Atalho: 6YUY7TC
Gostou do artigo? Compartilhe!

Artroscopia do joelho: como é o exame? Quem deve fazer? O que acontece após o procedimento?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Conhecendo o joelho

O joelho é a maior e uma das mais importantes articulações1 do corpo. Nela convergem ossos, cartilagens2, meniscos3, ligamentos4, músculos5, tendões6 e cápsulas articulares7. A integração desses vários elementos faz desta articulação8 uma estrutura muito complexa e de grande mobilidade. Por tudo isso, além de suportar o peso quase total do corpo e estar exposta a todo tipo de traumatismos, acidentes e doenças, o joelho sofre lesões9 com muita frequência. É muito difícil encontrar-se alguém de idade avançada que em algum momento da vida não tenha tido problemas com os joelhos.

O que é artroscopia10 do joelho?

A artroscopia10 do joelho é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo, utilizado para diagnosticar e/ou tratar doenças dessa articulação8. Ela permite ao médico ver o interior da articulação8 e os seus vários elementos.

Quem deve fazer o exame?

É possível que o médico solicite uma artroscospia se o paciente tem um edema11 (aumento de líquido no joelho), dor persistente, travamento, falseio ou perda de confiança no joelho. Assim, ele poderá diagnosticar e tratar, sempre que outros tratamentos não tenham tido efeito. A artroscopia10 tanto pode ajudar a diagnosticar como tratar situações, como rompimento de meniscos3, rotura de ligamentos4, inflamações12, problemas patelares, etc.

Como o exame é realizado?

Geralmente a artroscopia10 do joelho é realizada com anestesia13 raqui ou peridural14 (ou mesmo local), num regime de Day Clinic (hospital dia) e o paciente pode ter alta no mesmo dia. A cirurgia durará de 45 minutos a 1 hora e, se o paciente tiver recebido um desses tipos de anestesia13, que o deixam lúcido, poderá assistir ao procedimento no monitor de TV, ou dormir, se desejar.

Na artroscopia10 são feitos dois pequenos furos na articulação8, um para introduzir o artroscópio e outro para os instrumentos necessários para operar, se for o caso. O artroscópio é um tipo de endoscópio, um aparelho constituído de um fino tubo cilíndrico, rígido, do tamanho de um lápis, que tem na ponta uma microcâmera portando fibras óticas, a qual transmite imagens para um monitor de TV e assim permite que se veja dentro da articulação8. Em geral insere-se certa quantidade de soro15 fisiológico16 dentro do interior da articulação8, para que ela seja inflada e se torne mais clara, permitindo assim uma melhor visualização.

A recuperação do exame/intervenção é rápida, pois não há cortes e as cicatrizes17 são muito pequenas.

As complicações da artroscopia10 do joelho são pouco frequentes e reversíveis e se resumem em trombose18 venosa e acúmulo de líquido sanguíneo na articulação8.

Por que fazer este exame?

A artroscopia10 do joelho possibilita um diagnóstico19 mais preciso do que está ocorrendo no interior da articulação8 e permite certas intervenções terapêuticas.

Possivelmente, antes de sugerir uma artroscopia10 o médico terá procedido a uma história clínica e exame físico detido e pedido radiografias ou ressonância magnética20 para avaliar os ossos e demais estruturas do joelho. Com a artroscopia10 ele pode realizar alguns procedimentos terapêuticos como remoção, reconstrução ou reparo de meniscos3 ou ligamentos4, remoção de fragmentos21 ósseos ou de cartilagem22 soltos no interior de uma articulação8 ou de tecido23 sinovial inflamado, etc.

E após a cirurgia?

Após a cirurgia, o paciente sairá do hospital somente com um curativo no joelho, que pode ser removido no dia seguinte.

O paciente pode tomar banho normalmente evitando, no entanto, que a água caia com força diretamente sobre as incisões24.

O paciente deve procurar elevar o máximo possível sua perna nos dias seguintes à cirurgia, para minimizar o edema11.

O paciente deve aplicar gelo na articulação8, 3 a 4 vezes ao dia. A pele25 deve ser protegida com um tecido23 fino para que o gelo não a queime.

Após a maioria das cirurgias artroscópicas, o paciente pode caminhar sem bengalas ou muletas, mas em alguns casos o médico pode aconselhar que elas sejam usadas durante algum período.

O paciente deve exercitar seu joelho regularmente, para fortalecer os músculos5 de sua perna e da articulação8. Sempre com orientação médica.

Se necessário, o paciente deve usar medicações analgésicas.

Como evolui a artroscopia10 de joelho?

A evolução de uma artroscopia10 do joelho será frequentemente determinada pela gravidade da lesão26 pré-existente.

Conforme o caso, o paciente poderá apresentar alguma limitação duradoura ou permanente de atividades, mesmo após um período de recuperação.

Na maioria dos casos, em seis a oito semanas o paciente será capaz de realizar a maior parte das atividades físicas que está acostumado a fazer, desde que elas não envolvam demasiado impacto.

ABCMED, 2013. Artroscopia do joelho: como é o exame? Quem deve fazer? O que acontece após o procedimento?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/352334/artroscopia-do-joelho-como-e-o-exame-quem-deve-fazer-o-que-acontece-apos-o-procedimento.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Articulações:
2 Cartilagens: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
3 Meniscos: 1. Figura composta por uma parte côncava e outra convexa; objeto em forma de crescente, de meia-lua. 2. Na anatomia geral, é uma lâmina fibrocartilaginosa, em forma de crescente, interposta entre duas superfícies articulares (como o joelho) para facilitar seu deslizamento. 3. Na física dos fluidos, é a superfície de um líquido contido em um tubo capilar, côncava ou convexa segundo a tensão superficial. 4. Em óptica, é uma lente de forma convexo-côncava ou côncavo-convexa, cujas bordas têm espessura menor que a parte central.
4 Ligamentos: 1. Ato ou efeito de ligar(-se). Tudo o que serve para ligar ou unir. 2. Junção ou relação entre coisas ou pessoas; ligação, conexão, união, vínculo. 3. Na anatomia geral, é um feixe fibroso que liga entre si os ossos articulados ou mantém os órgãos nas respectivas posições. É uma expansão fibrosa ou aponeurótica de aparência ligamentosa. Ou também uma prega de peritônio que serve de apoio a qualquer das vísceras abdominais. 4. Vestígio de artéria fetal ou outra estrutura que perdeu sua luz original.
5 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
6 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
7 Cápsulas articulares: São membranas conjuntivas que envolvem as articulações sinoviais, sendo constituídas por duas camadas, uma externa ou fibrosa e outra interna ou sinovial.
8 Articulação: 1. Ponto de contato, de junção de duas partes do corpo ou de dois ou mais ossos. 2. Ponto de conexão entre dois órgãos ou segmentos de um mesmo órgão ou estrutura, que geralmente dá flexibilidade e facilita a separação das partes. 3. Ato ou efeito de articular-se. 4. Conjunto dos movimentos dos órgãos fonadores (articuladores) para a produção dos sons da linguagem.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Artroscopia: Procedimento invasivo que permite examinar o interior de uma articulação utilizando um dispositivo especialmente projetado para tal, que utiliza uma fonte de luz externa e fibra óptica para transmitir as imagens produzidas (artroscópio). Através deste podem também ser realizados diferentes tratamentos cirúrgicos.
11 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
12 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
13 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
14 Peridural: Mesmo que epidural. Localizado entre a dura-máter e a vértebra (diz-se do espaço do canal raquidiano). Na anatomia geral e na anestesiologia, é o que se localiza ou que se faz em torno da dura-máter.
15 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
16 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
17 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
18 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
19 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
20 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
21 Fragmentos: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
22 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
23 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
24 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

01/02/2017 - Comentário feito por Gloria
matéria muito boa, esclarecedora e tranq...
matéria muito boa, esclarecedora e tranquiliza bastante a quem vai passar por esse procedimento. Obrigada por essa dedicação.

04/09/2016 - Comentário feito por valdineia
Adorei a explicação,linguagem cla...
Adorei a explicação,linguagem clara,objetiva,acessível com esclarecimento dos termos técnicos,excelente e de grande valor para dúvidas.Parabéns muito bom este contéudo.

06/01/2015 - Comentário feito por Cristina
Alguns pacientes, como eu, só conseguem ...
Alguns pacientes, como eu, só conseguem melhorar quando compreendem o que acontece com seu corpo. É sabendo que me ajudo. Agradeço imensamente por ter acesso a este confiável conteúdo!

20/12/2013 - Comentário feito por Diego
Re: Artroscopia do joelho: como é o exame? Quem deve fazer? O que acontece após o procedimento?
Gostei muito desse artigo, linguagem clara e acessível para leigos como eu, PARABENS

09/09/2013 - Comentário feito por reginapiresribeiro
Re: Artroscopia.......desgate no joelho
eu fiz esta cirurgia ,masmeu joelho continia com o liquido.........fiz acirurgia dia 20 dejunho 2013........nao sei mais o que faço., estou muito triste.imaginei que dor ia sumir e meu joelho ficaria melhor

09/05/2013 - Comentário feito por Valdir
Re: Artroscopia do joelho: como é o exame? Quem deve fazer? O que acontece após o procedimento?
Obrigado por publicarem artigos tão informativos em uma linguagem acessível a nós leigos. Devido a sequela de poliomielite tenho "falseio ou perda de confiança no joelho", mas nunca consegui expressar isso com esta linguagem tão clara, o que demonstra que estão conseguindo nos informar. O artigo é muito claro e com certeza ajudará os que tiverem o problema e precisarem passar pelo procedimento tratado.

  • Entrar
  • Assinar