Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é a Doença de Ménière?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a Doença de Ménière?

A doença de Ménière se caracteriza por um aumento crônico1 e progressivo da pressão do líquido no interior do labirinto2 (parte do ouvido interno3). Seu nome foi dado em homenagem ao médico francês Prosper Ménière, quem primeiro descreveu a condição. Geralmente esse aumento de pressão ocorre apenas em um dos lados do ouvido (90% dos casos), mas pode ocorrer em ambos os lados. Como no labirinto2 tanto há células4 auditivas quanto células4 responsáveis pelo equilíbrio, a doença causa transtornos nessas duas áreas da fisiologia5, podendo levar à perda da audição. Sinais6 e sintomas7 semelhantes podem ocorrer também nos distúrbios cardiovasculares ou na arterioesclerose8 cerebral. A verdadeira doença de Ménière cursa com alterações histopatológicas típicas no labirinto2, o que essas outras alterações não têm. Entretanto, é costumeiro usar-se a denominação síndrome9 de Ménière para todas as vertigens10 labirínticas, mesmo quando não associadas àquelas alterações. Nesses casos também se usa falar labirintite11. Embora a doença de Ménière não seja a mesma coisa que a labirintite11, pode ser causa dela.

Labirintite11 é um termo popularmente usado para referir-se a um conjunto de sintomas7 que partem do labirinto2, como tonturas12, falta de equilíbrio, zumbido, etc. Comumente fala-se de síndrome9 de Ménière ou de labirintite11 quando as crises são esporádicas e sem sequência e o problema não é crônico1. A doença de Ménière se refere a crises labirínticas repetitivas sem uma condição subjacente determinante.

Quais são as causas da Doença de Ménière?

Ainda não se conhece com precisão as causas da doença ou da síndrome9 de Ménière, mas sabe-se da relação entre o problema e algumas doenças sistêmicas como diabetes13, hipertensão arterial14, enxaqueca15, doenças autoimunes16 e infecção17 pelo vírus18 do herpes. Pessoas que atravessaram uma grande variação de pressão atmosférica ou que sofreram trauma no crânio19 podem apresentar sintomas7 da síndrome9 de Ménière.

Quais são os principais sinais6 e sintomas7 da Doença de Ménière?

Os sinais6 e sintomas7 mais comuns da doença ou síndrome9 de Ménière aparecem durante as crises e são: vertigens10 e perda do equilíbrio, zumbidos no ouvido, náuseas20, vômitos21 e perda auditiva. O zumbido em geral é de baixa intensidade e referido como um murmúrio ou ronco; a surdez é do tipo de recepção; a vertigem22 quase sempre é tardia e tem início súbito, durando minutos ou horas. O início da doença é mais comum na meia-idade e se não tratada pode persistir indefinidamente.

Como o médico diagnostica a Doença de Ménière?

O diagnóstico23 da doença de Ménière deve ser feito com base na história clínica e nos sinais6 e sintomas7 exibidos pelos pacientes. Segundo a Academia Americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça24 e Pescoço25, três sintomas7 são essenciais para estabelecer o diagnóstico23:

  1. Crises de vertigem22 rotatória com duração mínima de 20 minutos cada uma.
  2. Perda auditiva demonstrada por uma audiometria26.
  3. Zumbido ou pressão no ouvido.

Como o médico trata a Doença de Ménière?

A doença de Ménière não tem uma cura cabal e definitiva. O tratamento mais imediato consiste em tentar controlar, através de remédios, os desagradáveis sintomas7 das crises. Em sequência, deve-se tentar tratar ou controlar as causas delas. Se for possível identificar as causas, o tratamento pode evitar as crises. A perda auditiva permanente deve ser corrigida com aparelho auditivo. Em raros casos de manifestações intensas da doença de Ménière, em que não há melhora clínica, pode ser feita uma cirurgia de descompressão27 do líquido que circula dentro do labirinto2, mas esta cirurgia não tem resultados garantidos.

Como evolui a Doença de Ménière?

A repetição das crises pode tornar a indivíduo incapacitado para suas tarefas cotidianas.

Se as crises forem frequentes e mal controladas, o paciente pode ter perda progressiva de audição, sendo necessário o uso de aparelho auditivo.

Após certo número de crises sucessivas, o zumbido no ouvido pode tornar-se permanente.

ABCMED, 2013. O que é a Doença de Ménière?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/508894/o+que+e+a+doenca+de+meniere.htm>. Acesso em: 18 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
2 Labirinto: 1. Vasta construção de passagens ou corredores que se entrecruzam de tal maneira que é difícil encontrar um meio ou um caminho de saída. 2. Anatomia: conjunto de canais e cavidades entre o tímpano e o canal auditivo, essencial para manter o equilíbrio físico do corpo. 3. Sentido figurado: coisa complicada, confusa, de difícil solução. Emaranhado, imbróglio.
3 Ouvido interno: Atualmente denominado orelha interna está localizado na porção petrosa do osso temporal, recebe terminações nervosas do nervo coclear e vestibular, sendo parte essencial dos órgãos da audição e equilíbrio. É constituído de três estruturas: labirinto membranoso (endolinfático), labirinto ósseo (perilinfático) e cápsula ótica.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
6 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
7 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
8 Arterioesclerose: Doença degenerativa da artéria devido à destruição das fibras musculares lisas e das fibras elásticas que a constituem, levando a um endurecimento da parede arterial, geralmente produzido por hipertensão arterial de longa duração ou pelo envelhecimento.
9 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
10 Vertigens: O termo vem do latim “vertere” e quer dizer rodar. A definição clássica de vertigem é alucinação do movimento. O indivíduo vê os objetos do ambiente rodarem ao seu redor ou seu corpo rodar em relação ao ambiente.
11 Labirintite: Doença que pode acometer tanto o equilíbrio, quanto a parte auditiva. Os órgãos responsáveis pelo equilíbrio e pela audição estão situados no ouvido interno e se comunicam com o sistema nervoso central através dos nervos da audição e do nervo vestibular. Doenças infecciosas, inflamatórias, tumorais e alterações genéticas podem ocasionar alterações nessas estruturas anatômicas. Além da vertigem, a labirintite pode apresentar manifestações neurovegetativas - náuseas, vômitos, sudorese e alterações gastrintestinais como também estar associada a manifestações auditivas - perda de audição, sensação de ouvido cheio ou tapado e zumbido.
12 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
13 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
14 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
15 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
16 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
17 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
18 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
19 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
20 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
21 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Vertigem: Alucinação de movimento. Pode ser devido à doença do sistema de equilíbrio, reação a drogas, etc.
23 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
24 Cabeça:
25 Pescoço:
26 Audiometria: Método utilizado para estudar a capacidade e acuidade auditivas perante diferentes freqüências sonoras.
27 Descompressão: Ato ou efeito de descomprimir, de aliviar o que está sob efeito de pressão ou de compressão.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Otorrinolaringologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.