Gostou do artigo? Compartilhe!

Ressecção endoscópica da próstata - quando é feita?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a próstata1?

A próstata1 é uma glândula2 do tamanho aproximado de uma noz, que produz o fluido seminal. A uretra3, o tubo que conecta a bexiga urinária4 ao exterior do corpo, passa por dentro dessa glândula2 que, com a idade, frequentemente aumenta de tamanho (hipertrofia5 prostática benigna), espremendo a uretra3 e dificultando e até impedindo a micção6.

Se a próstata1 ficar grande demais, o médico poderá recomendar um procedimento conhecido como ressecção transuretral7 de próstata1, realizado por endoscopia8, para aliviar os sintomas9 incômodos e/ou dolorosos associados a uma próstata1 aumentada.

Saiba mais sobre "Hiperplasia10 benigna da próstata1".

O que é a ressecção endoscópica da próstata1?

A ressecção endoscópica da próstata1, como o nome indica, é um procedimento que visa retirar fragmentos11 da próstata1 através da uretra3 por endoscopia8 e, portanto, sem cortes. Em geral, não há necessidade de anestesia12 geral, e na grande maioria dos casos ela pode ser realizada com anestesia12 raquidiana.

Veja como é a "Anestesia12 geral" e a "Raquianestesia".

Por que fazer a ressecção endoscópica da próstata1?

A necessidade de realizar a ressecção endoscópica da próstata1 normalmente está relacionada com a hiperplasia10 prostática benigna, isto é, ao crescimento exagerado do órgão, que acontece a homens maduros com a progressão da idade.

Como se dá a ressecção endoscópica da próstata1?

Previamente, deve-se garantir uma total ausência de infecção13 da próstata1 e do trato urinário14. Em caso dela existir, deve ser feito um tratamento prévio com antibióticos. O procedimento é realizado através da visualização da próstata1 via uretra3 e remoção do tecido15 através de um instrumento denominado ressectoscópio16. O procedimento não envolverá a remoção total da próstata1, mas apenas parte dela.

O ressectoscópio16 (instrumento que fará a ressecção) será inserido pela ponta do pênis17 e permitirá que o cirurgião visualize a glândula2 prostática. O tamanho da parte a ser removida dependerá do tamanho e da forma da próstata1. Ao final da ressecção endoscópica da próstata1 será passada no paciente uma sonda urinária, que será irrigada com um fluido em infusão contínua por dois ou três dias, para evitar o acúmulo de coágulos dentro da bexiga18. Quando a sonda é retirada, os pacientes podem sentir dor ao urinar. Isto ocorre porque a uretra3 fica inflamada pela presença da sonda.

Este é considerado o tratamento mais eficiente para a hiperplasia10 prostática benigna. Os resultados são considerados excelentes em 80-90% dos pacientes que realizam o procedimento.

Quais são as complicações possíveis da ressecção endoscópica da próstata1?

Os riscos de complicações da ressecção endoscópica da próstata1 são relativamente pequenos, embora o procedimento possa causar impotência19 e incontinência urinária20. Riscos um pouco maiores são de diminuir a quantidade de esperma21 no momento da ejaculação22 uma vez que parte dele seguirá para a bexiga18 (ejaculação22 retrógrada).

Uma síndrome23 pós-ressecção pode ser causada por sintomas9 relacionados com a hiponatremia24 (concentração baixa de sódio no sangue25), como resultado da absorção sistêmica do fluido de irrigação hipotônico26 utilizado durante a cirurgia, mas esse evento tem diminuído muito nas últimas décadas, em virtude das melhorias da tecnologia dos aparelhos utilizados e dos líquidos de irrigação.

Veja também sobre "Impotência19 sexual", "Incontinência urinária20", "Ejaculação22 retrógrada", "Câncer27 de próstata1" e "Cirurgia da próstata1".

 

ABCMED, 2017. Ressecção endoscópica da próstata - quando é feita?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/1294958/resseccao-endoscopica-da-prostata-quando-e-feita.htm>. Acesso em: 16 set. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
2 Glândula: Estrutura do organismo especializada na produção de substâncias que podem ser lançadas na corrente sangüínea (glândulas endócrinas) ou em uma superfície mucosa ou cutânea (glândulas exócrinas). A saliva, o suor, o muco, são exemplos de produtos de glândulas exócrinas. Os hormônios da tireóide, a insulina e os estrógenos são de secreção endócrina.
3 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
4 Bexiga Urinária: Saco musculomembranoso ao longo do TRATO URINÁRIO. A URINA flui dos rins (KIDNEY) para dentro da bexiga via URETERES (URETER) e permanece lá até a MICÇÃO. Sinônimos: Bexiga
5 Hipertrofia: 1. Desenvolvimento ou crescimento excessivo de um órgão ou de parte dele devido a um aumento do tamanho de suas células constituintes. 2. Desenvolvimento ou crescimento excessivo, em tamanho ou em complexidade (de alguma coisa). 3. Em medicina, é aumento do tamanho (mas não da quantidade) de células que compõem um tecido. Pode ser acompanhada pelo aumento do tamanho do órgão do qual faz parte.
6 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
7 Transuretral: Que se situa ou se realiza através da uretra.
8 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Hiperplasia: Aumento do número de células de um tecido. Pode ser conseqüência de um estímulo hormonal fisiológico ou não, anomalias genéticas no tecido de origem, etc.
11 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
12 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
13 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
14 Trato Urinário:
15 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
16 Ressectoscópio: É um instrumento óptico e cirúrgico que permite realizar procedimentos cirúrgicos dentro de uma cavidade do corpo, com acesso através de um canal (por exemplo, ressectoscópio ginecológico e ressectoscópio urológico).
17 Pênis: Órgão reprodutor externo masculino. É composto por uma massa de tecido erétil encerrada em três compartimentos cilíndricos fibrosos. Dois destes compartimentos, os corpos cavernosos, ficam lado a lado ao longo da parte superior do órgão. O terceiro compartimento (na parte inferior), o corpo esponjoso, abriga a uretra.
18 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
19 Impotência: Incapacidade para ter ou manter a ereção para atividades sexuais. Também chamada de disfunção erétil.
20 Incontinência urinária: Perda do controle da bexiga que provoca a passagem involuntária de urina através da uretra. Existem diversas causas e tipos de incontinência e muitas opções terapêuticas. Estas vão desde simples exercícios de fisioterapia até complicadas cirurgias. As mulheres são mais freqüentemente acometidas por este problema.
21 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
22 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
23 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
24 Hiponatremia: Concentração de sódio sérico abaixo do limite inferior da normalidade; na maioria dos laboratórios, isto significa [Na+] < 135 meq/L, mas o ponto de corte [Na+] < 136 meq/L também é muito utilizado.
25 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
26 Hipotônico: Que ou aquele que apresenta hipotonia, ou seja, aquela solução que apresenta menor concentração de solutos do que outra solução; redução ou perda do tono muscular ou redução da tensão em qualquer parte do corpo (por exemplo, no globo ocular ou nos vasos sanguíneos).
27 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.