Gostou do artigo? Compartilhe!

Acne na mulher adulta

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é acne1 na mulher adulta?

A acne1 é uma doença inflamatória da pele2 que provoca o surgimento de espinhas e, às vezes, de manchas. Apesar de muito comum durante a adolescência, também acomete a mulher adulta.

Quais são as causas da acne1 na mulher adulta?

A acne1 é provocada principalmente por alterações hormonais e agravada por fatores diversos como má alimentação, estresse, tabagismo, cafeína, utilização de determinados medicamentos, uso inadequado de cosméticos e até mesmo por excesso de vitaminas ou exposição ao sol. A acne1 também pode ser um problema genético.

Os principais eventos de risco conhecidos são a síndrome3 dos ovários4 policísticos, que pode ou não estar associada ao hiperandrogenismo (excesso de hormônios masculinos), obesidade5, diabetes6, pacientes que tenham síndrome metabólica7, mulheres com história de acne1 na adolescência e aquelas que tenham pele2 oleosa.

Saiba mais sobre "Acne1 na adolescência", "Ovários4 policísticos", "Síndrome metabólica7", "Diabetes mellitus8" e "Obesidade5".

Qual é o mecanismo fisiológico9 da acne1 na mulher adulta?

Em geral, a acne1 acontece por uma produção aumentada de hormônios masculinos, mas mesmo mulheres com níveis normais de hormônios androgênicos10 podem apresentar acne1, por uma sensibilidade aumentada dos receptores desses hormônios na pele2. Quatro fatores são envolvidos na produção da acne1:

  1. O sebo, cuja produção é estimulada por níveis elevados de hormônios masculinos ou sensibilidade aumentada dos receptores destes hormônios.
  2. Obstrução dos ductos foliculares, pelo acúmulo de células11 mortas combinadas com o sebo, formando comedões (cravos).
  3. As bactérias Propionibacterium acnes, que proliferam em excesso quando as glândulas12 são obstruídas com sebo.
  4. Quando há inflamação13 provocada pelo sebo modificado, formando as espinhas.

Quais são as principais características clínicas da acne1 na mulher adulta?

A acne1 na mulher adulta ocorre a partir dos 25 anos, podendo ter início aí ou ter persistido desde a adolescência. Isso acontece devido a uma produção maior de hormônios masculinos nesta faixa etária. As lesões14 acometem principalmente a mandíbula15 e o queixo e pioram perto da menstruação16.

Algumas situações fisiológicas17 em que há aumento de testosterona, como menstruação16, gestação, menopausa18 e estresse agravam a acne1. O estresse também leva a um aumento de cortisol, o qual aumenta a atividade das glândulas sebáceas19. Dietas com alto consumo de laticínios e carnes pioram a acne1 por causa dos hormônios usados na criação de animais. Por esse ângulo, o consumo de alimentos orgânicos seria benéfico.

Leia sobre "Menstruação16", "Perguntas que as grávidas fazem", "Menopausa18" e "Como lidar com o estresse".

Como o médico diagnostica a acne1 na mulher adulta?

A acne1 produz sinais20 típicos na pele2 e pode ser diagnosticada por uma visão21 direta das lesões14.

Como o médico trata a acne1 na mulher adulta?

O tratamento da acne1 pode ser feito com produtos tópicos. É importante lavar o rosto com sabonetes que controlam a oleosidade, pelo menos duas vezes por dia. Além disso, os contraceptivos hormonais combinados costumam ser muito úteis.

Peelings químicos ajudam na resolução das lesões14. Terapias com lasers possuem ação anti-inflamatória. Deve-se passar um adstringente suave e aplicar filtro solar com hidrossolúvel associado a produtos secativos. Cremes e maquiagens com bases oleosas podem obstruir os poros, por isso os produtos na forma de gel devem ser preferidos.

A exposição solar também pode aumentar a inflamação13 e piorar a acne1, além de causar manchas e cicatrizes22 hipercrômicas. Também não se deve “tirar” as espinhas. A prática de espremer espinhas machuca tanto que a lesão23 só piora e aumenta as cicatrizes22.

Na alimentação, devem ser retirados os hidratos de carbono refinados, como o açúcar24 e a farinha branca, ácidos gordos, como leite e laticínios em suas versões integrais, margarinas e óleos vegetais hidrogenados, cafeína e carnes vermelhas, por conterem altos teores de proteínas25.

Como prevenir a acne1 na mulher adulta?

Mesmo que não haja uma prevenção absoluta, a acne1 pode ser minimizada (1) regulando a secreção sebácea com pílulas anticoncepcionais, substâncias anti-andrógenas e ativos aplicados diretamente na pele2; (2) diminuindo a obstrução dos folículos pilossebáceos com a ajuda de sabonetes esfoliantes; (3) reduzindo a proliferação de bactérias P. Acnes e utilizando antibióticos tópicos prescritos por dermatologistas e luz azul e (4) controlando a inflamação13 com antibióticos orais, quando bem indicados.

Veja também sobre "Pílulas anticoncepcionais" e "Alimentação saudável".

 

ABCMED, 2017. Acne na mulher adulta. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/1291508/acne+na+mulher+adulta.htm>. Acesso em: 16 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
4 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
5 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
6 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
7 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
8 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
9 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
10 Androgênicos: Relativos à androgenia e a androgênios. Androgênios são hormônios esteroides, controladores do crescimento dos órgãos sexuais masculinos. O hormônio natural masculino é a testosterona.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
13 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
14 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
15 Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores. Sinônimos: Forame Mandibular; Forame Mentoniano; Sulco Miloióideo; Maxilar Inferior
16 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
17 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
18 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
19 Glândulas Sebáceas: Órgãos formados por pequenas bolsas, localizados na DERME. Cada glândula apresenta um único ducto que emerge de um grupo de alvéolos ovais. Cada alvéolo é constituído por uma membrana basal transparente, encerrando células epiteliais. Os ductos da maior parte das glândulas sebáceas se abrem nos folículos pilosos, porém alguns se abrem na superfície da PELE. Glândulas sebáceas secretam SEBO.
20 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
21 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
22 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
23 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
24 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
25 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.