Atalho: 6K59ZQW
Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é vitiligo?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é vitiligo1?

O vitiligo1 é uma doença cutânea2 adquirida e idiopática3 em que ocorre uma perda da pigmentação normal da pele4, devido à diminuição do número dos melanócitos5 (células6 responsáveis pela produção da melanina7). Em razão disso, ocorrem hipocromias (manchas brancas) em qualquer localização da pele4 e mesmo nos cabelos, nos pelos e na retina8. Essas manchas de bordas bem delimitadas e de crescimento concêntrico e progressivo podem ser únicas ou espalharem-se por toda a superfície do corpo, bem como podem confluir em extensas áreas brancas. Os locais atingidos ficam muito sensíveis ao sol, podendo ocorrer queimaduras solares sérias e um maior risco para o desenvolvimento de câncer9 de pele4.

Quais são as causas do vitiligo1?

A etiologia10 do vitiligo1 ainda não é bem compreendida, embora haja várias teorias propostas:

  • Teoria genética: segundo a qual, existe um componente genético multifatorial para o vitiligo1.
  • Teoria autoimune11: pela qual várias observações sugerem que o vitiligo1 é uma doença autoimune11 que tem como alvo as células6 pigmentares.
  • Teoria autotóxica12 de melanócitos5: baseada na observação de que alguns tóxicos são capazes de lesar as células6 produtoras de melanina7.
  • Teoria neural: baseada no fato de que os melanócitos5 são células6 derivadas da mesma linhagem embriológica que as do sistema nervoso13.
  • Teoria bioquímica: segundo a qual o vitiligo1 pode ser o resultado do acúmulo de certas substâncias químicas das células6.

Contudo, sabe-se também que o estresse físico, emocional e a ansiedade são fatores que contribuem para o desencadeamento ou agravamento da doença.

Quais são os sinais14 e sintomas15 do vitiligo1?

A doença pode surgir em qualquer idade, sendo mais frequente entre os 10 e os 15 anos de idade e entre os 20 e os 40 anos. Normalmente, o vitiligo1 é assintomático e os pacientes procuram o médico pelo aspecto estético desagradável que a doença pode acarretar. A princípio, surgem manchas hipocrômicas com bordas hiperpigmentadas, de formas e extensões variáveis.

As áreas mais comumente afetadas são:

  • Punhos.
  • Dorso16 das mãos17.
  • Dedos.
  • Axilas.
  • Pescoço18.
  • Genitália19.
  • Ao redor da boca20 e dos olhos21.
  • Cotovelos.
  • Joelhos.
  • Virilha.
  • Antebraços.

Como o médico diagnostica o vitiligo1?

O diagnóstico22 do vitiligo1 é eminentemente23 clínico. No entanto, o médico pode pedir exames laboratoriais para confirmar se a enfermidade é mesmo vitiligo1 ou outra doença parecida. Alguns tipos de manchas brancas podem não ser vitiligo1, mas serem provocadas pelo sol ou por certas micoses. Lesões24 ainda muito pequenas podem ser diagnosticadas com a ajuda da lâmpada de Wood. Raramente é necessário fazer-se uma biopsia25 de pele4.

Como o médico trata o vitiligo1?

O tratamento do vitiligo1 é muito demorado e raramente ocorre cura definitiva das lesões24. Geralmente envolve aplicações de pomadas à base de corticoides, loções e fototerapia (exposição ao sol com uso de substâncias fotossensibilizantes).

Deve-se levar em conta o estado psicológico do paciente. O vitiligo1 comumente acarreta disfunção emocional, tornando necessário o acompanhamento psicológico do paciente. Nos casos em que já esteja comprometida mais de 50% da superfície cutânea2, pode ser proposta a despigmentação das áreas restantes. Nos casos de poucas lesões24 que sejam pouco extensas, têm sido propostos minienxertos de pele4 normal.

Alimentos com carotenos ou a administração de betacarotenos conferem à pele4 uma coloração amarelada, de ação protetora e bom efeito cosmético. Os filtros solares devem ser mais intensamente usados na pele4 despigmentada, porque as lesões24 do vitiligo1 queimam com facilidade.

Outro método terapêutico que costuma ser eficaz no vitiligo1 é a fotoquimioterapia, o emprego sistêmico26 ou tópico27 de substâncias fotossensibilizantes, seguidas da exposição à radiação ultravioleta.

Como prevenir o vitiligo1?

Não há como prevenir o surgimento e a evolução desta condição.

Como evolui o vitiligo1?

A evolução do vitiligo1 é imprevisível, podendo variar desde a remissão espontânea até um contínuo agravamento. Pode ocorrer que haja, em um mesmo paciente, a regressão de determinadas lesões24 enquanto outras novas surjam.

O vitiligo1 pode permanecer indefinidamente como focal ou se generalizar para todo o corpo.

Quais são os cuidados especiais a serem adotados pelos portadores de vitiligo1?

  • Em caso de aparecimento de alguma mancha branca na pele4, procure um médico para saber se é ou não vitiligo1.
  • Tome sol por períodos curtos, evitando a exposição entre 10 horas e 16 horas. Aplique protetor solar a cada duas horas, especialmente se estiver na praia ou na piscina.
  • O portador de vitiligo1 não precisa usar hidratantes ou sabonetes especiais, mas deve manter a pele4 frequentemente hidratada. O que pode ser favorecido pela ingestão de líquidos e água de maneira satisfatória.
ABCMED, 2012. O que é vitiligo?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/310860/o+que+e+vitiligo.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vitiligo: Doença benigna da pele, caracterizada pela ausência de pigmentação normal nas regiões afetadas, frequentemente face e mãos. Hoje já há tratamento, porém este é demorado e com resultados variáveis de pessoa para pessoa. CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS (CID): L80- VITILIGO.
2 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Idiopática: 1. Relativo a idiopatia; que se forma ou se manifesta espontaneamente ou a partir de causas obscuras ou desconhecidas; não associado a outra doença. 2. Peculiar a um indivíduo.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Melanócitos: Células da pele que produzem o pigmento melanina.
6 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
7 Melanina: Cada uma das diversas proteínas de cor marrom ou preta, encontrada como pigmento em vegetais e animais.
8 Retina: Parte do olho responsável pela formação de imagens. É como uma tela onde se projetam as imagens: retém as imagens e as traduz para o cérebro através de impulsos elétricos enviados pelo nervo óptico. Possui duas partes: a retina periférica e a mácula.
9 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
10 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
11 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
12 Autotóxica: Relativo a ou próprio da autointoxicação; que é o envenenamento por toxina não eliminada, gerada pelo próprio indivíduo.
13 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
14 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Dorso: Face superior ou posterior de qualquer parte do corpo. Na anatomia geral, é a região posterior do tronco correspondente às vértebras; costas.
17 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
18 Pescoço:
19 Genitália: Órgãos externos e internos relacionados com a reprodução. Sinônimos: Órgãos Sexuais Acessórios; Órgãos Genitais; Órgãos Acessórios Sexuais
20 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
21 Olhos:
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Eminentemente: De modo eminente; em alto grau; acima de tudo.
24 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
25 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
26 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
27 Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

02/08/2012 - Comentário feito por Fátima
Re: O que é vitiligo?
Excelente artigo sobre vitiligo, pois muita gente é portador dessa doença e não sabe os cuidades que deve ter principalmente no que se refere ao sol. Tenho uma sobrinha com vitiligo e já recomendei a leitura do artigo.

  • Entrar
  • Assinar