Gostou do artigo? Compartilhe!

Biotina para cabelos e unhas

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é biotina?

A biotina, também conhecida como vitamina1 B7, vitamina1 H ou coenzima R, é uma vitamina1 hidrossolúvel essencial, indispensável ao organismo, que funciona como uma coenzima no metabolismo2 das purinas (um tipo de proteína) e dos carboidratos (açucares e amido) e na formação da pele3, unhas4 e cabelo5, bem como na síntese de ácidos graxos.

A biotina deve ser reposta diariamente porque o nosso organismo não consegue armazená-la. Seu excesso é eliminado pela urina6.

Saiba mais sobre "Unhas4 fracas", "Queda de cabelo5" e "Cuidados com a pele3".

Quais são as fontes de biotina?

O organismo humano é incapaz de produzir biotina. Ela é sintetizada por bactérias intestinais e pode ser suplementada através da alimentação. Os alimentos ricos em biotina incluem leite e derivados, aves, peixes, nozes, soja, amendoim, espinafre, couve-flor, arroz integral, banana, morango, melancia, farelo de arroz, sementes de girassol, lentilhas, cevada, ervilha, cenoura, aveia, entre outros.

Ovos e carnes possuem grandes quantidades de biotina, mas nesses produtos ela é pouco biodisponível e pode ser inibida por uma proteína, a avidina. Também é possível encontrar a biotina como preparado farmacológico na forma de pó ou de cápsulas. A ingestão de bebidas alcoólicas reduz em muito a absorção dessa vitamina1.

Quais são os benefícios da biotina para o organismo?

A biotina é necessária para o bom funcionamento de todas as células7 do corpo. Ela atua na metabolização das gorduras, dos carboidratos e das proteínas8, gerando energia e produzindo ácidos que mantém em bom estado a pele3, as unhas4 e os cabelos. No metabolismo2, a biotina age como nutriente da pele3, deixando-a hidratada e tem relação com a produção da queratina, favorecendo o crescimento e fortalecimento das unhas4 e do cabelo5.

Seus benefícios estéticos para a pele3 e para os cabelos tornaram a biotina famosa, mas a verdade é que seus benefícios vão muito além disso. Por exemplo, a biotina beneficia quem procura perder peso e ganhar massa muscular. A biotina também atua no sistema nervoso9 como calmante. Ela ainda tem efeitos redutores sobre os níveis de colesterol10 e triglicerídeos, ajuda a manter os níveis de açúcar11 no sangue12 e tem papel relevante no metabolismo2 e no reparo dos tecidos.

Veja sobre "Colesterol10", "Triglicérides13", "Comportamento da glicemia14" e "Perda de peso".

Quais são os sintomas15 da deficiência de biotina?

A dosagem usual de ingesta de biotina em adultos saudáveis é de 30 mcg por dia. Uma verdadeira deficiência dessa vitamina1 é bastante rara. Mesmo em casos de pouco aporte, as bactérias intestinais podem produzir quantidades suficientes de biotina. É possível, porém, que problemas genéticos afetem a sua produção, que também pode ser prejudicada pelo consumo de antibióticos, que podem matar as bactérias que a produzem.

Verifica-se ainda uma concentração abaixo da ideal sobretudo em idosos, alcoólatras, pessoas com problemas digestivos, pessoas epilépticas e em atletas. Gestantes e lactantes16 também podem sofrer frequentemente com a falta dessa vitamina1.

Uma deficiência desta vitamina1 pode se manifestar como queda de cabelo5, problemas na pele3 como dermatitesacne17coceiras e pode provocar conjuntivite18 e problemas neurológicos sob a forma de letargia19, formigamento das extremidades, alucinações20 e depressão. Deficiências prolongadas, como aquelas causadas por fatores genéticos, podem levar a uma menor eficiência do sistema imunológico21.

Outros sintomas15 possíveis são coceira e erupção22 cutânea23 escamosa24 vermelha ao redor dos olhos25, nariz26 e boca27. A carência dessa vitamina1 pode causar também alterações na visão28 e audição, retardar o desenvolvimento e causar dermatites. Grandes déficits de biotina causam depressão, apatia29, alucinações20 e formigamento nos braços e pernas. A deficiência dessa vitamina1 pode ser induzida por um defeito genético ou pelo tabagismo.

A suplementação30 de biotina quase nunca é necessária para pessoas sem a deficiência hereditária dessa vitamina1, mas é absolutamente necessária para os portadores dessa deficiência.

Leia mais sobre "Dormência31 ou formigamento", "Acne17", "Prurido32 ou coceira" e "Dermatite33 atópica".

 

ABCMED, 2017. Biotina para cabelos e unhas. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1288548/biotina+para+cabelos+e+unhas.htm>. Acesso em: 12 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
2 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
3 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
4 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
5 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
6 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
7 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
10 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
11 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
14 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
17 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
18 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
19 Letargia: Em psicopatologia, é o estado de profunda e prolongada inconsciência, semelhante ao sono profundo, do qual a pessoa pode ser despertada, mas ao qual retorna logo a seguir. Por extensão de sentido, é a incapacidade de reagir e de expressar emoções; apatia, inércia e/ou desinteresse.
20 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
21 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
22 Erupção: 1. Ato, processo ou efeito de irromper. 2. Aumento rápido do brilho de uma estrela ou de pequena região da atmosfera solar. 3. Aparecimento de lesões de natureza inflamatória ou infecciosa, geralmente múltiplas, na pele e mucosas, provocadas por vírus, bactérias, intoxicações, etc. 4. Emissão de materiais magmáticos por um vulcão (lava, cinzas etc.).
23 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
24 Escamosa: Cheia ou coberta de escamas, ou seja, de pequenas lâminas epidérmicas que se desprendem espontaneamente da pele.
25 Olhos:
26 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
27 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
28 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
29 Apatia: 1. Em filosofia, para os céticos e os estoicos, é um estado de insensibilidade emocional ou esmaecimento de todos os sentimentos, alcançado mediante o alargamento da compreensão filosófica. 2. Estado de alma não suscetível de comoção ou interesse; insensibilidade, indiferença. 3. Em psicopatologia, é o estado caracterizado por indiferença, ausência de sentimentos, falta de atividade e de interesse. 4. Por extensão de sentido, é a falta de energia (física e moral), falta de ânimo; abatimento, indolência, moleza.
30 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
31 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
32 Prurido: 1.    Na dermatologia, o prurido significa uma sensação incômoda na pele ou nas mucosas que leva a coçar, devido à liberação pelo organismo de substâncias químicas, como a histamina, que irritam algum nervo periférico. 2.    Comichão, coceira. 3.    No sentido figurado, prurido é um estado de hesitação ou dor na consciência; escrúpulo, preocupação, pudor. Também pode significar um forte desejo, impaciência, inquietação.
33 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Nutrologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.