Gostou do artigo? Compartilhe!

Hérnias cerebrais: são graves?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são hérnias1 cerebrais?

Hérnias1 cerebrais são hérnias1 caracterizadas pelo avanço do tecido2 encefálico, líquido cefalorraquidiano3 (ou líquor4) e vasos sanguíneos5 para cavidades cranianas6 não originais, para o exterior da caixa craniana ou para o forame7 magno (abertura do osso occipital8 localizada no centro da fossa posterior do crânio9 que conecta o cérebro10 com a medula espinhal11).

Quais são as causas das hérnias1 cerebrais?

As hérnias1 cerebrais, em geral, são um efeito colateral12 do aumento da pressão intracraniana, mas algumas vezes ocorrem por um defeito congênito13 da formação do cérebro10 (encefalocele14). A hipertensão15 intracraniana pode ocorrer por um aumento da massa cerebral (hematomas16, hidrocefalia17, abscessos18, tumores, etc.), sendo agravada pela presença de um edema19 cerebral associado ou por fatores que atuem de forma difusa, como anóxia20 e processos inflamatórios.

Quais são os sinais21 e sintomas22 das hérnias1 cerebrais?

Os sintomas22 da hipertensão15 intracraniana dominam o quadro clínico das hérnias1 cerebrais. Eles se caracterizam basicamente por cefaleia23 que envolve toda a cabeça24, vômitos em jato25 e edema de papila26. Além dessa tríade clássica, podem ocorrer confusão mental ou coma27, crises convulsivas e sinais21 deficitários localizados, de acordo com a área atingida pela lesão28 como, por exemplo, hemiplegia29, afasia30 e hemianopsia31. Devido a esse aumento da pressão intracraniana, quase sempre o suprimento sanguíneo de parte do cérebro10 é interrompido, levando à morte.

Como o médico diagnostica as hérnias1 cerebrais?

O diagnóstico32 de uma hérnia33 cerebral se baseia tanto na história clínica do paciente, quanto no exame neurológico. Os sintomas22 de hipertensão15 endocraniana servem como um indicativo. A pressão intracraniana pode ser medida por meios objetivos. Os exames de imagem, sobretudo a ressonância magnética34, ajudam substancialmente no diagnóstico32.

Como o médico trata as hérnias1 cerebrais?

As hérnias1 cerebrais são uma emergência35 médica e, com o fim de neutralizar ou prevenir o efeito delas, o médico deve procurar diminuir a pressão intracraniana e a inflamação36 no cérebro10. Ele procura fazer isso por vários meios, tais como a colocação de dreno para extrair o líquido, se for o caso; uso de corticosteroides, para reduzir o edema19; medicamentos para eliminar líquidos do corpo, como manitol ou diuréticos37; intubação traqueal e aumento da frequência respiratória para reduzir os níveis de dióxido de carbono no sangue38; extração (geralmente cirúrgica) do sangue38 que esteja elevando a pressão intracraniana.

Como evoluem as hérnias1 cerebrais?

A evolução das hérnias1 cerebrais depende da sua natureza e da sua causa, bem como do lugar no cérebro10 em que a hérnia33 se apresentou. Muitas vezes, uma hérnia33 cerebral causa um acidente cerebrovascular grave, podendo haver danos a partes do cérebro10 que controlam a respiração e o fluxo sanguíneo e levar a problemas neurológicos e ao coma27 irreversível. Se as hérnias1 não forem tratadas com urgência39, a morte é bastante provável.

ABCMED, 2012. Hérnias cerebrais: são graves?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/309020/hernias-cerebrais-sao-graves.htm>. Acesso em: 22 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Hérnias: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
2 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
3 Líquido cefalorraquidiano: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
4 Líquor: Líquido cefalorraquidiano (LCR), também conhecido como líquor ou fluido cérebro espinhal, é definido como um fluido corporal estéril, incolor, encontrado no espaço subaracnoideo no cérebro e na medula espinhal (entre as meninges aracnoide e pia-máter). Caracteriza-se por ser uma solução salina pura, com baixo teor de proteínas e células, atuando como um amortecedor para o córtex cerebral e a medula espinhal. Possui também a função de fornecer nutrientes para o tecido nervoso e remover resíduos metabólicos do mesmo. É sintetizado pelos plexos coroidais, epitélio ventricular e espaço subaracnoideo em uma taxa de aproximadamente 20 mL/hora. Em recém-nascidos, este líquido é encontrado em um volume que varia entre 10 a 60 mL, enquanto que no adulto fica entre 100 a 150 mL.
5 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
6 Cavidades Cranianas: Grandes canais venosos revestidos por endotélio, situados entre as duas camadas da DURA-MATER, as camadas endóstea e meníngea. Não têm válvulas e são parte do sistema venoso da dura-máter. Entre os principais seios cranianos estão o grupo póstero-superior (como sagital superior, sagital inferior, plano, transverso e occipital) e um grupo ântero-inferior (como cavernoso, petroso e plexo basilar).
7 Forame: Mesmo que forâmen. Abertura, buraco, furo, cova. Na anatomia geral, é um orifício, abertura ou perfuração através de um osso ou estrutura membranosa.
8 Osso Occipital:
9 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
10 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
11 Medula Espinhal:
12 Efeito colateral: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
13 Congênito: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
14 Encefalocele: Defeito de fechamento do tubo neural, o qual pode ocorrer em qualquer local da região dorsal do embrião em gestação. Quando ocorre na região da cabeça recebe o nome de encefalocele. Há um herniação do tecido cerebral devido a um defeito congênito ou adquirido.
15 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
16 Hematomas: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
17 Hidrocefalia: Doença produzida pelo aumento do conteúdo de Líquido Cefalorraquidiano. Nas crianças pequenas, manifesta-se pelo aumento da cabeça, e nos adultos, pelo aumento da pressão interna do cérebro, causando dores de cabeça e outros sintomas neurológicos, a depender da gravidade. Pode ser devido a um defeito de escoamento natural do líquido ou por um aumento primário na sua produção.
18 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
19 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
20 Anóxia: Diminuição acentuada da concentração de oxigênio a nível celular. Pode ser devido a um problema nos mecanismos respiratórios (p. ex. apnéia, edema de glote, etc) ou devido a problemas nas trocas de oxigênio a nível celular.
21 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
22 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Cefaleia: Sinônimo de dor de cabeça. Este termo engloba todas as dores de cabeça existentes, ou seja, enxaqueca ou migrânea, cefaleia ou dor de cabeça tensional, cefaleia cervicogênica, cefaleia em pontada, cefaleia secundária a sinusite, etc... são tipos dentro do grupo das cefaleias ou dores de cabeça. A cefaleia tipo tensional é a mais comum (acomete 78% da população), seguida da enxaqueca ou migrânea (16% da população).
24 Cabeça:
25 Vômitos em jato: São vômitos explosivos, que podem denotar aumento da pressão intracraniana e indicar risco de vida iminente.
26 Edema de papila: Termo utilizado para designar uma alteração oftalmoscópica caracterizada pelo velamento e elevação das margens da papila ou disco do nervo óptico. É um quadro sindrômico que ocorre em uma série de afecções do nervo óptico.
27 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
28 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
29 Hemiplegia: Paralisia da metade do corpo. Compromete a metade da face, braço e pernas do mesmo lado. Relaciona-se a infartos, hemorragias ou tumores do sistema nervoso central.
30 Afasia: Sintoma neurológico caracterizado pela incapacidade de expressar-se ou interpretar a linguagem falada ou escrita. Pode ser produzida quando certas áreas do córtex cerebral sofrem uma lesão (tumores, hemorragias, infecções, etc.). Pode ser classificada em afasia de expressão ou afasia de compreensão.
31 Hemianopsia: Perda de percepção da metade do campo visual. Hemiopia.
32 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
33 Hérnia: É uma massa circunscrita formada por um órgão (ou parte de um órgão) que sai por um orifício, natural ou acidental, da cavidade que o contém. Por extensão de sentido, excrescência, saliência.
34 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
35 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
36 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
37 Diuréticos: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
38 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
39 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Neurocirurgia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

28/11/2013 - Comentário feito por adriene
Re: Hérnias cerebrais: são graves?
Isso quer dizer que depois desse tratamento, com base principalmente na diminuição dos sinais de PIC, as herniações cerebrais somem, ou mesmo voltam ao normal?

04/09/2013 - Comentário feito por ALAN
Re: Hérnias cerebrais: são graves?
Numa linguagem acessível, nos faz compreender a gravidade do problema e a necessidade do diagnóstico rápido e correto. Parabéns pelo texto.

18/07/2012 - Comentário feito por MARCOS
Re: Hérnias cerebrais: são graves?
QUERO PARABENIZAR A TODOS OS ENVOLVIDOS NESTA DIVULGAÇÃO POIS SEI QUE COM CERTEZA ELA AJUDARÁ A MUITAS PESSOAS QUE ESTÃO VIVENDO ESSE PROBLEMA NESTE EXATO MOMENTO........
E PEDIR QUE CONTINUEM DIVULGANDO E INFORMANDO O POVO O MUNDO POIS O QUE MUITAS VEZES NOS FALTA É A INFORMAÇÃO....MEU MUITO OBRIGADO !

  • Entrar
  • Assinar