Atalho: 5HO4MMN
Gostou do artigo? Compartilhe!

Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é câncer1 de mama2?

O câncer1 de mama2 é o tumor3 maligno que se desenvolve nas células4 do tecido5 mamário. Ele pode ocorrer em ambos os sexos, sendo muito mais freqüente nas mulheres.

As taxas de câncer1 de mama2 caíram nos últimos anos. A razão desta queda ainda não é sabida, mas a doença continua sendo muito frequente e temida por várias mulheres.

O diagnóstico6 e o tratamento evoluíram bastante, a sobrevida7 aumentou e o número de mortes está declinando devido à detecção precoce aos novos tratamentos e a um melhor entendimento da doença.

 

Quais são os sintomas8?

Sinais9 e sintomas8 dos tumores nas mamas10:

  • Protuberância ou engrossamento na pele11 ou no tecido5 circunvizinho.
  • Sangramento na mama2.
  • Mudança na forma ou no tamanho da mama2.
  • Mudanças na pele11 do seio12, como formação de “ondas”, aspecto de “casca de laranja” e coloração avermelhada.
  • Inversão dos mamilos13 ou de um dos mamilos13.
  • Descamação14 na pele11 do mamilo.

 

Quando visitar um médico?

Sempre que você observar alguma alteração nas mamas10, mesmo tendo feito uma mamografia15 recente, procure um médico. E não se esqueça de fazer seu exame de rotina com um ginecologista pelo menos uma vez ao ano.

O auto-exame das mamas10 não deve substituir o exame médico anual.

 

Quais são as causas e os tipos do câncer1 de mama2?

Não está claro o que causa o câncer1 de mama2. Sabe-se que ele ocorre quando algumas células4 da mama2 começam a multiplicar-se muito rapidamente e de forma aleatória. São divisões celulares que ocorrem de maneira mais veloz do que as das células4 saudáveis. Este acúmulo de células4 forma o tumor3 que pode “entrar” nos vasos linfáticos ou nos vasos sanguíneos16, chegar à circulação17 e espalhar-se (metástase18) para além do seio12 nos linfonodos19 ou em outras partes do corpo.

Os pesquisadores identificaram fatores que aumentam o risco de câncer1 de mama2, mas ainda não sabem porque algumas pessoas que não têm fator de risco20 desenvolvem câncer1 e outras, que têm fatores de risco, não o desenvolvem. É provável que o câncer1 de mama2 seja causado por uma complexa combinação de fatores genéticos e ambientais.

Na maioria das vezes, os tumores das mamas10 têm origem nas células4 dos ductos ou nos lóbulos mamários, que são tecidos glandulares. Os dois tipos mais comuns são o carcinoma21 ductal e o carcinoma21 lobular.

O carcinoma21 ductal invasivo é o mais frequente. Tem origem nos ductos e invade os tecidos vizinhos. Pode disseminar-se através dos vasos linfáticos ou do sangue22, atingindo outros órgãos. Cerca de 80% dos tumores invasivos da mama2 são carcinomas ductais.

 

E o câncer1 de mama2 hereditário?

De 5 a 10% dos casos de câncer1 de mama2 estão ligados a mutações genéticas passadas através de gerações em uma família. Já foram identificados genes que aumentam a probabilidade de um câncer1 de mama2 ser identificado. Os mais comuns são o BRCA1 e o BRCA2. Ambos aumentam o risco de câncer1 de mama2 e de câncer1 de ovário23.

Se na sua família há uma história importante de casos de câncer1 de mama2 ou de outros tipos de câncer1, existem exames de sangue22 que podem ser feitos para identificar estes e outros genes.

Pergunte ao seu médico o que é um aconselhamento genético para revisar a história de saúde24 da sua família. Um conselheiro genético pode discutir os benefícios, os riscos e as limitações destes testes genéticos com você.

 

Quais os fatores de risco para o câncer1 de mama2?

Um fator de risco20 é algo que aumenta a probabilidade de você vir a apresentar alguma doença em particular. Mas ter um ou mais fatores de risco não significa que você vai desenvolver a doença – a maioria das mulheres com câncer1 de mama2 não tem outro fator de risco20 conhecido além de simplesmente serem mulheres.

Fatores que podem aumentar o risco para o câncer1 de mama2:

  • Ser mulher. É mais provável uma mulher ter câncer1 de mama2 do que um homem.
  • Maturidade. O risco para ter câncer1 de mama2 aumenta com a idade. Mulheres com mais de 60 anos têm um risco maior do que aquelas mais jovens.
  • História pessoal de câncer1 de mama2. Se você já teve câncer1 de mama2 em um dos seios25, você tem um risco maior de desenvolver este tipo de tumor3 no outro seio12.
  • História familiar de câncer1 de mama2. Se você tem mãe, irmã ou filha com câncer1 de mama2, sua chance de ter este tumor3 aumenta, apesar de a maioria das mulheres com diagnóstico6 de câncer1 de mama2 não ter história familiar da doença.
  • Genes que aumentam o risco de câncer1 de mama2. Certas mutações genéticas aumentam o risco deste tumor3 ser transmitido de pais para filhos. A maioria dessas mutações é relacionada aos genes BRCA1 e BRCA2. Estes genes podem aumentar o risco de tumores nas mamas10 e em outros órgãos, mas a presença deles não torna um câncer1 inevitável.
  • Exposição à radiação. Se você recebeu tratamentos radioativos no pulmão26 quando criança ou adulto jovem, é mais provável que você desenvolva câncer1 de mama2 no futuro.
  • Obesidade27. Estar com sobrepeso28 ou obesa aumenta seu risco de câncer1 nas mamas10.
  • Menarca29 precoce. Menstruar pela primeira vez antes dos 12 anos aumenta o risco de câncer1 de mama2.
  • Menopausa30 tardia. O início da menopausa30 acima dos 55 anos aumenta a chance de desenvolver tumores nas mamas10.
  • Ter o primeiro filho em idade avançada (após os 35 anos) pode aumentar o risco para o câncer1 dos seios25.
  • Terapia de reposição hormonal. Mulheres que receberam terapia hormonal com estrogênio e progesterona para tratar os sintomas8 da menopausa30 podem ter um risco aumentado para este tumor3.
  • Consumo de bebidas alcoólicas. O consumo de bebidas alcoólicas pode aumentar o risco de câncer1 de mama2.
ABCMED, 2010. Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/61882/cancer-de-mama-o-que-e-quais-os-fatores-de-risco.htm>. Acesso em: 21 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
3 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
11 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
12 Seio: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
13 Mamilos: Órgãos cônicos os quais usualmente fornecem passagem ao leite proveniente das glândulas mamárias.
14 Descamação: 1. Ato ou efeito de descamar(-se); escamação. 2. Na dermatologia, fala-se da eliminação normal ou patológica da camada córnea da pele ou das mucosas. 3. Formação de cascas ou escamas, devido ao intemperismo, sobre uma rocha; esfoliação térmica.
15 Mamografia: Estudo radiológico que utiliza uma técnica especial para avaliar o tecido mamário. Permite diagnosticar tumores benignos e malignos em fase inicial na mama. É um exame que deve ser realizado por mulheres, como prevenção ao câncer.
16 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
17 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
18 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
19 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
20 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
21 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
24 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
25 Seios: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
26 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
27 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
28 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
29 Menarca: Refere-se à ocorrência da primeira menstruação.
30 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Mastologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

16/03/2011 - Comentário feito por Célia
Re: Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?
Li o artigo.Tenho 45 anos.Sempre me cuidei.Fazia exames de rotina e acompanhamento por mastologista durante muitos anos.Fazia mamografias e ultrassonaografias anuais,desde os 36anos.Porém, no ano passado(abril/2010),fui surpreendida por um CANCER DE MAMA INTRADUCTAL IN SITU COM COMPONENTE MICROINVASIVO.Nao sentia nada nas mamas, nao apresentavam nodulos e nenhuma caracteristicas de um CA, mas, sempre tive e acompanhei as microcalcificaçoes existentes em ambas as mamas.E por conta desse resultado, fui submetida a mastectomia radical bilateral e esvaziamanto axilar a direita.Nao houve infiltração nos linfonodos.Nao passei por tratamento quimioterapeutico, mas estou fazendo uso do TAMOXIFENO.Portanto, amigas...Cuidem-se!O CA é muito silencioso!Assustador!Hoje estou sem minha mama direita, pois nao fui bem sucedida na reconstrução com protese de silicone!Mas nao desanimei,estou em tratamneto p/uma nova tentativa.Parabéns pelo artigo!Continuem nos informando sempre!Abraços

11/08/2010 - Comentário feito por cilene
Re: Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?
gostei , achei bem esclarecedor pois tive caso na familia, minha mãe, de cancêr no rim , nao tratou a tempo e levou a morte

16/07/2010 - Comentário feito por Marislova
Re: Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?
Não achei que este artigo tenha sido esclarecedor. Primeiro porque a própria Sociedade Brasileira de Oncologia já comprou o aumento no número do câncer de mama em mulheres; segundo, porque a forma apresentada para os sistomas dizem respeito aos tipos de tumores palpáveis e o número dos tipos de CA que não perceptíveis e completamente assintomático tem sido cada vez maior e se enquadram no tipo ductal infiltrante (invasivo), onde muitas vezes o período anual de exames não te elimina do campo da doença , bem como não impede que pela rapidez do desenvolvimento haja a necessidade de mastectomia radical. O que acontece hj é que através da mamotomia (tipo de biópsia sem cirurgia) e o exame do linfodono sentinela, pode minimizar os efeitos danosos da cirurgia, tipo, remoção total dos linfonodos, como era comum no passado. Os comentários que faço são em função de uma experiência pessoal e familiar que não se enquadram nos aspectos acima comentados e ter sido um carcinoma comum.

15/07/2010 - Comentário feito por Rizomar
Re: Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?
É muito interessante todos os artigos que vocês publicam aqui. Se tratando das informações a respeito do câncer de mama, foi muito esclarecedor pra mim por se tratar de um assunto tão sério.

15/07/2010 - Comentário feito por Judite
Re: Câncer de mama. O que é? Quais os fatores de risco?
Gostei muito do artigo, pois minha família está enfrentando esse problema e foi bastante esclarecedor.

  • Entrar
  • Assinar