Gostou do artigo? Compartilhe!

Doação de plasma convalescente da COVID-19 para tratamento das pessoas atualmente infectadas com a doença

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O plasma1 convalescente de pessoas que tiveram COVID-19 e se recuperaram da infecção2 tem sido utilizado como um potencial tratamento de pessoas atualmente hospitalizadas com COVID-19. Pessoas que se recuperaram totalmente da COVID-19 podem ajudar os pacientes que lutam contra a infecção2 doando seu plasma1.

As pessoas que lutaram contra a infecção2 têm agora em seu plasma sanguíneo3 anticorpos4 contra a COVID-19. Esses anticorpos4 forneceram uma forma do sistema imunológico5 lutar contra o vírus6 quando a pessoa estava doente, portanto, esse plasma1 pode ser usado para ajudar outras pessoas a lutar contra a doença.

Saiba mais sobre "Coronavírus e COVID-19", "Composição e funções do sangue7" e "Plasmaferese".

O que é plasma1 convalescente?

Convalescente refere-se a qualquer pessoa que esteja se recuperando de uma doença. O plasma1 é a parte amarela e líquida do sangue7 que contém anticorpos4. Os anticorpos4 são proteínas8 produzidas pelo corpo em resposta a infecções9.

O plasma1 convalescente de pacientes que já se recuperaram da doença do coronavírus 2019 (COVID-19) pode conter anticorpos4 contra a COVID-19. Dar este plasma1 convalescente a pessoas hospitalizadas que atualmente lutam contra a COVID-19 pode ajudá-las a se recuperar.

A Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, emitiu uma autorização de uso emergencial para o plasma1 convalescente ser usado em pacientes com COVID-19 hospitalizados e ele está sendo investigado para o tratamento de COVID-19, porque não há tratamento aprovado para esta doença até o momento.

Com base na evidência científica disponível, a FDA concluiu que este produto pode ser eficaz no tratamento de COVID-19 e que os benefícios conhecidos e potenciais do produto superam os riscos conhecidos e potenciais em pacientes com COVID-19 hospitalizados.

No Brasil, a Anvisa e o Ministério da Saúde10 também emitiram em abril uma nota técnica com as orientações para a coleta, processamento e transfusão11 de plasma1 para uso experimental no tratamento de pacientes com COVID-19.

Eu me recuperei totalmente do COVID-19. Sou elegível para doar plasma1?

As pessoas que estão recuperadas totalmente da COVID-19 há pelo menos duas semanas são incentivadas a considerar a doação de plasma1, o que pode ajudar a salvar a vida de outros pacientes.

O plasma1 convalescente da COVID-19 só deve ser coletado de indivíduos recuperados se eles forem elegíveis para doar sangue7. Os indivíduos devem ter um diagnóstico12 prévio de COVID-19 documentado por um teste de laboratório e atender a outras qualificações de doadores. Se for mulher, não pode ter tido gestações prévias, pois durante a gestação a mulher pode desenvolver outros tipos de anticorpos4 que estão associados a reações potencialmente graves nos receptores de transfusão11. Por este motivo, é importante relatar qualquer gestação ou aborto ocorridos previamente. Os indivíduos devem ter resolução completa dos sintomas13 por pelo menos 15 dias antes da doação e não devem ter tido manifestações graves em função da doença. Um teste de laboratório negativo para doença COVID-19 ativa não é necessário para se qualificar para a doação.

Eu não tive COVID-19. O que posso fazer para ajudar?

Você pode considerar doar sangue7! Uma doação de sangue7 pode salvar até três vidas. A pandemia14 de COVID-19 causou desafios sem precedentes ao suprimento de sangue7 disponível nos hemocentros. Os centros de doadores experimentaram uma redução dramática nas doações devido à implementação do distanciamento social e ao cancelamento das doações de sangue7. O sangue7 é necessário todos os dias para fornecer tratamentos que salvam vidas a uma variedade de pacientes. Você pode ajudar a garantir que o sangue7 continue disponível para os pacientes, encontrando um centro de doadores de sangue7 perto de você para agendar sua doação.

Como fazer a doação de plasma1 no Brasil?

Alguns hemocentros no Brasil estão realizando a coleta de plasma1 de pessoas convalescentes da COVID-19. Para saber se o hemocentro próximo a você está recebendo doação de plasma1 convalescente da COVID-19, entre em contato diretamente com ele. Em hemocentros em que a doação está sendo feita normalmente é necessário realizar um agendamento prévio pela internet e comparecer ao hemocentro apenas no dia e horário agendados para a doação.

É recomendado se informar antes pelo telefone ou pelo site do hemocentro, ao invés de comparecer ao local.

Leia sobre "COVID-19, gravidez15 e parto", "Quem pode doar sangue7" e "Transfusão11 de sangue7".

 

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas dos sites da Food and Drug Administration (FDA), do Portal Anvisa e da Agência Brasília.

ABCMED, 2020. Doação de plasma convalescente da COVID-19 para tratamento das pessoas atualmente infectadas com a doença. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1377243/doacao-de-plasma-convalescente-da-covid-19-para-tratamento-das-pessoas-atualmente-infectadas-com-a-doenca.htm>. Acesso em: 23 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Plasma Sanguíneo: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
4 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
5 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
9 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Transfusão: Introdução na corrente sangüínea de sangue ou algum de seus componentes. Podem ser transfundidos separadamente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma, fatores de coagulação, etc.
12 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
13 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
14 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
15 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Hematologia e Hemoterapia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.