Gostou do artigo? Compartilhe!

Tipos de pele

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Os diferentes tipos de pele1

A pele1 não é a mesma coisa em todas as pessoas. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os principais tipos de pele1 são: (1) pele1 normal, (2) pele1 seca, (3) pele1 oleosa e (4) pele1 mista. Embora não conste da classificação acima, há também a chamada (5) pele1 sensível.

Cada um desses tipos apresenta diferentes características morfológicas e fisiológicas2 que devem ser levadas em conta nos cuidados com a pele1. Se isso não for observado, esses procedimentos podem não surtir efeito e até mesmo piorar o problema.

Quais são as características de cada tipo de pele1?

Os tipos de pele1 se baseiam na proporção da parte hídrica (água) e oleosa (glândulas sebáceas3). O reconhecimento do tipo de pele1 é importante porque cada um deles demanda diferentes cuidados. Em importância relevante nos cuidados com a pele1 estão os poros, que são pequenas aberturas na pele1 por onde saem os pelos e as secreções das glândulas sudoríparas4 (que produzem suor) e das glândulas sebáceas3 (responsáveis pela oleosidade).

Leia sobre "Rugas", "Biotina para cabelos e unhas5" e "Cabelos brancos".

Pele1 normal

A pele1 normal apresenta equilíbrio entre as funções hídrica e oleosa. Apresenta cor rosada e é viçosa, macia, de textura aveludada, com boa elasticidade6 e taxas normais de gordura7. Os poros são fechados, pequenos, regulares e pouco visíveis, com baixa propensão ao aparecimento de espinhas e manchas. A pele1 dos bebês8 e crianças pequenas são exemplos de pele1 normal. É o tipo de pele1 menos frequente.

Pele1 seca

A pele1 seca é caracterizada pela perda de água em excesso, assim como por apresentar maior propensão à descamação9, vermelhidão, aparecimento de pequenas rugas e fissuras10. A pele1 seca muitas vezes é, pois, uma pele1 desidratada. A propensão ao ressecamento pode ser causada por fatores genéticos, hormonais ou condições ambientais. A pele1 seca tem poros pouco visíveis. Essa pele1 apresenta aspecto áspero e sem brilho e tende ao ressecamento.

Pele1 oleosa

A pele1 oleosa é caracterizada pela produção de sebo em quantidades maiores que o normal. Apresenta brilho intenso, alta umidade e sensação pegajosa. Os poros normalmente são dilatados e irregulares e devido à oleosidade excessiva as pessoas com esse tipo de pele1 têm maior probabilidade de ter acne11, cravos e espinhas. Geralmente, a pessoa com pele1 oleosa sente que, ao longo do dia, o brilho excessivo começa a incomodar e há necessidade de lavar, secar ou passar pó compacto no rosto todo. Ela pode vir a ficar oleosa por alterações hormonais ou ambientais.

Pele1 mista

A pele1 mista é o tipo de pele1 mais comum. Ela tem aparência oleosa na chamada zona T da face12 (testa, nariz13 e queixo) e de pele1 seca nas extremidades e bochechas. Apresenta uma espessura mais fina, o que a torna mais susceptível à descamação9 e ao aparecimento de rugas finas e envelhecimento precoce. É caracterizada também por poros dilatados.

Saiba mais sobre "Acne11", "Cravos" e "Envelhecimento saudável".

Pele1 sensível

A pele1 sensível é um tipo de pele1 bastante frágil e irritável que fica facilmente com tom avermelhado e apresenta coceira, mancha, ardor14 e sensação de picada após situações como aplicação de novos produtos, assim como outros fatores ambientais: exposição prolongada ao vento, sol e frio e uso excessivo de cosméticos. É uma pele1 com pouca tolerância e com uma derme15 muito vascularizada e, por isso, propensa a reagir quando está em contato com diversas substâncias.

Quais são os cuidados mais adequados para cada tipo de pele1?

Para a limpeza da pele1 normal deve ser utilizado sabonete neutro ou loção de limpeza e finalizada com um tonificante suave e sem álcool. A maquiagem deve ser constituída de bases e hidratantes. Já o blush deve ser em pó, mousse ou cremoso. O protetor solar deve ser uma emulsão ou creme e é indicado usar hidratante quinze minutos antes de aplicar o protetor.

A limpeza da pele1 seca deve ser feita, de preferência, com leites ou loções de limpeza. A maquiagem deve ter uma base líquida, cremosa ou com consistência de mousse. Já o blush pode ser líquido, cremoso ou um mousse. Assim como no caso da pele1 normal, o protetor solar para pele1 seca deve ser em emulsão ou creme. É indicado usar hidratante quinze minutos antes de aplicar o filtro solar.

A limpeza da pele1 oleosa deve ser feita com água e sabonete. De preferência usar sabonetes antissépticos16. No entanto, esses sabonetes não devem ser utilizados diariamente e com exclusividade para que não removam componentes necessários à proteção da pele1. Loções adstringentes e geis esfoliantes podem ser usados semanalmente. É importante que a maquiagem seja livre de óleo. Então, devem ser utilizadas bases compactas ou líquidas. Já o blush em pó e o pó compacto disfarçam a oleosidade, mas devem ser livres de óleo para não obstruir os poros. O protetor solar deve ter consistência em gel e ser à base de água.

A limpeza da pele1 mista deve ser feita com loções desengordurantes. A maquiagem deve ser basicamente a mesma que para a pele1 normal. Já quanto ao protetor solar, a recomendação é a mesma dada para quem tem pele1 oleosa.

Para limpeza da pele1 sensível devem ser utilizados produtos sem álcool. Para maquiagem deve ser utilizada base mineral e o blush deve ser mineral ou em mousse. O protetor solar para pele1 sensível não deve conter óleo em sua fórmula.

Veja também sobre "Protetor solar", "Unhas5 quebradiças", "Acne11 na mulher adulta", "Queda de cabelos" e "Melasma17".

 

ABCMED, 2017. Tipos de pele. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/1301918/tipos+de+pele.htm>. Acesso em: 6 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Glândulas Sebáceas: Órgãos formados por pequenas bolsas, localizados na DERME. Cada glândula apresenta um único ducto que emerge de um grupo de alvéolos ovais. Cada alvéolo é constituído por uma membrana basal transparente, encerrando células epiteliais. Os ductos da maior parte das glândulas sebáceas se abrem nos folículos pilosos, porém alguns se abrem na superfície da PELE. Glândulas sebáceas secretam SEBO.
4 Glândulas sudoríparas: As glândulas sudoríparas são glândulas responsáveis pela produção e transporte do suor, atuando como regulador térmico. São constituídas por um fino e longo tubo que no início se enovela, chamado corpo da glândula. O suor é composto de água, sais minerais e um pouco de ureia e é drenado pelo ducto das glândulas sudoríparas.
5 Unhas: São anexos cutâneos formados por células corneificadas (queratina) que formam lâminas de consistência endurecida. Esta consistência dura, confere proteção à extremidade dos dedos das mãos e dos pés. As unhas têm também função estética. Apresentam crescimento contínuo e recebem estímulos hormonais e nutricionais diversos.
6 Elasticidade: 1. Propriedade de um corpo sofrer deformação, quando submetido à tração, e retornar parcial ou totalmente à forma original. 2. Flexibilidade, agilidade física. 3. Ausência de senso moral.
7 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
8 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
9 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
10 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
11 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
12 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
13 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
14 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
15 Derme: Camada interna das duas principais camadas da pele. A derme é formada por tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, glândulas sebáceas e sudoríparas, nervos, folículos pilosos e outras estruturas. É constituída por uma fina camada superior que é a derme papilar e uma camada mais grossa, mais baixa, que é a derme reticular.
16 Antissépticos: Que ou os que impedem a contaminação e combatem a infecção.
17 Melasma: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.