AbcMed  -  Psicologia e Psiquiatria
Em psicologia, a impulsividade é uma tendência para agir precipitadamente, exibindo um comportamento sem uma reflexão anterior, com pouca ou nenhuma previsão ou consideração das consequências. As ações impulsivas são tipicamente inadequadas e frequentemente resultam em consequências indesejáveis.   [Mais...]
Algumas pessoas têm episódios depressivos recorrentes, sem nunca apresentarem um episódio maníaco. Quando se fala simplesmente de depressão, frequentemente está-se referindo à depressão unipolar. Chama-se depressão bipolar quando ocorrem também episódios de exaltação ou mania alternando com os episódios depressivos.   [Mais...]
Nos adultos, as alucinações1 geralmente estão ligadas a psicopatologias graves; no entanto, em crianças, embora assustem muito os pais, elas não são incomuns e podem fazer parte do desenvolvimento normal. Mais frequentemente as crianças alegam ver ou ouvir coisas inexistentes.
1 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
   [Mais...]

A oniomania ou transtorno do comprador compulsivo caracteriza-se por uma obsessão pelo comportamento de comprar, o que causa consequências adversas.   [Mais...]
A interação medicamentosa é uma resposta clínica à administração de uma combinação de medicamentos, diferente dos efeitos de cada um dos agentes se tomados separadamente. As interações entre álcool e drogas psicotrópicas são alterações que se produzem nos efeitos de cada uma dessas substâncias devido à ingestão simultânea de ambas.   [Mais...]
Freud concebeu o desenvolvimento da personalidade como centrado em certas particularidades anatômicas e certas funções fisiológicas1 e psicológicas correspondentes a elas e propôs que todas elas seriam expressões da sexualidade, a cada idade.
1 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
   [Mais...]

Freud elaborou uma teoria da estrutura e do desenvolvimento da personalidade, a qual consagrou determinados termos psicanalíticos, hoje em dia muito conhecidos, mas nem sempre bem compreendidos, tais como id, ego, superego, etc.   [Mais...]
Ergofobia é o medo anormal e persistente de trabalhar ou encontrar e manter um emprego. Trata-se de um medo irracional, ao estilo das demais fobias1, que nem a pessoa que sofre consegue explicar direito sua razão de ser.
1 Fobias: Medo exagerado, falta de tolerância, aversão.
   [Mais...]

As células nervosas1 não fazem contato físico umas com as outras, mas entre elas existem fendas preenchidas por líquidos onde são liberadas certas substâncias, chamadas neurotransmissores. Estas substâncias passam mensagens de um neurônio para as células2 seguintes, geralmente outros neurônios3, através das fendas sinápticas, permitindo que haja comunicação dentro do cérebro4 e deste para o resto do corpo.
1 Células Nervosas: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
4 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
   [Mais...]

Folie à deux”, "loucura de dois", psicose1 induzida ou psicose1 compartilhada são algumas denominações de uma síndrome2 psiquiátrica rara em que os sintomas3 de uma crença delirante e, menos comumente, alucinações4, são transmitidas de um indivíduo acometido de uma doença psiquiátrica para outro, susceptível.
1 Psicose: Grupo de doenças psiquiátricas caracterizadas pela incapacidade de avaliar corretamente a realidade. A pessoa psicótica reestrutura sua concepção de realidade em torno de uma idéia delirante, sem ter consciência de sua doença.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Alucinações: Perturbações mentais que se caracterizam pelo aparecimento de sensações (visuais, auditivas, etc.) atribuídas a causas objetivas que, na realidade, inexistem; sensações sem objeto. Impressões ou noções falsas, sem fundamento na realidade; devaneios, delírios, enganos, ilusões.
   [Mais...]



Visualizar: Títulos | Resumos
  • Entrar
  • Receber conteúdos