Gostou do artigo? Compartilhe!

Entupimento do canal lacrimal

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são os canais lacrimais?

Os canais lacrimais, também conhecidos como ductos lacrimais, têm a função de recolher as lágrimas que banham os olhos1 e conduzi-las para a cavidade nasal2. Eles são pequenos canais que partem das pálpebras3 de cada lado do rosto e que se iniciam em orifícios minúsculos, denominados pontos lacrimais.

Esses pontos lacrimais, que são o início do sistema de drenagem4 lacrimal, se situam entre 2 e 5 milímetros (mm) do canto nasal e têm continuidade com os canais lacrimais que possuem um comprimento de 4 a 7 mm e convergem para o saco lacrimal. O ducto nasolacrimal5 tem início no saco lacrimal e se abre no assoalho da cavidade nasal2, a aproximadamente 1 centímetro da abertura das narinas externas.

O que é entupimento do canal lacrimal?

As lágrimas são produzidas pelas glândulas6 lacrimais, localizadas no ângulo superior externo de cada olho7 e drenadas para a cavidade nasal2 pelos canais lacrimais a partir dos pontos lacrimais. Em aproximadamente 6% dos recém-nascidos, o canal lacrimal não está totalmente aberto, fazendo com que estas crianças apresentem sintomas8 de lacrimejamento (lágrimas escorrendo pela face9) e secreção no olho7 acometido.

Esse entupimento também pode ocorrer em adultos, por razões diferentes dos bebês10. Isso obstrui o fluxo normal das lágrimas que então transbordam as pálpebras3 e escorrem pela face9.

Leia sobre "Lacrimejamento em bebês10" e "Como evitar a conjuntivite11 infecciosa?"

Quais são as causas do entupimento do canal lacrimal?

No bebê, geralmente a obstrução do canal lacrimal é congênita12. Diferentemente, no adulto o bloqueio do canal lacrimal acontece ao longo do tempo, estando normalmente relacionado ao envelhecimento, passando a ficar mais estreito com a idade, além de poder estar relacionado a pancadas no rosto ou no nariz13 e a doenças inflamatórias, como a sarcoidose14, por exemplo.

Quais são as principais características clínicas do entupimento do canal lacrimal?

As crianças com entupimento do canal lacrimal frequentemente apresentam lacrimejamento e acúmulo de secreções no ângulo interno dos olhos1 e olhos1 “colados” ao acordar. Nas crianças com obstrução das vias lacrimais, pode haver dermatite15 (assadura) na pálpebra inferior, resultante do contato frequente da lágrima com a pele16.

Como o médico diagnostica o entupimento do canal lacrimal?

O diagnóstico17 da obstrução das vias lacrimais é principalmente clínico, baseado nos sinais18 e sintomas8. Pode ser feita também uma dacriocistografia, exame em que um contraste é injetado nas vias lacrimais e são feitas radiografias da região, para detectar o ponto de obstrução.

Além dos sintomas8 típicos, um diagnóstico17 diferencial deve ser feito com a conjuntivite11. Nas crianças que apresentam canal lacrimal entupido, os olhos1 geralmente estão brancos, calmos, sem sinais18 de inflamação19 e com lacrimejamento. Já nas conjuntivites20, além da secreção, os olhos1 ficam vermelhos e inchados, resultantes do processo infeccioso/inflamatório. As crianças com entupimento do canal lacrimal frequentemente apresentam os olhos1 colados ao acordar, o que também pode ocorrer nas conjuntivites20.

Saiba mais sobre "Conjuntivite11", "Evitar a conjuntivite11" e "Obstrução das vias lacrimais".

Como o médico trata o entupimento do canal lacrimal?

Cerca de 90% das crianças com lacrimejamento devido à obstrução do canal lacrimal apresentam cura espontânea nos primeiros meses de vida. A secreção em excesso deve ser removida e uma delicada massagem deve ser feita ao longo do canal lacrimal. Recomenda-se o início das massagens no canto nasal do olho7 comprometido, o mais precocemente possível. Essas massagens aumentam a chance de cura sem a necessidade de intervenção cirúrgica.

Normalmente não há necessidade de colírios antibióticos, uma vez que não existe quadro infeccioso como na conjuntivite11 bacteriana. Em alguns casos, pode haver o desenvolvimento de conjuntivite11 e apenas nestes casos estará indicado o uso de colírios antibióticos. O uso de colírios com corticoide é formalmente contraindicado e pode provocar o aparecimento de glaucoma21 secundário e/ou catarata22.

Quando a obstrução das vias lacrimais não apresenta resolução espontânea, estará indicada a sondagem das vias lacrimais com ou sem a intubação das vias lacrimais fazendo uso de tubo de silicone. Este procedimento é indicado entre 8 a 14 meses, uma vez que a resolução espontânea ocorre na maior parte dos casos.

Caso o tratamento falhe e a obstrução se mantenha, o que é raro, estará indicado cirurgia semelhante a que se faz em adultos com obstrução de vias lacrimais por outras causas diferentes das dos bebês10.

Quais são as complicações possíveis do entupimento do canal lacrimal?

Em alguns casos, pode ocorrer infecção23 dentro do saco lacrimal, chamada dacriocistite24 aguda. A lágrima que deveria ser drenada para o nariz13 fica estagnada no saco lacrimal e isso propicia a proliferação bacteriana. O tratamento, então, envolve o uso de antibióticos por via oral e analgésicos25. Nos casos de agravamento, o paciente deve receber antibióticos por via endovenosa o que, por vezes, requer que o paciente seja internado. Depois de resolvida a infecção23, o paciente deve ser submetido à cirurgia para desobstruir as vias lacrimais e evitar recidivas26.

Veja também sobre "Glaucoma21", "Catarata22" e "Dacriocistite24".

 

ABCMED, 2018. Entupimento do canal lacrimal. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/1328653/entupimento+do+canal+lacrimal.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Olhos:
2 Cavidade Nasal: Porção proximal da passagem respiratória em cada lado do septo nasal, revestida por uma mucosa ciliada extendendo-se das narinas até a faringe.
3 Pálpebras:
4 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
5 Ducto Nasolacrimal:
6 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
7 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
10 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
11 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
12 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
13 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
14 Sarcoidose: Sarcoidose ou Doença de Besnier-Boeck é caracterizada pelo aparecimento de pequenos nódulos inflamatórios (granulomas) em vários órgãos. A doença pode afetar qualquer orgão do corpo, mas os mais atingidos são os pulmões , os gânglios linfáticos (ínguas ), o fígado, o baço e a pele.
15 Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
16 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
17 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
18 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
19 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
20 Conjuntivites: Inflamações da conjuntiva ocular. Podem ser produzidas por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produzem vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
21 Glaucoma: É quando há aumento da pressão intra-ocular e danos ao nervo óptico decorrentes desse aumento de pressão. Esses danos se expressam no exame de fundo de olho e por alterações no campo de visão.
22 Catarata: Opacificação das lentes dos olhos (opacificação do cristalino).
23 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Dacriocistite: Inflamação do saco lacrimal.
25 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
26 Recidivas: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Oftalmologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.