Atalho: 54Y8A5A
Gostou do artigo? Compartilhe!

Transtorno bipolar do humor. O que é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o transtorno bipolar do humor?

Ele é caracterizado por alterações cíclicas do humor que se manifestam como episódios depressivos alternando-se com episódios de euforia ou de mania em diferentes graus de intensidade. O transtorno bipolar está associado a alterações cerebrais funcionais envolvendo áreas como o lobo pré-frontal e a amígdala1, fundamentais para o processamento das emoções e motivação e o hipocampo2, importante para a memória. Outro componente envolvido é a produção de serotonina, um neurotransmissor que atua no funcionamento harmônico do sistema nervoso3.

É uma condição frequente que ocorre em cerca de 1% da população geral. Considerando-se os quadros mais brandos (caracterizados pela alternância de depressão e episódios mais leves de euforia - hipomania), a prevalência4 pode chegar a até 8% da população.

No passado, ele era conhecido por psicose5 maníaco-depressiva (PMD).


Quais são os sintomas6 desta condição?

O início dos sintomas6 na infância e na adolescência é cada vez mais estudado. Como nesta faixa etária há peculiaridades na apresentação clínica, o diagnóstico7 é difícil, o que dificulta estabelecer um tratamento adequado.

Na idade adulta, as alterações do humor caracterizam-se por fases que alternam episódios de euforia ou mania e de depressão. Estas fases podem ser reconhecidas pelos sintomas6 abaixo:

 

Fase maníaca

  • Estado de humor excessivamente elevado, eufórico, como uma alegria contagiante ou uma irritação agressiva, impaciente.
  • Auto-estima elevada, podendo chegar a uma manifestação delirante de grandeza. A pessoa acha-se dotada de poderes especiais e capacidades únicas.
  • Otimismo e confiança exagerados.
  • Aumento das atividades motoras e hiperatividade.
  • Diminuição da necessidade de sono.
  • Além de geralmente falar em tom alto, a pessoa sente uma forte pressão para falar sem parar,  não concluindo ideias, o que é chamado de “fuga-de-ideias”.
  • Dificuldade de concentração.
  • A pessoa torna-se socialmente inconveniente, com um comportamento inadequado e provocador.
  • Agressividade física ou verbal.
  • Aumento do interesse e da atividade sexual.
  • Envolvimento em atividades potencialmente perigosas.
  • Uso de drogas, especialmente cocaína, álcool e medicamentos para dormir.

Fase depressiva

  • O humor está depressivo.
  • Baixa auto-estima com sentimentos de tristeza, vazio, falta de esperança, culpa excessiva ou pessimismo.
  • Choro e melancolia.
  • Sentimentos de inferioridade.
  • Fadiga8 ou perda de energia.
  • Comprometimento da capacidade física com sensação de cansaço constante.
  • O interesse e o prazer em atividades antes exercidas com entusiasmo são perdidos.
  • O sono está diminuído, mas diferente da fase maníaca, não é um sono reparador, pois a pessoa acorda indisposta e tende a permanecer na cama por várias horas do dia.
  • Dificuldade de concentração. Os pensamentos ficam inibidos, lentos, gerando demora na compreensão e assimilação dos fatos e lentidão na tomada de decisões.
  • Apetite diminuído, podendo haver perda significativa de peso.
  • Pensamentos de morte ou suicídio, planejamento ou tentativas de suicídio.

Existem muitas pessoas com transtorno de humor que, entre uma fase e outra, levam uma vida como outra pessoa qualquer sem a doença. Outras podem apresentar sintomas6 leves. Apenas uma minoria, que não se recupera, torna-se incapaz de levar uma vida sem sintomas6.


Quais outras características precisam ser reconhecidas neste transtorno?

A hipomania é um estado de euforia mais leve, que não causa prejuízo no trabalho ou nas relações sociais. Pode passar despercebida ou ser confundida com estados “normais” de alegria.

O estado misto é caracterizado por sintomas6 depressivos e maníacos acentuados acontecendo simultaneamente em um mesmo dia, ou seja, a pessoa pode sentir-se deprimida pela manhã e progressivamente eufórica com o passar do dia ou vice-versa. Os sintomas6 frequentemente incluem agitação, insônia e alterações do apetite. Nos casos mais graves, podem haver sintomas6 psicóticos (alucinações9 e delírios) e pensamentos suicidas. 

No transtorno ciclotímico ou ciclotimia há uma alteração crônica e flutuante do humor, alternando períodos de sintomas6 maníacos e períodos de sintomas6 depressivos não graves, nem suficientes para se ter certeza de se tratar de depressão ou de mania. É facilmente confundido com uma pessoa marcada por instabilidade crônica do humor.


Quais outras doenças geralmente coexistem com o transtorno bipolar do humor?

  • O uso abusivo de drogas como álcool e outras drogas ilícitas10 (cocaína, crack) é muito frequente entre as pessoas nesta condição médica.
  • Estresse pós-traumático, fobia11 social, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, síndrome12 do pânico ou transtorno obsessivo compulsivo também podem ocorrer com mais frequência nestes pacientes.
  • Pessoas com transtorno bipolar tem um risco maior de apresentar doenças da tireoide13, enxaquecas14, doenças cardíacas, diabetes15, obesidade16 e outras doenças físicas.

As pessoas com transtorno bipolar devem monitorar sua saúde17 física e mental. Se um sintoma18 não melhora com o tratamento instituído, elas devem conversar com seu médico.


Quais são os fatores de risco para o transtorno bipolar?

Os cientistas estão aprendendo sobre as possíveis causas da doença bipolar. A maioria concorda que não há uma causa única, mas que muitos fatores em conjunto produzem a doença e aumentam o seu risco. Fatores biológicos (relativos a neurotransmissores cerebrais), genéticos, sociais e psicológicos estão presentes no desencadeamento da doença.

  • Há uma tendência familiar. Crianças com pais ou irmãos com transtorno bipolar têm quatro a seis vezes mais chances de desenvolver a doença, mas a maioria com história familiar da doença não irá desenvolver o transtorno.
  • Fatores ambientais. O uso abusivo de certas substâncias como cocaína, crack ou anfetaminas aumenta o risco de desenvolver a primeira crise, assim como aumenta a frequência das recorrências19. A dependência de álcool e de outras drogas é comum, agrava o curso da doença e piora o prognóstico20. Também atrapalha na adesão ao tratamento e aumenta em duas vezes o risco de suicídio.


Como é feito o diagnóstico7?

O primeiro passo para um diagnóstico7 correto é conversar com um médico. Um clínico geral ou um psiquiatra podem avaliar a história clínica de um paciente, fazer um exame físico e, se necessário, solicitar exames complementares.

O transtorno bipolar não é diagnosticado por exames de sangue21 ou de imagens, mas estes exames podem ajudar a fazer o diagnóstico7 diferencial com outras condições como derrame22 cerebral ou tumores cerebrais.

O transtorno bipolar é uma condição a ser acompanhada por um longo período de tempo, às vezes ao longo de toda a vida de um paciente.


Qual é o tratamento? Existe cura?

O tratamento adequado reduz a incapacidade para o trabalho e para as atividades rotineiras e diminui a mortalidade23 dos pacientes, principalmente por reduzir o risco de suicídio em sete vezes.

A doença não tem cura, mas as pessoas melhoram e retomam suas atividades após a instituição do tratamento adequado.

Todo o tratamento deve ser prescrito e acompanhado por médicos experientes. O lítio, medicamento muito usado para estes pacientes, é uma substância tóxica, que em doses adequadas é capaz de reverter os quadros de euforia e evitar as recorrências19, mas se usado incorretamente pode trazer mais prejuízos do que benefícios aos pacientes.

Geralmente são usados um ou mais estabilizadores do humor, principalmente o carbonato de lítio. A associação com antidepressivos e antipsicóticos pode ser necessária para o controle dos episódios de depressão e de mania, respectivamente. Deve-se tomar cuidado com o uso de antidepressivos, pois eles podem precipitar a euforia ou acelerar a frequência das crises e levar a uma “virada maníaca", ou seja, o paciente sai da depressão e passa rapidamente à exaltação. Muitas vezes são também usados anticonvulsivantes no tratamento.

É importante a retirada de substâncias como cafeína, cocaína e anfetaminas e do álcool para melhorar o controle da doença e diminuir sua recorrência24.

Todos os pacientes devem ter acompanhamento psiquiátrico por longo período. Algumas formas de psicoterapia podem ajudar bastante no tratamento.

 

Fonte: National Institute of Mental Health – National Institutes of Health

ABCMED, 2009. Transtorno bipolar do humor. O que é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/psicologia-e-psiquiatria/51663/transtorno-bipolar-do-humor-o-que-e.htm>. Acesso em: 19 ago. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Amígdala: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
2 Hipocampo: Elevação curva da substância cinzenta, que se estende ao longo de todo o assoalho no corno temporal do ventrículo lateral (Tradução livre de Córtex Entorrinal; Via Perfurante;
3 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
9 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
10 Ilícitas: 1. Condenadas pela lei e/ou pela moral; proibidas, ilegais. 2. Qualidade das que não são legais ou moralmente aceitáveis; ilicitude.
11 Fobia: Medo exagerado, falta de tolerância, aversão.
12 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
13 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
14 Enxaquecas: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
15 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
16 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
17 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
18 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
19 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
20 Prognóstico: 1. Juízo médico, baseado no diagnóstico e nas possibilidades terapêuticas, em relação à duração, à evolução e ao termo de uma doença. Em medicina, predição do curso ou do resultado provável de uma doença; prognose. 2. Predição, presságio, profecia relativos a qualquer assunto. 3. Relativo a prognose. 4. Que traça o provável desenvolvimento futuro ou o resultado de um processo. 5. Que pode indicar acontecimentos futuros (diz-se de sinal, sintoma, indício, etc.). 6. No uso pejorativo, pernóstico, doutoral, professoral; prognóstico.
21 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
22 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
23 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
24 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Psiquiatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

18/08/2013 - Comentário feito por josetino
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
gostei muito desta materia de muita importansia parabens para todos

26/03/2013 - Comentário feito por Ana
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Sofro de transtorno Bipolar há muitos anos, devido a doença fui obrigada a me aposentar por invalidez.
Fui isolada por todos "amigos" e parentes, não desejam mais falar comigo há muitos anos ,o q tbm me prejudicou emocionalmente, pois cortaram tds vinculos.Tenho 3 sobrinhas q adoro, porém elas nem sequer me telefonam há muitos anos, mas GRAÇAS à DEUS, tenho um filho lindo que me suporta , pois lê muito , se informa e compreende ou tenta entender.Agradeço pelo artigo!.

18/03/2013 - Comentário feito por Silvana
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Transtorno Bipolar Misto é horrível para quem tem essa doença, e eu sou uma delas, é insuportável viver sem nada dar prazer, vontade de não sair nunca da cama e a vida não tem sentido nenhum, mesmo assim rezo muito e vou ao meu psiquiatra todo mês, as vezes para aliviar minha dor sinto a necessidade de gastar, mas logo passa e volta tudo de novo e o arrependimento vem, uso várias medicações e levamos 3 anos para conseguir acertá-las, como lamotrigina 200mg, seroquel 150mg, rivotril 2mg, amplictil 25gts, frontal XR 2mg, Exodus 10mg, mesmo com o tratamento as vezes me sinto no fundo do posso, olha já tive câncer, fiz cirurgia e quimioterapias e não sofri como essa depressão.

22/01/2013 - Comentário feito por HELENITA
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
eu não sou BIPOLAR ... Porém, minha filha foi diagnosticada como sendo ... Acompanho todas as idas e vindas da minha filha ... agora com 25 anos ... a primeira manifestação da doença se deu qdo ela tinha 16 anos ... e como ela faz 26, em fevereiro/2013 ... tem 10 anos que eu a acompanho ... tenho me mantido pq tenho lido muito a respeito do tema ... tb , amada irmã em Cristo Jesus Inês , participo de tudo que me parece falar a respeito da doença ... mas, qdo tento levar a meus familiares , principalmnete o pai dela ... aí que o "bicho pega" ... pq eles não entendem como uma menina tão bonita e inteligente , pode estar com esta doença ... tb escuto "essa moça é louca " ... minha filha é muito inteligente ... assim como a filha da Inês ... eu digo a essa irmã ... que foi o seu testemunho que me levou a escrever essas linhas ... tb concordo , no sentido de eles falam dessa maniera pq não entendem que minha filha tem uma doença que não aparece, que é mental , que leva as pessoas a serem débeis ... como minha filha ... tem vezes que ela não fala coisa com coisa ... ela me ataca ... mas , não estais só ... olha eu aqui ... concordando com tudo que vc falou ... MINHA ORAÇÃO É QUE DEUS EM SUA INFINITA MISERICÓRDIA VENHA A SE CONDOER DAS MILHARES DE PESSOAS QUE TEM ESSA DOENÇA E OUTRAS DOENÇAS QUE NÓS NÃO TEMOS ACESSO AO NOME DELAS , DANDO A ELAS (PESSOAS ) A SUA PAZ ... A PAZ QUE TRANCENDE O ENTENDIMENTO NÓS , OS HUMANOS, ... EM NOME DE JESUS AMÉM !!!

21/05/2012 - Comentário feito por Inês
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Gostaria de dar uma nota infinita, como infinito é o poder de Deus. Ñ. sou bipolar, mas tenho uma filha q. é, mt. pior p. uma mãe. Acompanho dia a dia as crises, cujo 1º surto foi em 1996, portanto, há 16 anos. Era uma situação insuportável, até eu mesma começar a pesquisar, ler mt. a respeito, participar de fóruns, à distância, de grupos de apoio, etc. Não findou, mas amenizou meu sofrimento. O obejetivo desta mensagem é levar aos portadores e famimiares, algumas das minhas experiências q. me ajudam mt. até hj. Por ser de difícil diagnóstico e tratamento, procurem vcs. mesmos fazer como eu: pesquisar, ler, interagir, dar mt. amor ao portador, compreender, entender, agir como animais em defesa de suas crias, procurando quebrar os preconceitos, rotulações, ("essa moça é louca", e eu respondi: a mãe dela é mais...kkk) inclusive, na própria família, o. q. sofro até hj. em relação àqueles pessoas q. "ñ. entendem". Se serve de consolo: é uma doença q. ataca pricipalmente as pessoas de inteligência superior ou gênios, como é o caso da minha filha?! Van Gog cortou uma das orelhas pq. era bipolar!!! é o q. dizem! Ñ. temos como saber se é verdade. Mas, os estudos são feitos a partir da análise de suas biografias. Existem mts. outros gênios como ele: ñ. me lembro se foi Mozart ou Bethoven, p. ex., Santos Dumont. Felizes somos nós, os chamados "normais". Na verdade, ninguém é normal, concordam? Falta-nos, tb., além das informações, profissionais especializados nesse distúrbio, com acesso à altura de nossos "bolsos$$$", já q., como dito, tratamento e diagnóstico são dificílimos. Porém, a culpa td. é do nosso sistema, jamais dos médicos, q., como mts. outros profissionais de quase tds. as áreas, são verdadeiros heróis, neste país maravilhoso, porém governado por políticos corruptos, desonestos, etc, q. colocam os interesses pessoais ($$$$$) acima do interesse coletivo! buáááá. Povo sem saúde e educação, é manipulado com maior facilidade. Por nós mesmos, bipolares e familiares, tenham a mim como ex. (desculpem a modéstia): lutem contra a doença e busquem seus direitos, amem uns aos outros, interajam, VOTEM BEM, procurem audar a banir a impunidade através de protestos (pessoais mesmo), e acima de tudo: coloquem sua fé e esperança em DEUS e JESÚS. Q. Deus, em sua infinita misericórdia, nos abençoe a tds. e uma bênção especial, àqueles profissionais e criadores de ajuda como a deste blog, q. remam contra maré, sem esmorecer nunca. Desulpem se me alonguei demais em meu comentario, mas é do fundo do meu coração de mãe, idosa e pobre ($).

24/12/2011 - Comentário feito por Will
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Quanto mais informação a população tiver sobre o transtorno bipolar um tanto melhor. Eu creio que deste modo podemos combater o preconceito e fazer com as pessoas façam o tratamento se necessário for. Will Brasil (editor do Bipolar Brasil).

09/10/2011 - Comentário feito por Ana
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Sou bipolar, já passei por quatro internações , tive uma crise recentemente estou com muita impregnação estou sofrendo muito estou sem saber o que fazer

14/05/2011 - Comentário feito por ELISABETH
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Recentemente fui diagnosticada como bipolar,mais antes sofri muito com diagnostico apenas de depressão,graças a deus vim para brasilia e aqui encontrei um médico psiquiatra que abaixo de deus tem sido a melhor coisa que aconteceu na minha vida ultimamente,ele é um profissional compromissado com a saúde .Adivinha ele é do SUS não é incrivel,realmente ele tem sido um anjo na minha vida,quanto ao preconceito não estou nem vendo quero mesmo é ser feliz e aprender cada vez mais sobre o transtorno para assim ter uma qualidade de vida melhor ,hoje eu tomo carbolitium e fluoxetina e estou ótima.

14/01/2011 - Comentário feito por Mônika
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
ACREDITO QUE NÃO SÓ O TRANSTORNO BIPOLAR ASSIM COMO QUALQUER DOENÇA QUE ENVOLVA O PSIQUICO DO SER HUMANO PODE TER COMO PRINCIPAL AJUDA A INFORMAÇÃO DO QUE É A DOENÇA E COMO COMBATÊ-LA POR PARTE DO PRÓPRIO PACIENTE, PORQUE QUANDO VOCÊ SE VITIMIZA A SITUAÇÃO SÓ COMPLICA.

22/12/2010 - Comentário feito por Érika
Re: Transtorno bipolar do humor. O que é?
Há anos sofro com as alterações de humor e nem fazia idéia do que se tratava... não sou diagnosticada como Bipolar mas me identifico muito com o conceito da doença. Sofro muito preconceito, me chamam de "geniosa", agressiva e instável. Estou há 1 ano e dois meses de licença, que após um assédio moral no trabalho me derrubou. Após isso passei no psiquiatra e das medicações que ele me passou que foram Diazepan, Bromazepan e Depakene eu não tomei nada a não ser vez ou outra pra conseguir dormir o Bromazepan. Tentei reabilitação profissional, pois lido com vidas humanas e fiquei insegura em exercer minha profissão, após o assédio, me senti ( e ainda me sinto ) como uma incopentente e temo em prejudicar alguém, algum paciente. Há duas semanas me deram alta do INSS e pirei... fiquei mal mesmo, porque não me reabilitaram e eu só pensava que iria causar algum dano à algum paciente... Estou tentando novamente reabilitação, e estou com perícia agendada. Tem horas que penso que sou louca... ninguém percebe o que percebo em mim mesma e não sei mais oque fazer... Não acho que estou sendo tratada por Transtorno Bipolar e não ter um diagnóstico é um vazio pra mim. Me cobro muito, não me aceito nem fisicamente e nem psicologicamente...sofro muito e não vejo a hora de conseguir um tratamento adequado e eficaz.
Adorei o site por me esclarecer muitas coisas !!

  • Entrar
  • Assinar