folato, niacina, vitaminas B6 e vitamina6 E. Adicionar algumas nozes à rotina diária pode manter uma pessoa saudável e ajudá-la a viver mais. 
  3. A cúrcuma (açafrão-da terra) é uma ótima opção contra o envelhecimento. Ela contém um potente composto bioativo chamado curcumina que é antioxidante, anti-inflamatório e ajuda a manter as funções cerebral, cardíaca e pulmonar, bem como protege contra cânceres e doenças relacionadas à idade.
  4. Comer muitos alimentos vegetais provavelmente o ajudará a viver mais e a diminuir o risco de várias doenças comuns.
  5. A atividade física regular pode estender a vida. Praticar mais de 150 minutos por semana é o melhor, mas mesmo pequenas quantidades podem ajudar.
  6. Nunca ter fumado ou, pelo menos, abandonar este vício o mais precocemente possível pode prolongar significativamente a vida.
  7. Manter moderada a ingestão de álcool. De preferência, não beber. Isso pode ajudar a prevenir doenças e prolongar sua vida. Não entanto, o vinho, usado com parcimônia, pode ser particularmente benéfico.
  8. A felicidade e a alegria provavelmente têm efeitos positivos não apenas no humor, mas também no tempo de vida. O mau humor castiga e desgasta o organismo.
  9. Encontrar maneiras de reduzir a ansiedade e o estresse e manter uma visão7 otimista da vida pode ajudar a prevenir doenças e prolongar o tempo e a qualidade de vida também.
  10. Cultivar relacionamentos íntimos pode resultar em diminuição dos níveis de estresse, melhora da imunidade8 e prolongamento da vida.
  11. Ser consciencioso está associado a uma expectativa de vida1 mais longa e a menos problemas de saúde3 na velhice. Ser uma pessoa autodisciplinada, organizada, eficiente e orientada para objetivos ajuda a viver mais e melhor.
  12. O consumo moderado de chá e café pode beneficiar o envelhecimento saudável e a longevidade.
  13. O sono é crucial para regular a função celular e ajudar a recuperar o corpo. Desenvolva um bom padrão de sono.
Veja também sobre "Higiene do sono", "Estresse e como aliviá-lo" e "Atividade física - um hábito adquirido com prazer".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas principalmente dos sites da Mayo Clinic, da Mayo Clinic Proceedings e do Science Direct.

ABCMED, 2020. Longevidade - o que é? Tem jeito de prolongar a vida?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1382653/longevidade-o-que-e-tem-jeito-de-prolongar-a-vida.htm>. Acesso em: 24 nov. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
5 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
6 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
7 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
8 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Geriatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.