Atalho: 5TEAZZR
Gostou do artigo? Compartilhe!

Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é gastrite1?

Gastrite1 significa inflamação2 da mucosa3 do estômago4 e deve ser descrita de acordo com critérios histológicos5, ou seja, mesmo que o seu diagnóstico6 seja sugerido por sinais7 ou sintomas8 clínicos, radiológicos ou mesmo endoscópicos, a confirmação final só deve ser feita através do exame microscópico9. O que acontece muitas vezes é que durante uma endoscopia10 os sinais7 são tão exuberantes que o exame histológico11 (biópsia12) é dispensado para uma segunda etapa de controle do tratamento.

É um termo usado para descrever um grupo de condições que tem em comum a inflamação2 do estômago4, frequentemente resultado da infecção13 pela mesma bactéria14 que causa a úlcera15 no estômago4 - o Helicobacter pylori.


Quais os tipos de gastrite1?

A gastrite1 pode ser erosiva, não erosiva, aguda ou crônica.
 
A diferenciação em gastrite1 aguda ou crônica é feita através da visualização, no microscópio, da presença de células16 específicas que identificam a presença de inflamação2 aguda ou crônica.

A gastrite1 pode acontecer de repente (gastrite1 aguda) ou ir se desenvolvendo lentamente (gastrite1 crônica). Em alguns casos, a gastrite1 pode estar ligada às úlceras17 do estômago4 e aumentar o risco de desenvolver câncer18 gástrico. Para a maioria das pessoas, entretanto, ela não é um problema sério e melhora rapidamente com o tratamento.


Quais são os sintomas8 da gastrite1?

Os sinais7 e sintomas8 incluem:

  • Sensação de queimação, dor ou indigestão na região superior do abdome19 que pode melhorar ou piorar com a alimentação
  • Náuseas20
  • Vômitos21
  • Perda de apetite
  • Sensação de plenitude gástrica depois da alimentação
  • Aumento dos gases ou sensação de inchaço22 no estômago4
  • Perda de peso

Os sintomas8 mais comuns na gastrite1 aguda são náuseas20, queimação ou desconforto no abdome19 superior. Já na gastrite1 crônica, é mais comum dor, plenitude gástrica ou perda de apetite. Para muitas pessoas, no entanto, a gastrite1 crônica não causa sinais7 ou sintomas8.

 

Quando consultar um médico?

É raro uma pessoa que nunca teve indigestão ou dor no estômago4. A maioria dos casos de indigestão é passageiro e não requer atendimento médico. Mas se você apresenta sinais7 ou sintomas8 por uma semana ou mais, procure um médico (gastroenterologista ou clínico geral). Fale com ele quando começou a sentir os incômodos, diga se usou algum medicamento por conta própria, especialmente aspirina ou outros anti-inflamatórios.

Caso você vomite sangue23 vermelho vivo ou em cor de “borra de café” ou tenha fezes escuras, você precisa procurar atendimento médico imediato para saber a causa do problema.

gastrite


Quais são as causas de gastrite1?

Uma barreira de muco protege a parede do estômago4 das agressões dos ácidos produzidos pelo próprio estômago4 para ajudar na digestão24 dos alimentos. O enfraquecimento desta barreira permite que os sucos digestivos danifiquem e inflamem o revestimento interno do estômago4, causando a gastrite1.

Vários fatores podem contribuir para desencadeá-la, como:

Infecção13 bacteriana
Infecção13 pelo Helicobacter pylori pode causar mais comumente a gastrite1 crônica. Metade da população mundial pode estar infectada por esta bactéria14. A maioria dos infectados não apresenta complicações. Em algumas pessoas, o H.pylori pode romper a barreira de proteção do estômago4 causando mudanças no revestimento interno deste órgão. Esta vulnerabilidade à bactéria14 pode ser herdada ou adquirida.

Uso regular de anti-inflamatórios
Anti-inflamatórios não esteroides como ibuprofeno e naproxeno ou aspirina podem causar gastrite1 aguda ou crônica. Estas substâncias reduzem a produção de uma substância chave que ajuda a preservar o revestimento interno protetor do estômago4. Problemas no estômago4 são menos comuns de acontecer quando estes medicamentos são usados apenas eventualmente.

Excesso de álcool
O álcool pode irritar a mucosa3 gástrica, o que torna o estômago4 mais vulnerável aos sucos gástricos. O uso excessivo de álcool pode causar gastrite1 aguda.

Estresse
O estresse severo como uma cirurgia de grande porte, injúrias traumáticas, queimaduras ou infecções25 graves podem causar gastrite1 aguda. Não há comprovação científica sobre uma relação direta entre desenvolvimento de gastrite1 e estresse psicológico.

Refluxo biliar
A bile26, fluido que ajuda na digestão24 de gorduras, é produzida pelo fígado27 e estocada na vesícula biliar28. A válvula pilórica evita o refluxo da bile26 do intestino ao estômago4, mas se esta válvula não está funcionando bem ou precisou ser removida por uma cirurgia, a bile26 pode refluir para o estômago4 e levar à inflamação2 e à gastrite1 crônica. O próprio corpo ataca as células16 do seu estômago4, é a chamada “gastrite auto-imune”. Ela é mais comum em pessoas com outros problemas imunológicos como doença de Hashimoto, doença de Addison e diabetes tipo 129, e também pode estar associada à deficiência de vitamina30 B12.

Outras doenças e condições
A gastrite1 pode estar associada a outras condições médicas como AIDS/HIV31, doença de Crohn32, infecções25 parasitárias, algumas doenças do tecido conectivo33, insuficiência renal34 ou hepática35.

Envelhecimento
O aumento da idade pode aumentar o risco de gastrite1 pois o revestimento interno do estômago4 tende a ficar mais fino com a idade, a chamada "gastrite1 atrófica36". Idosos têm maior probabilidade de ter infecção13 pelo Helicobacter pylori e doenças auto-imunes que pessoas mais jovens.


Uma pessoa que tem gastrite1 está sujeita a complicações?

Se não tratada, a gastrite1 pode levar a úlceras17 no estômago4 e sangramento. Algumas formas de gastrite1 crônica podem aumentar o risco de câncer18 no estômago4, especialmente se você têm um revestimento interno fino no estômago4 e alterações nas células16 da mucosa3 gástrica.

Fale com seu médico se os sinais7 e sintomas8 não estão melhorando apesar do tratamento da gastrite1.

Referências:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas em parte dos sites da Cleveland Clinic e da Johns Hopkins Medicine.

ABCMED, 2009. Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/41893/gastrite-o-que-sente-uma-pessoa-com-gastrite.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago. Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
4 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
5 Histológicos: Relativo à histologia, ou seja, relativo à disciplina biomédica que estuda a estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Microscópico: 1. Relativo à microscopia ou a microscópio. 2. Que se realiza com o auxílio do microscópio. 3. Visível somente por meio do microscópio. 4. Muito pequeno, minúsculo.
10 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
11 Histológico: Relativo à histologia, ou seja, relativo à disciplina biomédica que estuda a estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
12 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
13 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
14 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
15 Úlcera: Ferida superficial em tecido cutâneo ou mucoso que pode ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Úlceras: Feridas superficiais em tecido cutâneo ou mucoso que podem ocorrer em diversas partes do organismo. Uma afta é, por exemplo, uma úlcera na boca. A úlcera péptica ocorre no estômago ou no duodeno (mais freqüente). Pessoas que sofrem de estresse são mais susceptíveis a úlcera.
18 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
19 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
20 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
21 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
22 Inchaço: Inchação, edema.
23 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
24 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
25 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
26 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
27 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
28 Vesícula Biliar: Reservatório para armazenar secreção da BILE. Através do DUCTO CÍSTICO, a vesícula libera para o DUODENO ácidos biliares em alta concentração (e de maneira controlada), que degradam os lipídeos da dieta.
29 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
30 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
31 HIV: Abreviatura em inglês do vírus da imunodeficiência humana. É o agente causador da AIDS.
32 Doença de Crohn: Doença inflamatória crônica do intestino que acomete geralmente o íleo e o cólon, embora possa afetar qualquer outra parte do intestino. A doença cursa com períodos de remissão sintomática e outros de agravamento. Na maioria dos casos, a doença de Crohn é de intensidade moderada e se torna bem controlada pela medicação, tornando possível uma vida razoavelmente normal para seu portador. A causa da doença de Crohn ainda não é totalmente conhecida. Os sintomas mais comuns são: dor abdominal, diarreia, perda de peso, febre moderada, sensação de distensão abdominal, perda de apetite e de peso.
33 Tecido conectivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.
34 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
35 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
36 Atrófica: Relativa à atrofia, atrofiada. Que atrofia; que mingua, atrofiador, atrofiante. Que se torna mais debilitada e menos intensa.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

30/10/2014 - Comentário feito por JAN
PARABÉNS PELO SITE, ESTOU ADORANDO LER S...
PARABÉNS PELO SITE, ESTOU ADORANDO LER SOBRE AS MATÉRIAS. TUDO MT BEM EXPLICADO.
abracos a todos ...

03/04/2014 - Comentário feito por Thiago
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
Bom dia. No meu caso gostaria de saber se é gastite até porque, eu durmo quando acordo não frequentemente aparecem machucados na gengiva ou proximo. E começou ontem fortes dores no abdomem e tontura sendo que não sei se seria um sintoma, não sei se vocês podem me ajudar mas não custa nada tentar não é verdade ?
Grato desde já.

09/03/2014 - Comentário feito por ana
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
BOM DIA! QUERO QUE SAIBAM QUE ESSA MATERIA VEIO EM BOA HORA PARA MIM. EU ANDO COM ESSE PROBLEMA AS DORES SAO HORRIVEL!!!! AGRADEÇO A TODOS VCS POR ESTAS INFORMAÇOES. VOCES ESTAO DE PARABENS!!!!! UM ABRAÇOOOOOO

27/11/2013 - Comentário feito por sandra
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
Muito esclarecedor ! Foi de grande ajuda ! Obgd

25/10/2013 - Comentário feito por Cristiana
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
O site me ajudou muito nos esclarecimentos, estou com todos os sintomas que descreveram, enjoo, vômito, quando como a comida fica toda embolada, mal estar, se paladar, sem vontade de comer,e quando como parece que a comida sobe no esofâgo, parece um bolo na garganta, abdome estufado e gases, e o meu intestino totalmente desregulado. Estava muito preocupada e ansiosa... Ainda bem que marquei gastro semana que vem, vou poder falar com mais segurança o que estou sentindo, e assim poder resolver esse problema!!!! Gente são sensações horríveis, deixa a gente até deprimida!!! Espero que essa fase passe logo!!!!!

09/09/2013 - Comentário feito por ivete
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
Nao sei se é gastrite, mas sinto todos os sintomas dores mto fortes no estomagos, ansia de vomito com e vomitos com sangue dores abidominais , queimaçao mto gases e arece que fica intalada.

20/08/2013 - Comentário feito por amanda
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
sabe sinto umas dores horriveis na boca do estomago se eu como doe se eu nao como doe tbm e cada vez q doe meu estomago eu cmo algo e dali uns 10 minutos vem aquela dor denovo sera q isso eh gastrite mesmo???

01/08/2013 - Comentário feito por jessica
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
Bom , essas ultimas semanas tenho sentido essas dores no estomago umas pontadas, é muito ruin ..
mais meu avô disse que já teve e tomou MYLANTA e seus problemas acabarao, bom os meus tambem .. eu indico é muito bom :D

03/07/2013 - Comentário feito por thayanne
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
ultimamente eu venho sentindo alguns sintomas nossa è horrivel a sensaçao misericodia se DEUS quizer nao vai ser isso!!!! agora vou proucurar saber mais informaçâo... esse site me ajudou muito..... valeuuu...

25/05/2013 - Comentário feito por Murilo
Re: Gastrite. O que sente uma pessoa com gastrite?
Estou há uns 3 dias com o estômago muito estufado, parece que a comida fica parada ali, por isso, me sinto cheio o tempo todo e perco o apetite. Mesmo assim consigo ir ao banheiro regularmente. Porém eu não sinto dores, nem naúseas, queimações, nada.. Apenas esse incomodo muito chato por sinal. Será que pode ser gastrite?

  • Entrar
  • Assinar