Gostou do artigo? Compartilhe!

Isquemia cerebral transitória: você sabe o que é?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é isquemia1 cerebral transitória?

A isquemia1 cerebral transitória, também chamada de ataque isquêmico2 transitório (AIT), é um problema neurológico que acontece de repente e passageiramente, provocando sintomas3 que duram alguns minutos ou horas, após o qual há recuperação total da pessoa acometida.

Quais são as causas da isquemia1 cerebral transitória?

A causa mais comum da isquemia1 cerebral transitória é representada por coágulos de sangue4 que bloqueiam temporariamente o fluxo de sangue4 para áreas do cérebro5. As situações que favorecem a formação de coágulos são artérias6 danificadas pela aterosclerose7, pressão arterial8 alta e diabetes mellitus9. Além disso, uma artéria10 pode ser parcialmente bloqueada por uma placa ateromatosa11 e um eventual espasmo12 transitório nessa artéria10 pode ajudar a bloqueá-la integralmente.

Por outro lado, um coágulo13 pode se formar à distância e viajar através da corrente sanguínea para bloquear uma artéria10 do cérebro5. Isso pode acontecer depois de um infarto do miocárdio14 ou como resultado de outras condições cardíacas como fibrilação atrial, problemas nas válvulas cardíacas, defeitos do septo atrial e insuficiência cardíaca15. Outras causas mais raras de formação de coágulos podem ser o acúmulo de bactérias, células16 tumorais ou bolhas de ar, doenças que aumentam a coagulação17 do sangue4, inflamação18 nos vasos sanguíneos19, como na sífilis20, tuberculose21 ou outras doenças inflamatórias, lesões22 na cabeça23 ou no pescoço24 e um rasgo na parede de um vaso sanguíneo localizado no pescoço24.

Os fatores de risco mais conhecidos da isquemia1 cerebral transitória são: idade avançada, história familiar de casos de acidente vascular cerebral25 ou doença cardíaca, tabagismo, sedentarismo26, diabetes27, aumento de colesterol28 ou triglicérides29, doenças ou arritmias30 cardíacas ou infarto do miocárdio14 prévios. As causas mais frequentes da isquemia1 cerebral transitória em jovens são as dissecções arteriais, o forame31 oval persistente, o uso de medicações tóxicas ou drogas ilícitas32 e a enxaqueca33. Quando a doença afeta pessoas jovens, a pesquisa das causas deve ser mais detalhada.

Quais são os principais sinais34 e sintomas3 da isquemia1 cerebral transitória?

Na isquemia1 cerebral transitória ocorre uma obstrução momentânea de algum vaso que irriga o cérebro5. Naqueles minutos ou horas, o sangue4 não chega naquele local irrigado pelo vaso entupido, aquela região deixa de executar a sua função e o paciente tem os sintomas3 correspondentes. Geralmente, os sintomas3 simulam um acidente vascular cerebral25. Os sintomas3 ocorrem subitamente, sem aviso prévio, com alguns dos seguintes sinais34: alteração súbita da fala ou da força num braço ou perna, alteração súbita da sensibilidade em um lado do corpo, desvio da boca35 para um dos lados, alteração do equilíbrio, alteração súbita da visão36 e/ou da audição, náuseas37, sonolência de início súbito, convulsões e fortes dores de cabeça23 de início súbito.

Como o médico diagnostica a isquemia1 cerebral transitória?

Se os sintomas3 da isquemia1 cerebral transitória desapareceram completamente, os resultados de um exame físico posterior será normal e o diagnóstico38 tem de ser baseado no histórico médico do paciente. Para pesquisar suas causas o médico pode solicitar uma tomografia computadorizada39 ou ressonância magnética40 de crânio41, uma angiorressonância do crânio41 e/ou artérias6 cervicais, ecocardiograma42 e eletrocardiograma43, exames de sangue4, Holter44 de 24 horas, Doppler transcraniano e ultrassonografia45 das carótidas46 e vertebrais. Conforme a especificidade de cada caso, outros exames podem ser pedidos.

Como o médico trata a isquemia1 cerebral transitória?

O tratamento da isquemia1 cerebral transitória depende da sua causa. A providência principal do tratamento da maioria dos casos é controlar os fatores de risco: baixar os níveis sanguíneos do colesterol28, controlar a diabetes27, interromper o tabagismo e o excesso de álcool, reduzir obesidade47, controlar a pressão arterial8 dos hipertensos, usar medicações antiagregantes plaquetárias. A isquemia1 cerebral transitória pode repetir-se e, portanto, um dos objetivos do tratamento é evitar possíveis eventos futuros. Por isso, mudanças no estilo de vida para uma vida mais saudável são uma parte importante do acompanhamento.

Como prevenir a isquemia1 cerebral transitória?

Os pacientes que estão sob risco devem observar algumas medidas: não fumar, manter uma dieta equilibrada, limitar o uso de sódio, praticar exercícios regulares, limitar a ingestão de álcool, manter um peso saudável, não usar drogas ilícitas32 e controlar a diabetes27, se houver.

Como evolui a isquemia1 cerebral transitória?

A isquemia1 cerebral transitória pode evoluir para um acidente vascular cerebral25 e, às vezes, é um prenúncio dele.

Quais são as complicações da isquemia1 cerebral transitória?

A complicação clínica mais temível da isquemia1 cerebral transitória é a sua possível evolução para um acidente vascular cerebral25 e, eventualmente, para a morte.

ABCMED, 2015. Isquemia cerebral transitória: você sabe o que é?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/750442/isquemia-cerebral-transitoria-voce-sabe-o-que-e.htm>. Acesso em: 16 jul. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
2 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
7 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
8 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
11 Placa ateromatosa: São placas de ateromas, ou seja, placas formadas pelo acúmulo de lipídeos e de tecido fibroso no interior da parede dos vasos sanguíneos, podendo obstruí-los e causar isquemias nos tecidos. Os ateromas são as manifestações da aterosclerose.
12 Espasmo: 1. Contração involuntária, não ritmada, de um ou vários músculos, podendo ocorrer isolada ou continuamente, sendo dolorosa ou não. 2. Qualquer contração muscular anormal. 3. Sentido figurado: arrebatamento, exaltação, espanto.
13 Coágulo: 1. Em fisiologia, é uma massa semissólida de sangue ou de linfa. 2. Substância ou produto que promove a coagulação do leite.
14 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
15 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
16 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
17 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
18 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
19 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
20 Sífilis: Doença transmitida pelo contato sexual, causada por uma bactéria de forma espiralada chamada Treponema pallidum. Produz diferentes sintomas de acordo com a etapa da doença. Primeiro surge uma úlcera na zona de contato com inflamação dos gânglios linfáticos regionais. Após um período a lesão inicial cura-se espontaneamente e aparecem lesões secundárias (rash cutâneo, goma sifilítica, etc.). Em suas fases tardias pode causar transtorno neurológico sério e irreversível, que felizmente após o advento do tratamento com antibióticos tem se tornado de ocorrência rara. Pode ser causa de infertilidade e abortos espontâneos repetidos.
21 Tuberculose: Doença infecciosa crônica produzida pelo bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosis). Produz doença pulmonar, podendo disseminar-se para qualquer outro órgão. Os sintomas de tuberculose pulmonar consistem em febre, tosse, expectoração, hemoptise, acompanhada de perda de peso e queda do estado geral. Em países em desenvolvimento (como o Brasil) aconselha-se a vacinação com uma cepa atenuada desta bactéria (vacina BCG).
22 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
23 Cabeça:
24 Pescoço:
25 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
26 Sedentarismo: Qualidade de quem ou do que é sedentário, ou de quem tem vida e/ou hábitos sedentários. Sedentário é aquele que se exercita pouco, que não se movimenta muito.
27 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
28 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
29 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
30 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
31 Forame: Mesmo que forâmen. Abertura, buraco, furo, cova. Na anatomia geral, é um orifício, abertura ou perfuração através de um osso ou estrutura membranosa.
32 Ilícitas: 1. Condenadas pela lei e/ou pela moral; proibidas, ilegais. 2. Qualidade das que não são legais ou moralmente aceitáveis; ilicitude.
33 Enxaqueca: Sinônimo de migrânea. É a cefaléia cuja prevalência varia de 10 a 20% da população. Ocorre principalmente em mulheres com uma proporção homem:mulher de 1:2-3. As razões para esta preponderância feminina ainda não estão bem entendidas, mas suspeita-se de alguma relação com o hormônio feminino. Resulta da pressão exercida por vasos sangüíneos dilatados no tecido nervoso cerebral subjacente. O tratamento da enxaqueca envolve normalmente drogas vaso-constritoras para aliviar esta pressão. No entanto, esta medicamentação pode causar efeitos secundários no sistema circulatório e é desaconselhada a pessoas com problemas cardiológicos.
34 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
35 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
36 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
37 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
38 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
39 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
40 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
41 Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO. Sinônimos: Calvaria; Calota Craniana
42 Ecocardiograma: Método diagnóstico não invasivo que permite visualizar a morfologia e o funcionamento cardíaco, através da emissão e captação de ultra-sons.
43 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
44 Holter: Dispositivo portátil, projetado para registrar de forma contínua, diferentes variáveis fisiológicas ou atividade elétrica durante um período pré-estabelecido de tempo. Os mais utilizados são o Holter eletrocardiográfico e o Holter de pressão.
45 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
46 Carótidas: Artérias originadas a partir da aorta torácica ou a partir de um dos seus ramos principais, encarregadas de conduzir o maior volume sangüíneo para as estruturas do crânio.Estão dispostas de cada lado do pescoço (carótidas externas), que a seguir ramifica-se em várias artérias e unem-se aos troncos arteriais derivados do circuito cerebral posterior, através dos ramos comunicantes posteriores.
47 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Neurologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.