Gostou do artigo? Compartilhe!

Doenças transmitidas pelo beijo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O beijo é um ato carinhoso ou amoroso que identifica uma grande intimidade entre as pessoas, mas é também uma troca de germes (bactérias e vírus1) contidos na saliva e na mucosa2 oral das pessoas envolvidas. O beijo, além do contato das mucosas3 orais, implica numa proximidade física que favorece também a transmissão aérea.

Praticamente todas as doenças que podem ser transmitidas por via aérea, a partir de gotículas de saliva expelidas quando uma pessoa tosse, espirra ou simplesmente respira podem, com eficiência ainda maior, serem transmitidas pelo beijo. As pessoas que se beijam normalmente têm outros contatos estreitos entre si, o que também facilita a transmissão de doenças infecciosas.

Quais são as doenças transmitidas pelo beijo?

Grande parte das infecções4 por vírus1 ou bactérias podem ser transmitidas pelo beijo, embora essa não seja a principal forma de transmissão delas. Entre elas, contam-se:

Resfriados

Muitos vírus1 diferentes podem causar o resfriado comum e outras infecções4 do trato respiratório superior. Eles podem ser disseminados por gotículas no ar e por meio do contato direto com secreções que contenham os vírus1, como a saliva.

Mononucleose infecciosa5

A mononucleose infecciosa5 é uma infecção6 viral também conhecida como “doença do beijo”, causada pelo vírus1 Epstein-Barr. O vírus1 é transmitido pela saliva e a infecção6 ocorre por contato.

Infecção6 por vírus1 do herpes

Os vírus1 que fazem parte da família do herpes incluem o Epstein-Barr, a varicela7-zoster8 (que pode causar varicela7) e o herpes simples (que pode causar herpes labial).

Hepatite9 B

O beijar também pode transmitir o vírus1 da hepatite9 B, embora o sangue10 tenha níveis mais altos desse vírus1 que a saliva. A infecção6 pode ocorrer quando a saliva entra em contato direto com as membranas mucosas3 de outra pessoa. É mais provável que uma pessoa seja infectada ao beijar se tiver lesões11 mucosas3 abertas na boca12.

Verrugas

As verrugas na boca12 podem se espalhar através do beijo, especialmente se houver áreas de trauma recente na mucosa2 bucal.

Doença meningocócica

A doença meningocócica é uma condição potencialmente fatal que inclui meningite13 e septicemia14. Estas bactérias podem se espalhar através de contato direto ou através de gotículas. Estudos mostram que, com relação ao beijo, apenas o beijo profundo parece ser um fator de risco15.

Cárie dentária

As bactérias que causam a cárie dentária não são encontradas na boca12 dos recém-nascidos. A boca12 de um bebê (ou de uma criança maior) deve ser colonizada com saliva infectada, que pode ser passada por um beijo nos lábios.

Sífilis16

Uma das características da sífilis16 é o desenvolvimento de lesões11 na boca12. Essas lesões11 tornam a sífilis16 transmissível através do beijo. O beijo não é a maneira mais comum de transmitir a sífilis16.

Gengivite17

Cada pessoa tem uma flora bacteriana natural em seu ambiente oral. Quando alguém beija, podem passar bactérias através do beijo, o que pode resultar em gengivite17.

 

Também a gonorreia18, a clamídia e o HIV19 podem ser transmitidos através da saliva, mas a possibilidade que isso aconteça é tão remota que muitas vezes essa via de transmissão nem é considerada. O risco de transmissão muda se a pessoa tiver um corte ou alguma outra lesão20 na mucosa2 bucal.

Saiba mais sobre "Mononucleose infecciosa5", "Hepatite9 B", "Sífilis16", "AIDS" e "Meningite13".

 

ABCMED, 2018. Doenças transmitidas pelo beijo. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1319378/doencas-transmitidas-pelo-beijo.htm>. Acesso em: 27 jan. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
3 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Mononucleose infecciosa: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
6 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. É contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.
8 Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster). Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite, com dores importantes.
9 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
10 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
11 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
12 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
13 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
14 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
15 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
16 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
17 Gengivite: Condição em que as gengivas apresentam-se com sinais inflamatórios e sangramentos.
18 Gonorreia: Infecção bacteriana que compromete o trato genital, produzida por uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae. Produz uma secreção branca amarelada que sai pela uretra juntamente com ardor ao urinar. É uma causa de infertilidade masculina.Em mulheres, a infecção pode não ser aparente. Se passar despercebida, pode se tornar crônica e ascender, atingindo os anexos uterinos (trompas, útero, ovários) e causar Doença Inflamatória Pélvica e mesmo infertilidade feminina.
19 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
20 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.