Gostou do artigo? Compartilhe!

Esvaziamento ganglionar - Quando é feito? Quais são os mais comuns?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são gânglios linfáticos1?

Gânglios linfáticos1 (ou linfonodos2) são pequenas estruturas em forma de um grão de feijão que filtram e retêm, pelo menos em parte, substâncias que circulam pelo líquido linfático3. Existem centenas de nódulos linfáticos espalhados por todo o corpo, ligados uns aos outros por vasos linfáticos, constituindo um verdadeiro sistema circulatório4 linfático3.

Cada gânglio5 ou aglomerado de gânglios6 recebe a drenagem7 da linfa8 oriunda de órgãos ou tecidos regionais. Aglomerados de linfonodos2 são encontrados no pescoço9, nas axilas, no peito10, no abdômen e na virilha.

Saiba mais sobre "Íngua", "Circulação linfática11" e "Drenagem7 linfática". 

Assim, por exemplo, os gânglios6 do pescoço9 recebem drenagem7 da boca12, da garganta13 e da cabeça14; os das axilas drenam das mãos15 e braços e podem indicar o câncer16 de mama17; os da virilha drenam das pernas ou pés e dos órgãos sexuais e os da clavícula18 drenam dos pulmões19, mamas20 e pescoço9.

Eles fazem parte do sistema imunológico21 da pessoa e contêm linfócitos (glóbulos brancos do sangue22) que ajudam o organismo a combater infecções23 e algumas outras doenças. Dessa forma, ajudam a combater gripes, amigdalites, otites24, resfriados e outras infecções23. Em alguns casos, a presença de gânglios6 inflamados pode ser sinal25 de câncer16.

Qual é a relação entre os gânglios linfáticos1 e o câncer16?

Os gânglios linfáticos1 podem conter células26 cancerosas por duas maneiras diferentes: o câncer16 pode começar por aí e ser primariamente linfático3 (linfoma27 na doença de Hodgkin28 e no linfoma27 não-Hodgkin) ou pode chegar a eles a partir de algum outro lugar (metástases29).

Mais frequentemente, o câncer16 começa em outro lugar e depois se espalha para os gânglios linfáticos1. Quando as células26 cancerígenas se separam de um tumor30, elas podem viajar para outras áreas do corpo através do sistema linfático31. Nesse sentido, o esvaziamento ganglionar tanto permite saber se as células26 malignas já se espalharam, como interrompe a drenagem7 linfática de um determinado órgão.

Para que as células26 cancerosas se espalhem para novas partes do corpo, elas precisam passar por várias mudanças. Em primeiro lugar, elas precisam se separar do tumor30 original e se fixarem à parede externa de um vaso linfático3 ou sanguíneo. Então, elas começam a se reproduzir, formando um novo tumor30 (metástase32).

Leia sobre "Linfoma27", "Linfoma27 não Hodgkin" e "Linfedema ou elefantíase".

O que é esvaziamento ganglionar?

O esvaziamento ganglionar é a retirada cirúrgica dos linfonodos2, vasos linfáticos e gordura33 periganglionar de uma região para onde drena um órgão acometido pelo câncer16.

Quais são os esvaziamentos ganglionares mais comuns?

Alguns esvaziamentos ganglionares são citados aqui a título de exemplos:

Esvaziamento ganglionar axilar

Muito comumente, a drenagem7 linfática da axila é feita em casos de câncer16 da mama17, porque é por ali que ele começa a se espalhar. O esvaziamento ganglionar axilar é uma operação destinada a tirar todos os gânglios6 que os seres humanos têm na axila, geralmente em número de 12 a 20.

Quase sempre o acesso é feito por uma incisão34 na própria axila, mas pode também ser feito através da mama17 e estendendo-se desde a base da axila até a entrada no tórax35 da veia axilar36. Esta cirurgia permite também estudar se o câncer16 está em fase inicial ou mais avançada. Quanto mais gânglios6 estiverem afetados, mais adiantada está a doença.

Uma vez realizada essa cirurgia, o braço do lado correspondente fica mais sem defesas contra infecções23. Daí que maiores cuidados devem ser tomados no sentido de evitar picadas, injeções, feridas e retirada de cutículas37 neste braço. Este braço também pode apresentar um linfedema (inchaço38 devido à retenção de linfa8).

Esvaziamento cervical

O médico pode solicitar o esvaziamento cervical (dos gânglios6 do pescoço9) em razão de que os tumores de cabeça14 e pescoço9 em geral drenam células26 metastáticas para os gânglios6 dessa região do corpo. Na maioria das vezes, estas metástases29 originam-se de lesões39 primárias do trato aéreo ou digestivo superiores, em particular da boca12, faringe40 e laringe41. Em outras palavras, o câncer16 pode se espalhar por essa região.

O esvaziamento cervical é um procedimento cirúrgico empregado tanto para diagnóstico42 como tratamento do câncer16 de cabeça14 e pescoço9. Ele tem sido modificado ao longo dos anos, passando a ser mais conservador, mantendo, contudo, a eficácia e os princípios da cirurgia oncológica. Trata-se, então, de fazer a remoção desses linfonodos2 e de outros tecidos adjacentes. A cirurgia pode ser seletiva, com a remoção de apenas algumas cadeias de gânglios6, ou radical, com a remoção de todas as cadeias.

Por conta da cirurgia de esvaziamento, podem ocorrer alguns efeitos colaterais43, como dormência44 da orelha45, fraqueza ao levantar o braço acima da cabeça14, desvio do lábio46 inferior, dor e sensação de peso no ombro, e outros.

Veja também sobre "Câncer16 de mama17", "Câncer16 de cabeça14 e pescoço9" e "Ínguas ou linfadenopatias" .

 

ABCMED, 2018. Esvaziamento ganglionar - Quando é feito? Quais são os mais comuns?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1317788/esvaziamento-ganglionar-quando-e-feito-quais-sao-os-mais-comuns.htm>. Acesso em: 30 mar. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa, maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
2 Linfonodos: Gânglios ou nodos linfáticos.
3 Linfático: 1. Na histologia, é relativo à linfa, que contém ou que conduz linfa. 2. No sentido figurado, por extensão de sentido, a que falta vida, vigor, energia (diz-se de indivíduo); apático. 3. Na história da medicina, na classificação hipocrática dos quatro temperamentos de acordo com o humor dominante, que ou aquele que, pela lividez das carnes, flacidez dos músculos, apatia e debilidade demonstradas no comportamento, atesta a predominância de linfa.
4 Sistema circulatório: O sistema circulatório ou cardiovascular é formado por um circuito fechado de tubos (artérias, veias e capilares) dentro dos quais circula o sangue e por um órgão central, o coração, que atua como bomba. Ele move o sangue através dos vasos sanguíneos e distribui substâncias por todo o organismo.
5 Gânglio: 1. Na anatomia geral, é um corpo arredondado de tamanho e estrutura variável; nodo, nódulo. 2. Em patologia, é um pequeno tumor cístico localizado em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
6 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
7 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
8 Linfa: 1. Pode referir-se à água, especialmente a límpida, no uso formal. 2. Líquido orgânico originado do sangue, composto de proteínas e lipídios, que circula nos vasos linfáticos e transporta glóbulos brancos, especialmente os linfócitos T. 3. Qualquer humor aquoso.
9 Pescoço:
10 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
11 Circulação linfática:
12 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
13 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
14 Cabeça:
15 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
16 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
17 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
18 Clavícula:
19 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
20 Mamas: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
21 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
22 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
23 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Otites: Toda infecção do ouvido é chamada de otite.
25 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
26 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
27 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
28 Doença de Hodgkin: Doença neoplásica que afeta o tecido linfático, caracterizada por aumento doloroso dos gânglios linfáticos do pescoço, axilas, mediastino, etc., juntamente com astenia, prurido (coceira) e febre. Atualmente pode ter uma taxa de cura superior a 80%.
29 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
30 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
31 Sistema Linfático: Um sistema de órgãos e tecidos que processa e transporta células imunes e LINFA.
32 Metástase: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
33 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
34 Incisão: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
35 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
36 Veia Axilar: Tronco venoso do membro superior. Continuação das veias basilar e braquial. Corre da borda inferior do músculo redondo maior até a borda externa da primeira costela onde continua-se como veia subclávia.
37 Cutículas: 1. Na anatomia geral, é uma pequena porção de pele enrijecida, como a que está presente no contorno das unhas; pele da unha, pelinha. 2. Na anatomia botânica, é a camada de material graxo, cutina, mais ou menos impermeável, presente na parede externa das células epidérmicas das partes aéreas das plantas. 3. Na anatomia zoológica, é a camada externa, não celular, que recobre o corpo dos artrópodes.
38 Inchaço: Inchação, edema.
39 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
40 Faringe: Canal músculo-membranoso comum aos sistemas digestivo e respiratório. Comunica-se com a boca e com as fossas nasais. É dividida em três partes: faringe superior (nasofaringe ou rinofaringe), faringe bucal (orofaringe) e faringe inferior (hipofaringe, laringofaringe ou faringe esofagiana), sendo um órgão indispensável para a circulação do ar e dos alimentos.
41 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
42 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
43 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
44 Dormência: 1. Estado ou característica de quem ou do que dorme. 2. No sentido figurado, inércia com relação a se fazer alguma coisa, a se tomar uma atitude, etc., resultando numa abulia ou falta de ação; entorpecimento, estagnação, marasmo. 3. Situação de total repouso; quietação. 4. No sentido figurado, insensibilidade espiritual de um ser diante do mundo. Sensação desagradável caracterizada por perda da sensibilidade e sensação de formigamento, e que geralmente ocorre nas extremidades dos membros. 5. Em biologia, é um período longo de inatividade, com metabolismo reduzido ou suspenso, geralmente associado a condições ambientais desfavoráveis; estivação.
45 Orelha: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
46 Lábio: Cada uma das duas margens carnudas e altamente irrigadas da boca.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Geral?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.