Gostou do artigo? Compartilhe!

Alergia às proteínas do leite de vaca

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são alergias às proteínas1 do leite de vaca?

As alergias às proteínas1 do leite de vaca ou APLV são as alergias alimentares infantis mais comuns e afetam de 1,9% a 4,9% dos bebês2. Elas são uma resposta do sistema imunológico3 a uma ou ambas as proteínas1 do leite. As alergias às proteínas1 do leite de vaca não devem ser confundidas com intolerância à lactose4, que é a incapacidade de digerir o açúcar5 do leite.

As APLVs podem ser divididas em (1) alergias mediadas pela imunoglobulina6 E [IgE], (2) alergias não mediadas pela IgE ou (3) alergias mistas.

Saiba mais sobre "Intolerância à lactose4", "Alergia7 alimentar" e "Testes alérgicos".

Quais são as causas da alergia7 às proteínas1 do leite de vaca?

A causa não é totalmente conhecida, mas acredita-se-se que elas se devem a um contato com o alergeno8 alimentar, predisposição genética ou a um excesso de cuidados em relação à higiene pelos quais uma criança pode passar, já que tendo pouco contato com agentes infecciosos, o desenvolvimento do seu sistema imunológico3 pode ficar alterado.

Quais são as principais características clínicas da alergia7 às proteínas1 do leite de vaca?

Embora sejam mais comuns em bebês2 alimentados com leite de vaca, os sintomas9 de alergia7 podem se fazer presentes também em bebês2 amamentados ao seio10.

Existem três áreas principais em que os sintomas9 se desenvolvem: trato gastrointestinal, vias respiratórias e vias cutâneas11 (pele12).

As alergias mediadas pela IgE aparecem de segundos até duas horas após a ingestão do leite e são assim denominadas pois o organismo produz anticorpos13 específicos para as proteínas1 do leite de vaca. São reações mais persistentes e mais graves que as não mediadas pela IgE. Os sintomas9 gerados são urticárias (placas14 vermelhas disseminadas, associadas com coceiras), angioedema15 (inchaço16 dos lábios e/ou dos olhos17), vômitos em jato18 e/ou diarreia19 após a ingestão do leite, anafilaxia20, chiado no peito21 e respiração difícil.

Leia sobre "Amamentação22", "Asma23 brônquica", "Dermatite24 atópica", "Edema25 de Quincke" e "Urticária26".

As alergias não mediadas pela IgE levam a reações mais tardias, que podem aparecer horas ou dias após a ingestão do leite. Elas são mediadas por células27 que não produzem anticorpos13 IgE. Crianças com esse tipo de reação normalmente desenvolvem tolerância ao leite antes que as demais. Os principais sintomas9 das alergias não mediadas pela IgE são vômitos28 tardios, diarreia19 com a presença de muco e sangue29, sangue29 nas fezes, cólicas30, intestino preso, baixo ganho de peso e baixo crescimento, inflamação31 do intestino, assaduras e/ou fissuras32 perianais.

Nas formas mistas há uma associação das duas condições citadas anteriormente e pode surgir ainda dermatite24 atópica moderada ou grave, asma23, refluxo gastroesofágico33, inflamação31 do esôfago34, inflamação31 do estômago35, gastrite36, diarreia19, dor abdominal, baixo ganho de peso e baixo crescimento.

Veja mais sobre "Sangue29 nas fezes do bebê", "Constipação37", "Assaduras em bebês2" e "Fissuras32 anais".

Como o médico diagnostica a alergia7 às proteínas1 do leite de vaca?

O diagnóstico38 médico pode não ser fácil e levar algum tempo para ser definido. O médico precisa ter como base a história clínica do paciente e os sinais39 e sintomas9 exibidos pela criança. Em alguns casos, podem ser pesquisados os anticorpos13 específicos, porém nas alergias não mediadas pela IgE não é possível fazer o diagnóstico38 a partir dos exames de sangue29, uma vez que estes exames identificam apenas os anticorpos13 IgE.

Qual é a diferença entre alergia7 e intolerância ao leite?

A alergia7 alimentar é muito menos comum do que a intolerância alimentar e é a mais grave das duas condições. No entanto, alguns dos sintomas9 são muito semelhantes. Uma diferença é que a alergia7 envolve uma reação imune, enquanto a intolerância não envolve o sistema imunológico3.

A alergia7 é causada pelo fato de que uma proteína do leite é reconhecida como uma substância estranha ao organismo e desencadeia uma reação do sistema imunológico3 ou é uma reação do sistema imune40 em que a mucosa41 gastrointestinal luta para paralisar os alergenos42 no intestino (alergia7 não mediada por uma resposta IgE).

Uma alergia7 grave pode surgir em reação a qualquer quantidade de proteína e pode ser fatal. Em alergias muito graves, a reação pode ocorrer simplesmente por estar perto do alergeno8, tocar algo que esteve em contato com ele ou pela mera inalação do alergeno8, inclusive no processo de cozimento dos alimentos. A alergia7 é muito mais comum em crianças, especialmente em bebês2, e rara em adultos.

Os sintomas9 podem ser digestivos, cutâneos, respiratórios, reação anafilática43, baixo ganho de peso e baixo crescimento. Podem ocorrer em minutos, horas ou dias após a ingestão de leite de vaca ou derivados, de forma persistente ou repetitiva.

A intolerância é mais comum em adultos e idosos do que em crianças. Também pode ser uma consequência, às vezes temporária, em casos de diarreia19 prolongada ou doenças inflamatórias intestinais. Os sintomas9 da intolerância são apenas intestinais.

Como o médico trata a alergia7 às proteínas1 do leite de vaca?

O tratamento indicado para os casos de alergia7 às proteínas1 do leite de vaca (APLV) é a exclusão do leite de vaca e de seus derivados. Alguns alimentos são indicados para a substituição ao leite de vaca para garantir que a criança consuma os nutrientes presentes neste alimento. Um nutrólogo ou um nutricionista44 é indicado para orientar esta substituição.

Leia também sobre "Diarreia19 em crianças" e "Anafilaxia20".

 

ABCMED, 2017. Alergia às proteínas do leite de vaca. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1297803/alergia-as-proteinas-do-leite-de-vaca.htm>. Acesso em: 18 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
2 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
4 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
5 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
6 Imunoglobulina: Proteína do soro sanguíneo, sintetizada pelos plasmócitos provenientes dos linfócitos B como reação à entrada de uma substância estranha (antígeno) no organismo; anticorpo.
7 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
8 Alérgeno: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
11 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
14 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
15 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
16 Inchaço: Inchação, edema.
17 Olhos:
18 Vômitos em jato: São vômitos explosivos, que podem denotar aumento da pressão intracraniana e indicar risco de vida iminente.
19 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
20 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
21 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
22 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
23 Asma: Doença das vias aéreas inferiores (brônquios), caracterizada por uma diminuição aguda do calibre bronquial em resposta a um estímulo ambiental. Isto produz obstrução e dificuldade respiratória que pode ser revertida de forma espontânea ou com tratamento médico.
24 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
25 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
26 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
27 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
28 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
29 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
30 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
31 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
32 Fissuras: 1. Pequena abertura longitudinal em; fenda, rachadura, sulco. 2. Em geologia, é qualquer fratura ou fenda pouco alargada em terreno, rocha ou mesmo mineral. 3. Na medicina, é qualquer ulceração alongada e superficial. Também pode significar uma fenda profunda, sulco ou abertura nos ossos; cesura, cissura. 4. Rachadura na pele calosa das mãos ou dos pés, geralmente de pessoas que executam trabalhos rudes. 5. Na odontologia, é uma falha no esmalte de um dente. 6. No uso informal, significa apego extremo; forte inclinação; loucura, paixão, fissuração.
33 Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
34 Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.
35 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
36 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
37 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
38 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
39 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
40 Sistema imune: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
41 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
42 Alérgenos: Substância capaz de provocar reação alérgica em certos indivíduos.
43 Reação anafilática: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
44 Nutricionista: Especialista em nutricionismo, ou seja, especialista no estudo das necessidades alimentares dos seres humanos e animais, e dos problemas relativos à nutrição.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.