Gostou do artigo? Compartilhe!

Infecção levando à inflamação na articulação - pode ser artrite reacional!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é artrite1 reacional?

A artrite1 reacional ou artrite1 reativa é uma doença inflamatória de articulações2 do corpo que se desenvolve em resposta a uma infecção3 em outra parte do corpo.

Quais são as causas da artrite1 reacional?

A artrite1 reacional é uma condição autoimune4 que se desenvolve como uma resposta a uma infecção3 no aparelho digestivo5 ou geniturinário, ou em outras partes do corpo, como febre6 glandular, infecção3 da garganta7, gripe8 viral e até mesmo uma intoxicação alimentar. A doença se manifesta cerca de um mês após a infecção3.

Nem sempre a intensidade da infecção3 é proporcional à gravidade da artrite1 reacional, e vice-versa. Há certos marcadores moleculares na superfície das células9 que ocasionam a doença, o que sugere um componente hereditário. A artrite1 reacional tem sido associada com infecções10 por Shigella, Salmonella, Campylobacter, Chlamydia trachomatis, entre outras. A artrite1 reacional tem um importante componente genético, tende a se concentrar em certas famílias e afeta quase exclusivamente o sexo masculino.

Saiba mais sobre "Amigdalites", "Gripe8", "Intoxicação alimentar", "Salmonelose" e "Campilobacteriose".

Quais são as principais características clínicas da artrite1 reacional?

A artrite1 reacional incide em maior proporção em homens entre os 20 e 40 anos de idade. Os sinais11 e sintomas12 dela dependem dos locais afetados e quase sempre se iniciam alguns dias ou semanas após o início de uma infecção3 originária e podem aumentar ou diminuir durante várias semanas ou meses.

O início da artrite1 reacional é usualmente agudo13 e caracterizado por mal-estar, fadiga14, febre6 e artralgia15 (dor articular), geralmente é assimétrica e envolve principalmente os joelhos, tornozelos e pés. Dor lombar ocorre em 50% dos pacientes.

Os principais sinais11 e sintomas12 da artrite1 reacional incluem, além da artrite1, inflamação16 nas vias urinárias, sensação de queimação no canal urinário ou presença de secreções anormais, inflamação16 dos olhos17, aftas na boca18, vermelhidão na pele19, inflamações20 nos tendões21, dores na região lombar22, inflamação16 das vértebras, febre6, perda de peso e inflamação16 da próstata23 ou colo do útero24. A tríade clássica de sintomas12 é:

Contudo, essa tríade ocorre em apenas cerca de um terço dos pacientes. No caso de artrite1 pós-entérica o quadro pode surgir depois de uma a quatro semanas de sintomas12, como diarreia27 e síndrome28 disentérica leve.

Nas articulações2, as artrites reativas causam dor, dificuldade para movimentar a articulação29, dor nas costas30 e inchaço31 nas articulações2. No trato urinário32, causam dor ou queimação ao urinar, aumento da vontade e urgência33 para urinar, eliminação de líquido esbranquiçado pela uretra34 e sangue35 na urina36. Nos olhos17, causam vermelhidão, lacrimejamento excessivo, dor, queimação e inchaço31.

A artrite1 reacional não é contagiosa37, mas as bactérias responsáveis pela infecção3 inicial podem ser transmitidas de uma pessoa para outra. As manifestações da artrite1 reacional podem ser muito semelhantes às de uma artrite reumatoide38.

Leia sobre "Artrite1", "Artralgia15", "Lombalgia39", "Uretrites" e "Conjuntivite26 infecciosa".

Como o médico diagnostica a artrite1 reacional?

Não há exames laboratoriais específicos para diagnosticar a artrite1 reacional. O médico deve começar pela história clínica e por um exame físico completo. Após isso, ele pode solicitar alguns exames para detectar a infecção3 original e para excluir outras doenças que são capazes de simular um episódio de artrite1 reacional.

Como o médico trata a artrite1 reacional?

O tratamento da artrite1 reacional visa reduzir os sintomas12 e tratar as infecções10 bacterianas existentes e é feito principalmente com medicamentos anti-inflamatórios e corticoides. A infecção3 original deve ser tratada pelos meios próprios, conforme a natureza dela. Algumas pessoas com quadros mais severos de artrite1 reacional podem necessitar também fazer uso dos inibidores do fator de necrose40 tumoral.

Nem sempre é possível aliviar completamente todos os sintomas12 da artrite1 reativa e pode desenvolver-se uma situação crônica, com surtos recorrentes dos sintomas12 agudizados, durante algumas semanas. A fisioterapia41 pode ajudar a manter a estabilidade e preservar o funcionamento das articulações2.

Quais são as complicações possíveis da artrite1 reacional?

Metade das pessoas com artrite1 reacional sofre recorrência42 dos sintomas12 após a resolução da primeira crise. Durante as recorrências43 muitas pessoas podem se queixar de dores na região lombar22, inflamação16 nos olhos17 ou no canal urinário, além dos sintomas12 da artrite1.

Cerca de 20% das pessoas afetadas pela artrite1 reacional desenvolve artrite1 crônica leve. Outras possíveis complicações da artrite1 reacional incluem uveíte44, arritmias45 cardíacas e problemas nas válvulas do coração46.

Veja também sobre"Artrite reumatoide38", "Artrite1 idiopática47 juvenil" e "Artrite1 séptica".

 

ABCMED, 2018. Infecção levando à inflamação na articulação - pode ser artrite reacional!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1320318/infeccao-levando-a-inflamacao-na-articulacao-pode-ser-artrite-reacional.htm>. Acesso em: 18 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
2 Articulações:
3 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
4 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
5 Aparelho digestivo: O aparelho digestivo ou digestório realiza a digestão, processo que transforma os alimentos em substâncias passíveis de serem absorvidas pelo organismo. Os materiais não absorvidos são eliminados por este sistema. Ele é composto pelo tubo digestivo e por glândulas anexas.
6 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
7 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
8 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
9 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
12 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
13 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
14 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
15 Artralgia: Dor em uma articulação.
16 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
17 Olhos:
18 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
19 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
20 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
21 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
22 Região Lombar:
23 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
24 Colo do útero: Porção compreendendo o pescoço do ÚTERO (entre o ístmo inferior e a VAGINA), que forma o canal cervical.
25 Uretrite: Inflamação da uretra de causa geralmente infecciosa. Manifesta-se por ardor ao urinar e secreção amarelada drenada pela mesma. Em mulheres esta secreção pode não ser evidente.
26 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
27 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
28 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
29 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
30 Costas:
31 Inchaço: Inchação, edema.
32 Trato Urinário:
33 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
34 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
35 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
36 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
37 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
38 Artrite reumatóide: Doença auto-imune de etiologia desconhecida, caracterizada por poliartrite periférica, simétrica, que leva à deformidade e à destruição das articulações por erosão do osso e cartilagem. Afeta mulheres duas vezes mais do que os homens e sua incidência aumenta com a idade. Em geral, acomete grandes e pequenas articulações em associação com manifestações sistêmicas como rigidez matinal, fadiga e perda de peso. Quando envolve outros órgãos, a morbidade e a gravidade da doença são maiores, podendo diminuir a expectativa de vida em cinco a dez anos.
39 Lombalgia: Dor produzida na região posterior inferior do tórax. As pessoas com lombalgia podem apresentar contraturas musculares, distensões dos ligamentos da coluna, hérnias de disco, etc. É um distúrbio benigno que pode desaparecer com uso de antiinflamatórios e repouso.
40 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
41 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
42 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
43 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
44 Uveíte: Uveíte é uma inflamação intraocular que compromete total ou parcialmente a íris, o corpo ciliar e a coroide (o conjunto dos três forma a úvea), com envolvimento frequente do vítreo, retina e vasos sanguíneos.
45 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
46 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
47 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Reumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.