Atalho: 6R8HWEV
Gostou do artigo? Compartilhe!

Teníase: você conhece esta verminose?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é teníase?

A teníase é uma infecção1 intestinal ocasionada principalmente por dois grandes parasitas hermafroditas, Taenia solium e Taenia saginata. Essas tênias são também chamadas solitárias, porque, na maioria dos casos, cada pessoa porta apenas um verme adulto de cada vez. Como são muito competitivas pelo seu habitat e como apresentam órgãos sexuais dos dois sexos, com estruturas fisiológicas2 para autofecundação, não necessitam de parceiros para se reproduzirem.

Em seu conjunto, as teníases são um sério problema de saúde3 pública, principalmente nos países pobres onde não exista higiene sanitária básica. Teníase e cisticercose são fases diferentes da infestação4 pelos mesmos parasitas. A teníase ocorre devido à presença do verme adulto no intestino humano (o homem é o seu hospedeiro definitivo) e a cisticercose deve-se à presença da larva do verme, que pode estar presente em hospedeiros intermediários como suínos e bovinos e, no homem, podem instalar-se em outros órgãos, como o cérebro5, por exemplo.

Quais são as causas da teníase?

A teníase é causada pelos parasitas adultos, chamados Taenia solium (oriundas do porco) ou Taenia saginata (oriundas do boi). Como têm os componentes biológicos dos dois sexos, as tênias se autofecundam e os segmentos (proglótides ou proglotes6) fecundados, contendo ovos, são eliminados junto com as fezes e contaminam a água e os alimentos que, ingeridos pelos hospedeiros intermediários, alojam-se em seu tecido7 muscular e que, se consumidos posteriormente pelo homem, transferem-se para ele. Desse modo, se consumir a carne suína ou bovina crua ou mal congelada o homem pode completar o ciclo de desenvolvimento do verme. Ao eliminar os ovos, o homem reinicia um novo ciclo da doença. Além disso, os ovos e a tênia podem ser diretamente ingeridos pelo homem.

Quais são os sinais8 e sintomas9 da teníase?

Durante algum tempo a teníase pode ser assintomática e o indivíduo nem sequer saber que tem o verme em seu intestino. Quando existem sintomas9, eles podem ser alterações do apetite, enjoo, diarreia10, perturbações nervosas, irritação, fadiga11 e insônia. Se os ovos forem ingeridos diretamente pelo homem, o embrião pode passar à corrente sanguínea e se alojar no cérebro5, olhos12, pele13, músculos14, coração15, causando cegueira, convulsão16 e até mesmo óbito17.

Como o médico diagnostica a teníase?

O diagnóstico18 comumente é feito pela observação dos proglotes6 eliminados nas fezes do paciente, já que eles e os ovos nem sempre são detectados nos exames parasitológicos de fezes. Nos exames parasitológicos o diagnóstico18 é feito pela observação ao microcópio dos ovos. Um único exame parasitológico negativo não exclui a teníase e deve ser repetido. Quando os métodos parasitológicos mostram-se insuficientes, os testes de hemaglutinação19 e imunofluorescência indireta auxiliarão no diagnóstico18.

Como o médico trata a teníase?

O tratamento da teníase é feito com medicação oral em dose única (por exemplo, nitazoxanida, praziquantel ou mebendazol).

Como prevenir a teníase?

A teníase pode ser prevenida por meio de um adequado tratamento de água e esgoto, fiscalização das carnes de porco e boi que as pessoas consomem, cozimento prolongado das carnes e bons hábitos de higiene. 

ABCMED, 2012. Teníase: você conhece esta verminose?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/330149/teniase-voce-conhece-esta-verminose.htm>. Acesso em: 21 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Infestação: Infecção produzida por parasitas. Exemplos de infestações são sarna (escabiose), pediculose (piolhos), infecção por parasitas intestinais, etc.
5 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
6 Proglotes: Proglotes ou proglótides são os segmentos ou metâmeros das tênias.
7 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
11 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
12 Olhos:
13 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
14 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
15 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
16 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
17 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
18 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
19 Hemaglutinação: Aglutinação de glóbulos vermelhos sob a ação de aglutininas específicas. Pode ser imune ou não imune, como a causada por vírus ou por outros microrganismos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.