Gostou do artigo? Compartilhe!

Mielograma

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é mielograma1?

O mielograma1, também chamado medulograma, é um dos exames usados para avaliação das células da medula óssea2. A medula óssea3, popularmente chamada de “tutano”, é um tecido4 de grande atividade de multiplicações celulares. As células sanguíneas5 fabricadas e amadurecidas na medula6 têm uma duração pequena e definida quando lançadas na corrente sanguínea (leucócitos7 5 dias, plaquetas8 10 dias, hemácias9 90 dias), precisando ser renovadas constantemente.

Elas exercem funções de vital importância no organismo: os glóbulos vermelhos transportam oxigênio para as células10 e dióxido de carbono de volta dos tecidos para os pulmões;11 os glóbulos brancos são a parte mais importante do sistema de defesa do organismo e as plaquetas8 ajudam na coagulação12 do sangue13.

As alterações no processo de renovação celular causam, pois, transtornos de graves consequências para o organismo. O mielograma1 permite identificar e tratar estes transtornos.

Como o exame é realizado?

Normalmente, o exame é realizado em consultório ou ambulatório, sob anestesia14 local, sedação15 ou analgesia sistêmica, conforme as características dos pacientes. Como a medula óssea3 está localizada anatomicamente no interior dos ossos, o exame precisa ser feito com uma agulha cujo comprimento e grossura seja capaz de atingir a parte interna do osso e permitir a aspiração, por uma seringa16, de uma porção dela.

O mielograma1 é realizado, então, através de uma punção óssea, seguida de aspiração de um pequeno fragmento17 de medula6 que é espalhado sobre lâminas de vidro (esfregaço) a serem posteriormente examinadas ao microscópio. Os ossos mais abordados para a punção são o ilíaco18, o esterno19 e a tíbia20 (principalmente em crianças).

Em alguns casos, pode ser necessária também uma biópsia21 da medula óssea3, exame em que se faz também a remoção de um pedaço do osso. A biópsia21, entretanto, é contraindicada no esterno19, sendo a crista ilíaca posterior o seu local preferencial.

O exame do material coletado visará estudar qualitativa e quantitativamente as células10 precursoras das células sanguíneas5, chamadas células10 hematopoiéticas.

Quando deve-se fazer um mielograma1?

O mielograma1 é solicitado pelo médico na investigação de anemias inexplicadas, na redução do número de glóbulos brancos e plaquetas8 de causa não identificada, alterações na função ou formato das células sanguíneas5, diagnóstico22 ou acompanhamento de câncer23 hematológico, suspeita de metástases24 para a medula óssea3, investigação de febre25 de causa desconhecida e suspeita de infiltração na medula óssea3 por substâncias estranhas e infecções26, entre outras razões.

Saiba mais sobre "Leucopenia27" e "Plaquetas8 baixas".

Há riscos em fazer mielograma1?

Todo exame médico implica em algum tipo de risco, muito dos quais, no entanto, são desprezíveis. O mielograma1 é um exame rápido e com complicações muito raras e pouco significativas. É possível ocorrer alguma dor ou desconforto no local da punção, assim como sangramento, hematoma28 ou infecção29. Se a amostra for insuficiente ou inadequada para análise, pode ser necessário repetir o procedimento.

Leia sobre "Leucemias", "Síndromes mielodisplásicas" e "Anemias".

 

ABCMED, 2018. Mielograma. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1310443/mielograma.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Mielograma: Exame para avaliação da medula óssea.
2 Células da Medula Óssea: Células contidas na medula óssea, incluindo células adiposas (ver ADIPÓCITOS), CÉLULAS ESTROMAIS, MEGACARIÓCITOS e os precurssores imediatos da maioria das células sangüíneas.
3 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
4 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
5 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
6 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
7 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
8 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
9 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
10 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
11 Pulmões;: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
12 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
15 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
16 Seringa: Dispositivo usado para injetar medicações ou outros líquidos nos tecidos do corpo. A seringa de insulina é formada por um tubo plástico com um êmbolo e uma agulha pequena na ponta.
17 Fragmento: 1. Pedaço de coisa que se quebrou, cortou, rasgou etc. É parte de um todo; fração. 2. No sentido figurado, é o resto de uma obra literária ou artística cuja maior parte se perdeu ou foi destruída. Ou um trecho extraído de uma obra.
18 Ilíaco:
19 Esterno: Osso longo e achatado, situado na parte vertebral do tórax dos vertebrados (com exceção dos peixes), e que no homem se articula com as primeiras sete costelas e com a clavícula. Ele é composto de três partes: corpo, manúbrio e apêndice xifoide. Nos artrópodes, é uma placa quitinosa ventral do tórax.
20 Tíbia: Osso localizado no lado ântero-medial da perna. Ela apresenta duas epífises e uma diáfise e articula-se proximalmente com o fêmur e a fíbula e distalmente com o tálus e a fíbula.
21 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
24 Metástases: Formação de tecido tumoral, localizada em um lugar distante do sítio de origem. Por exemplo, pode se formar uma metástase no cérebro originário de um câncer no pulmão. Sua gravidade depende da localização e da resposta ao tratamento instaurado.
25 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
26 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
27 Leucopenia: Redução no número de leucócitos no sangue. Os leucócitos são responsáveis pelas defesas do organismo, são os glóbulos brancos. Quando a quantidade de leucócitos no sangue é inferior a 6000 leucócitos por milímetro cúbico, diz-se que o indivíduo apresenta leucopenia.
28 Hematoma: Acúmulo de sangue em um órgão ou tecido após uma hemorragia.
29 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Hematologia e Hemoterapia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.