Gostou do artigo? Compartilhe!

Sexo do bebê: como é o exame para saber se é menino ou menina?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é sexagem fetal?

O exame de sexagem fetal permite descobrir o sexo do bebê já a partir da 8ª semana de gravidez1 com quase 100% de certeza e não ter de esperar até mais ou menos a 17ª semana de gestação para a realização de uma ultrassonografia2 capaz (ou não) de revelar o sexo do bebê. O exame pode ser feito mesmo antes da 8ª semana, mas os resultados não terão o mesmo grau de certeza.

Saiba mais sobre "Sexo do bebê" e "Ultrassonografia2 na gravidez1".

Por que fazer a sexagem fetal?

Logo que constatada a gravidez1, os pais se mostram muito curiosos e ansiosos quanto ao sexo do bebê, e não é só curiosidade e ansiedade. Desde o início da gravidez1 existem motivos práticos para desejar saber o sexo do bebê. A preparação do enxoval, a montagem do quartinho, a escolha de um nome, etc. dependem, em certa medida pelo menos, do sexo da criança.

Alguns pais ou mães manifestam desde logo suas preferências quanto ao sexo do bebê, outros ficam no famoso “tanto faz”. Mas é de se crer que, embora recebendo o bebê de modo afetuoso, seja qual for o seu sexo, todo pai ou mãe tem uma tendência secreta por preferir que seja menina ou menino.

Leia sobre "Amniocentese3", "Biópsia4 de vilocorial", "Sintomas5 Precoces de Gravidez1", "Pré-natal" e "Peso normal de um bebê durante a gestação".

Como o exame é realizado?

O exame é muito simples e não invasivo. Consiste apenas em colher uma amostra de sangue6 da mãe, de mais ou menos 20 ml, na qual será analisado o DNA do feto7. Não exige jejum nem qualquer outra preparação para a sua realização. O cientista chinês Y. Dennis Lo descobriu que no plasma8 materno existe DNA do feto7, transferido pela placenta, e a partir dessa descoberta conseguiu-se saber se esse DNA contém ou não o cromossomo9 sexual Y (masculino).

O que significa o resultado da sexagem fetal?

Se for detectado o cromossomo9 Y, o feto7 é masculino. Se não existir cromossomo9 Y, o bebê será do sexo feminino. Em caso de gêmeos, temos as seguintes possibilidades: se forem gêmeos univitelinos, idênticos, que terão o mesmo sexo, o mesmo resultado é válido para os dois bebês10: se o exame mostrar cromossoma Y os dois bebês10 serão do sexo masculino. Se não houver cromossoma Y, os dois bebês10 serão do sexo feminino.

No caso de gêmeos bivitelinos, se o resultado indicar a presença do cromossoma Y, ao menos um dos gêmeos será menino. Se houver ausência do cromossomo9 Y, ambos serão meninas. É importante lembrar que o exame não é confiável caso a gestante já tenha recebido transfusão11 de sangue6 ou transplante de órgão de outro homem que não o pai.

Veja também sobre "Perguntas que as grávidas fazem", "Parto vaginal" e "Gestação semana a semana".

 

ABCMED, 2018. Sexo do bebê: como é o exame para saber se é menino ou menina?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/gravidez/1312598/sexo-do-bebe-como-e-o-exame-para-saber-se-e-menino-ou-menina.htm>. Acesso em: 24 set. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
3 Amniocentese: Consiste na obtenção do líquido amniótico que banha o feto através da punção da cavidade amniótica. Realizada entre 15 a 18 semanas de gravidez, para avaliar problemas genéticos do bebê.
4 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
5 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
6 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
7 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
8 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
9 Cromossomo: Cromossomos (Kroma=cor, soma=corpo) são filamentos espiralados de cromatina, existente no suco nuclear de todas as células, composto por DNA e proteínas, sendo observável à microscopia de luz durante a divisão celular.
10 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
11 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.