Atalho: 6YR2QWG
Gostou do artigo? Compartilhe!

Como é a tendinite?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é tendinite1?

tendões2 em todas as articulações3 dobráveis do corpo, ligando os músculos4 aos ossos. Tendinite1 é a inflamação5 aguda ou crônica de qualquer um desses tendões2. Usualmente ela ocorre em pessoas que realizam tarefas repetitivas e os grupos de pessoas mais afetados são os trabalhadores em linhas de montagem ou que utilizam demais o mouse de computador. Embora ela possa ocorrer em qualquer lugar, os locais mais afetados pela tendinite1 são ombros, mãos6, cotovelos, punhos, quadril, joelhos e tornozelos.

Quais são as causas da tendinite1?

Além do esforço físico intenso ou repetido, as tendinites podem ter outras causas variadas, como traumas mecânicos, infecções7, doenças reumáticas ou imunológicas, distúrbios metabólicos, processos degenerativos8 das articulações3, neuropatias várias, etc.

Quais são os principais sinais9 e sintomas10 da tendinite1?

Os sinais9 e sintomas10 das tendinites incluem dor e inchaço11 de intensidades variáveis, diferentes graus de restrição dos movimentos e da força muscular, impedindo a pessoa de realizar atividades simples, como escrever, caminhar ou subir escada, por exemplo. A pele12 que recobre o tendão13 afetado pode ficar aquecida e avermelhada. As profissões mais afetadas pela tendinite1 costumam ser as de telefonistas, instrumentistas, bailarinos, atletas, digitadores, etc.

Como o médico diagnostica a tendinite1?

O diagnóstico14 da tendinite1 é clínico, dependendo de uma boa história e exame físico do paciente, complementado com radiografias, ultrassonografias, ressonâncias magnéticas e provas laboratoriais. No entanto, nenhum desses exames é capaz de oferecer 100% de certeza na caracterização das tendinites. O diagnóstico14 de certeza depende do exame anatomopatológico do tendão13.

Como o médico trata a tendinite1?

O tratamento da tendinite1 depende da gravidade do caso. Muitas vezes apenas são prescritos anti-inflamatórios; outras vezes, pode haver necessidade de imobilizar o membro afetado. Em casos mais graves pode-se aplicar corticoides. Além dessas medidas terapêuticas, deve-se observar repouso e fazer fisioterapia15. Medicações sintomáticas também podem se utilizadas: analgésicos16, anti-inflamatórios, etc.

Como evolui a tendinite1?

Se o tratamento não for feito de maneira adequada, podem ficar algumas sequelas17 da tendinite1 e até mesmo ocorrer o rompimento do tendão13.

Inflamação5 de longa duração aumenta o risco de futuras lesões18 aos tendões2.

Os sintomas10 da tendinite1 tendem a retornar.

Como prevenir a tendinite1?

  • Evitar movimentos repetitivos.
  • Fazer aquecimento antes de começar qualquer atividade física.
  • Se tiver que executar alguma tarefa muito repetitiva, fazer pausa de pelo menos 10 minutos a cada duas horas para alongamento.
ABCMED, 2013. Como é a tendinite?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/351774/como+e+a+tendinite.htm>. Acesso em: 16 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Tendinite: Inflamação de um tendão. Produz-se em geral como conseqüência de um traumatismo. Existem doenças imunológicas capazes de produzir tendinite entre outras alterações.
2 Tendões: Tecidos fibrosos pelos quais um músculo se prende a um osso.
3 Articulações:
4 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
7 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
8 Degenerativos: Relativos a ou que provocam degeneração.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Inchaço: Inchação, edema.
12 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
13 Tendão: Tecido fibroso pelo qual um músculo se prende a um osso.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Fisioterapia: Especialidade paramédica que emprega agentes físicos (água doce ou salgada, sol, calor, eletricidade, etc.), massagens e exercícios no tratamento de doenças.
16 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
17 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
18 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.