Gostou do artigo? Compartilhe!

Hifema: conceito, causas, características, diagnóstico, tratamento e evolução

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é hifema?

Hifema é a presença de sangue1 consequente a uma hemorragia2 no espaço da câmara anterior3 do olho4, situado entre a córnea5 e a íris6. A câmara anterior3 é a parte da frente do interior do olho4 onde se localizam os fluxos de fluidos, fornecendo alimento para os tecidos circundantes.

Quais são as causas do hifema?

O hifema geralmente tem origem traumática, mas pode obedecer a diversos outros fatores, como cirurgias oculares, uso de anticoagulantes7, transtornos da coagulação8 sanguínea e presença de vasos anômalos na íris6. Outras causas menos frequentes incluem câncer9 de olho4, inflamação10 da íris6, diabetes11 avançada e doenças do sangue1, como a anemia falciforme12, por exemplo.

Qual é a fisiopatologia13 do hifema?

No hifema há a ruptura ou a fragilidade dos vasos sanguíneos14 da câmara anterior3 dos olhos15, devido a um traumatismo16, doenças sistêmicas ou distúrbios da coagulação8, permitindo o extravasamento de sangue1.

Quais são as principais características clínicas do hifema?

Se o hifema for de pequena intensidade, poderá cursar sem muitos sintomas17 e o paciente pode apenas perceber um leve desconforto ocular. O olho4 pode ficar avermelhado, sem muito ou nenhum comprometimento da visão18, o que pode acontecer nos casos mais graves. Pode ainda haver dor ocular e sensibilidade aumentada à luz. Em um hifema total, o acúmulo de sangue1 pode bloquear que se veja a íris6 e a pupila. Uma hemorragia2 de grande porte representa uma emergência19 médica e deve ser atendida o mais prontamente possível.

Como o médico diagnostica o hifema?

O diagnóstico20 é feito depois de uma história médica completa e exame físico do olho4. É necessário realizar a medição e controle da pressão intraocular21, uma vez que ela pode aumentar muito, causando um glaucoma22. Uma ultrassonografia23 pode ser útil.

Como o médico trata o hifema?

O tratamento do hifema depende da extensão da lesão24 e das expectativas quanto ao curso do problema. Nos casos ligeiros, o tratamento não chega a ser necessário e o sangue1 é absorvido em poucos dias ou, no máximo, esses casos podem ser tratados com o uso de colírios anti-inflamatórios e hipotensores oculares. Se, por outro lado, o sangramento é recorrente e mais intenso, o resultado provável da doença é muito pior e pode exigir repouso ocular, tapa-olhos15 e sedativos.

A leitura deve ser evitada, devido à movimentação dos olhos15. Em casos mais severos, o médico pode precisar remover cirurgicamente o sangue1, especialmente se a pressão intraocular21 se tornar muito alta ou o sangue1 for absorvido muito lentamente. A cirurgia também pode proceder à lavagem da câmara anterior3 e à injeção25 de medicações que desfaçam as traves de fibrina26.

Como evolui o hifema?

O resultado do hifema depende da extensão da lesão24, das condições causais de base e do tratamento ou controle de enfermidades como a anemia falciforme12 ou o diabetes11, por exemplo.

Quais são as complicações possíveis do hifema?

Caso não seja adequadamente tratado, o hifema poderá gerar aumento da pressão ocular e glaucoma22 ou uma inflamação10 ocular significativa. Esse aumento da pressão intraocular21 também poderá afetar o nervo óptico e a córnea5. A inflamação10 ocular pode acarretar catarata27 e danos adicionais à córnea5, diminuindo rapidamente a visão18 do paciente. Em casos extremos, o hifema pode acarretar perda da visão18 ou danos irreversíveis em diferentes estruturas do olho4.

 

ABCMED, 2016. Hifema: conceito, causas, características, diagnóstico, tratamento e evolução. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/819269/hifema-conceito-causas-caracteristicas-diagnostico-tratamento-e-evolucao.htm>. Acesso em: 20 set. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
2 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
3 Câmara Anterior: Espaço localizado no olho, preenchido com humor aquoso, limitado anteriormente pela córnea e uma pequena porção da esclera, e posteriormente por uma pequena porção do corpo ciliar, pela íris e pela parte do cristalino que se apresenta através da pupila.
4 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
5 Córnea: Membrana fibrosa e transparente presa à esclera, constituindo a parte anterior do olho.
6 Íris: Membrana arredondada, retrátil, diversamente pigmentada, com um orifício central, a pupila, que se situa na parte anterior do olho, por trás da córnea e à frente do cristalino. A íris é a estrutura que dá a cor ao olho. Ela controla a abertura da pupila, regulando a quantidade de luz que entra no olho.
7 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
8 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
9 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
10 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
11 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
12 Anemia falciforme: Doença hereditária que causa a má formação das hemácias, que assumem forma semelhante a foices (de onde vem o nome da doença), com maior ou menor severidade de acordo com o caso, o que causa deficiência do transporte de gases nos indivíduos que possuem a doença. É comum na África, na Europa Mediterrânea, no Oriente Médio e em certas regiões da Índia.
13 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
14 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
15 Olhos:
16 Traumatismo: Lesão produzida pela ação de um agente vulnerante físico, químico ou biológico e etc. sobre uma ou várias partes do organismo.
17 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
18 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
19 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
20 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
21 Pressão intraocular: É a medida da pressão dos olhos. É a pressão do líquido dentro do olho.
22 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
23 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
24 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
25 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
26 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
27 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.