Gostou do artigo? Compartilhe!

Abscesso da mama

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é abscesso1 da mama2?

Um abscesso1 no seio3 é um nódulo4 dolorido e cheio de pus5 que se desenvolve sob a pele6 de um dos seios7, em seguida a uma infecção8 não tratada ou tratada inadequadamente. É comum em mulheres que estão amamentando, mas também pode ocorrer em mulheres que não estão em fase de aleitamento.

Quais são as causas do abscesso1 da mama2?

O abscesso1 da mama2 geralmente é causado por uma infecção8 bacteriana e atinge principalmente mulheres entre 15 e 45 anos. O tipo mais comum de bactéria9 causadora de abscessos10 nos seios7 é o Staphylococcus aureus. Os dutos de leite bloqueados também podem levar à infecção8 das mamas11.

Outras causas possíveis são lesão12 no peito13, mamilos14 rachados, diabetes mellitus15, problemas com o sistema imunológico16, piercing nos mamilos14 e cirurgia de implante17 mamário. É raro que o câncer18 de mama2 cause dor e inflamação19. No entanto, o câncer18 de mama2 inflamatório é um tipo raro que pode causar sintomas20 semelhantes aos sintomas20 de abscesso1 mamário.

Saiba mais sobre "Aleitamento materno21", "Abscesso1", "Próteses de silicone" e "câncer18 de mama2".

Qual é o mecanismo fisiopatológico do abscesso1 da mama2?

Infecções22 dos seios7 podem ocorrer quando bactérias da superfície da pele6 da paciente ou da boca23 do bebê entram nos ductos lácteos através de uma ruptura ou rachadura na pele6 do mamilo ou através de uma abertura do ducto de leite. Se a infecção8 não for tratada de forma adequada, pode se formar um abscesso1. Dentro do abscesso1células24 mortas, bactérias e outros detritos. Esta área começa a crescer, criando uma tensão sob a pele6 e inflamação19 dos tecidos circundantes.

Quais são as principais características clínicas do abscesso1 da mama2?

Os sinais25 e sintomas20 dos abscessos10 mamários são um inchaço26 ou protuberância sensível em uma área do peito13, dor na mama2 afetada, vermelhidão, calor, inchaço26 e sensibilidade em uma área da mama2, febre27, dores musculares e mal-estar.

Como o médico diagnostica o abscesso1 da mama2?

O diagnóstico28 parte dos sintomas20 relatados pela paciente e do exame físico que o médico deve empreender. Em caso de haver suspeita de um abscesso1 de mama2, o médico pode recomendar uma ultrassonografia29. Abscessos10 mamários podem frequentemente ser drenados com uma agulha no momento do exame e o fluido drenado pode ser testado para infecção8 bacteriana ou outros problemas.

Como o médico trata o abscesso1 da mama2?

Um abscesso1 deve ser aberto e drenado para que melhore, pois os antibióticos sozinhos não costumam curá-lo. Às vezes, ocorre drenagem30 espontânea, mas na maioria dos casos ele deve ser aberto por um médico em um procedimento chamado de incisão31 e drenagem30. Medidas de autocuidado também são importantes no tratamento. Nos abscessos10 de maior volume, pode ser feita uma drenagem30 com agulha guiada com por ultrassonografia29 ou pode ser necessária uma cirurgia de pequeno porte. Analgésicos32 simples, anestésicos tópicos e anti-inflamatórios não esteroides podem ser usados, se necessário. Compressas frias também podem ser usadas para ajudar a reduzir a dor.

Como prevenir o abscesso1 da mama2?

A paciente deve incentivar seu bebê a esvaziar ao máximo seus seios7, quando estiver amamentando. Deve também alternar a mama2 que oferece primeiro ao bebê em cada mamada e deixar que o bebê se alimente até que a primeira mama2 seja completamente esvaziada. Os seios7 devem ser mantidos limpos, lavados diariamente com sabão neutro e água. Ao final de cada mamada, a mulher deve deixar seus seios7 secarem naturalmente ao ar livre e aplicar creme de lanolina diariamente nos mamilos14 e aréolas para evitar que eles apresentem rachaduras.

Leia sobre "Mastite33", "Mastalgia34" e "Mamoplastia35".

 

ABCMED, 2019. Abscesso da mama. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/1333518/abscesso+da+mama.htm>. Acesso em: 16 nov. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Abscesso: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
4 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
5 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
10 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
11 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
12 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
13 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
14 Mamilos: Órgãos cônicos os quais usualmente fornecem passagem ao leite proveniente das glândulas mamárias.
15 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
16 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
17 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
18 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
19 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
22 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
23 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
24 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
25 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
26 Inchaço: Inchação, edema.
27 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
28 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
29 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
30 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
31 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
32 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
33 Mastite: Inflamação da mama. Manifesta-se por dor, secreção purulenta pelo mamilo, vermelhidão local e febre. Geralmente é produzida durante o puerpério, na amamentação, por infecção bacteriana.
34 Mastalgia: Dor nas mamas. Costuma ser um distúrbio benigno em mulheres jovens devido a um desequilíbrio hormonal durante o ciclo menstrual. Mas, pode ter outras causas.
35 Mamoplastia: Cirurgia estética no seio; mastoplastia.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.