Gostou do artigo? Compartilhe!

Sangue na urina - Você sabe o que é hematúria e por que ela acontece?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hematúria1?

Hematúria1 é a perda de sangue2 pela urina3. Normalmente há a presença de algum sangue2 na urina3, mas em muito pequena quantidade. Diz-se que há hematúria1 quando se constata a presença de cinco ou mais hemácias4 por campo da análise microscópica do sedimento urinário, confirmada em pelo menos duas amostras de urina3. Diz-se que a hematúria1 é macroscópica quando há perda visível de grande quantidade de sangue2 pela urina3, o que confere a ela uma coloração avermelhada clara (cor de caldo de carne) ou marrom (cor de coca-cola), quando o sangramento for intenso. Alguns alimentos, como beterraba, páprica e ruibarbo e algumas medicações podem alterar a cor da urina3 e dar uma falsa impressão de hematúria1. Diz-se que ela é microscópica quando apenas há perda de pequena quantidade de sangue2, não havendo alteração da cor da urina3. A hematúria1 microscópica só pode ser diagnosticada por uma análise feita ao microscópio. A hematúria1 é um sinal5 que não pode ser ignorado, porque tanto pode dever-se a algo simples e fisiológico6, como um exercício físico mais intenso, como a algo grave, como um tumor7, por exemplo. Em geral, a hematúria1 sinaliza alguma doença dos rins8 ou do trato urinário9, mas também pode dever-se a uma causa extra-urinária, como uma doença hematológica ou metabólica, por exemplo.

Quais são as causas mais comuns de hematúria1?

As hematúrias podem ter causas muito simples, transitórias e fisiológicas10, como menstruação11, exercícios físicos e atividade sexual, ou outras, patológicas e, por vezes, graves. As hematúrias patológicas podem ter causas imunológicas, inflamatórias, infecciosas, traumáticas ou tóxicas. Algumas hematúrias se devem a problemas glomerulares (glomerulonefrites). Enquanto outras são devido a causas extraglomerulares (hematológicas, trombose12 da veia renal13, anomalias genéticas, medicamentos, doenças metabólicas, cálculo14 renal13, doenças renais, tumores etc.).

As causas mais frequentes de hematúria1 são:

Para concluir sobre as causas da hematúria1, o médico avaliará se o sangramento ocorre no início ou no final da micção16, se a cor da urina3 é apenas rosada ou marrom, se há ou não a presença de coágulos, qual a periodicidade do sangramento, qual a relação dele com exercícios físicos, etc.

Cada um desses dados sugere características diferentes das possíveis causas das hematúrias, mas não há uma proporcionalidade entre a intensidade da hematúria1 e a gravidade da doença causal. Mesmo uma hematúria1 leve pode sinalizar uma enfermidade muito importante e vice-versa. No entanto, uma urina3 avermelhada nem sempre significa a presença de sangue2. Há muitas outras condições patológicas (hemoglobinúria, mioglobinúria, doenças metabólicas como a porfiria17, etc.), além de medicações e alimentos que podem colorir a urina3 de vermelho. Nesses casos, o exame de laboratório não acusará a presença de hemácias4.

Como o médico diagnostica as causas da hematúria1?

Além da história clínica e do exame físico, podem ser realizados exames de imagens, como ultrassonografia18, uretrocistografia e a urografia19 excretora. Em alguns casos, pode ser feita uma biópsia20 renal13. O próprio exame de urina21 pode sugerir algumas causas da hematúria1. A presença de albumina22 sugere nefrites, a de bactérias e leucócitos23 indica uma infecção24, a de glicose25 é um alerta para diabetes26, etc. A dosagem de creatinina27 sérica permite uma avaliação da função renal13. O hemograma ajuda a indicar uma possível anemia28, o coagulograma indica coagulopatias e a citologia urinária contribui para a detecção de tumores, se for o caso. Se forem detectados sinais29 de infecção24 urinária, deve-se proceder à urocultura.

Como o médico trata as hematúrias?

Uma hematúria1 eventual e isolada não requer tratamento e somente deve ser devidamente monitorada. Se estiver associada a alguma doença, o tratamento deve ser o dessa patologia30 de base. O tratamento cirúrgico pode ser necessário se houver malformação31 renal13, tumores ou cálculo14 renal13. Se a hematúria1 for de causa metabólica, uma dieta deve ser observada. Os exercícios físicos leves não precisam ser restringidos, a não ser que haja hematúria1 intensa. Se a hematúria1 macroscópica for incoercível, poderá produzir uma alteração hemodinâmica32 importante, que demanda prontas medidas médicas. O tratamento inicial deve ser realizado com sondagem vesical33 e irrigação contínua com soro34 fisiológico6.

ABCMED, 2013. Sangue na urina - Você sabe o que é hematúria e por que ela acontece?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/370464/sangue-na-urina-voce-sabe-o-que-e-hematuria-e-por-que-ela-acontece.htm>. Acesso em: 4 mar. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
2 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
3 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
4 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
5 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
6 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
7 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
8 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
9 Trato Urinário:
10 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
11 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
12 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
13 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
14 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
17 Porfiria: Constituem um grupo de pelo menos oito doenças genéticas distintas, além de formas adquiridas, decorrentes de deficiências enzimáticas específicas na via de biossíntese do heme, que levam à superprodução e acumulação de precursores metabólicos, para cada qual correspondendo um tipo particular de porfiria. Fatores ambientais, tais como: medicamentos, álcool, hormônios, dieta, estresse, exposição solar e outros desempenham um papel importante no desencadeamento e curso destas doenças.
18 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
19 Urografia: Método de diagnóstico radiológico que utiliza uma substância de contraste para visualizar a anatomia interna das vias excretoras do rim.
20 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
21 Exame de urina: Também chamado de urinálise, o teste de urina é feito através de uma amostra de urina e pode diagnosticar doenças do sistema urinário e outros sistemas do organismo. Alguns testes são feitos em uma amostra simples e outros pela coleta da urina durante 24 horas. Pode ser feita uma cultura da urina para verificar o crescimento de bactérias na urina.
22 Albumina: Proteína encontrada no plasma, com importantes funções, como equilíbrio osmótico, transporte de substâncias, etc.
23 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
24 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
26 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
27 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
28 Anemia: Condição na qual o número de células vermelhas do sangue está abaixo do considerado normal para a idade, resultando em menor oxigenação para as células do organismo.
29 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
30 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
31 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
32 Hemodinâmica: Ramo da fisiologia que estuda as leis reguladoras da circulação do sangue nos vasos sanguíneos tais como velocidade, pressão etc.
33 Vesical: Relativo à ou próprio da bexiga.
34 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

13/11/2014 - Comentário feito por Arnaldo
Orientação das mais importantes q...
Orientação das mais importantes que não podem deixar de ser observadas e avaliadas por médico especialista.

  • Entrar
  • Assinar