Gostou do artigo? Compartilhe!

Obstrução das vias lacrimais

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Alguns pontos sobre a fisiologia1 das lágrimas

As lágrimas são produzidas pelas glândulas2 lacrimais, que se localizam no canto lateral superior de cada órbita e fluem na superfície dos olhos3 por meio de 8 a 10 canalículos. Elas são drenadas no ângulo interno de cada olho4, pelos canais lacrimais, para o interior do saco lacrimal, fluindo através de um tubo chamado “canal lacrimal” para dentro do nariz5 e da garganta6.

As lágrimas são formadas por água, sais minerais, proteínas7 e gordura8 e têm como função limpar e lubrificar os olhos3 e protegê-los contra impurezas vindas do ambiente externo. Várias situações emocionais, como tristeza, alegria, prazer, admiração, além de bocejos e irritação, também podem causar uma produção de lágrimas superior à capacidade de drenagem9 delas, gerando o choro, propriamente dito.

O que é obstrução das vias lacrimais?

É uma situação em que ocorre um “entupimento” em algum ponto das vias de drenagem9 das lágrimas, fazendo com que elas transbordem das bordas das pálpebras10 e corram pelo rosto ou tenham que ser enxugadas com um lenço.

Quais são as causas da obstrução das vias lacrimais?

A obstrução das vias de drenagem9 lacrimal pode ser congênita11 ou adquirida. Cerca de ¼ dos bebês12 nascem com o canal lacrimal bloqueado por uma membrana que, de outro modo, devia se romper quando do nascimento ou do primeiro choro. Outras causas congênitas13 são a ausência de pontos lacrimais (orifícios dos canais lacrimais), canais lacrimais muito estreitos, inflamações14 e infecções15.

Entre as causas adquiridas estão também as inflamações14, as infecções15 virais e bacterianas das vias de drenagem9, tumores, mudanças relativas à idade, traumas no rosto e irradiações contra o câncer16.

Saiba mais sobre "Diferenças entre inflamação17 e infecção18", "Vírus19", "Bactérias" e "Prevenção do câncer16".

Quais são as principais características clínicas da obstrução das vias lacrimais?

A obstrução das vias lacrimais é mais comum em recém-nascidos e crianças com até 3 anos, mas pode ocorrer também em adultos acima de 50 anos. Quando acontece a obstrução das vias lacrimais, as lágrimas transbordam pelas pálpebras10 e escorrem pelo rosto, fazendo com que as pessoas apresentem sintomas20 de lacrimejamento e secreção no olho4 acometido.

As pálpebras10 se tornam irritadas, avermelhadas e levemente inchadas. É possível ocorrer infecção18, chamada dacriocistite21. Se houver infecção18 concomitante, pode ocorrer secreção no canto nasal do olho4. Em se tratando de adultos, a obstrução do canal lacrimal é mais comum em mulheres, a partir dos 40 anos.

Como o médico diagnostica a obstrução das vias lacrimais?

A princípio o diagnóstico22 é clínico, mas para realizar um diagnóstico22 com maior acerto e localizar melhor a região da obstrução, o médico pode solicitar uma dacriocistografia, um exame radiológico no qual se injeta um contraste pelo canal lacrimal e ao mesmo tempo realiza-se a radiografia.

Como o médico trata a obstrução das vias lacrimais?

O tratamento das obstruções das vias lacrimais, sobretudo do canal lacrimal, pode envolver massagens, antibióticos ou cirurgia, na dependência da causa. Em adultos o tratamento quase sempre é cirúrgico, com a criação de uma nova via lacrimal, que vai permitir a drenagem9 das lágrimas.

Leia sobre "Lacrimejamento em bebês12", "Conjuntivite23" e "Alergia24 ocular".

 

ABCMED, 2017. Obstrução das vias lacrimais. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-dos-olhos/1303118/obstrucao+das+vias+lacrimais.htm>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
2 Glândulas: Grupo de células que secreta substâncias. As glândulas endócrinas secretam hormônios e as glândulas exócrinas secretam saliva, enzimas e água.
3 Olhos:
4 Olho: s. m. (fr. oeil; ing. eye). Órgão da visão, constituído pelo globo ocular (V. este termo) e pelos diversos meios que este encerra. Está situado na órbita e ligado ao cérebro pelo nervo óptico. V. ocular, oftalm-. Sinônimos: Olhos
5 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
6 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
7 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
8 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
9 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
10 Pálpebras:
11 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
12 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
13 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
14 Inflamações: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc. Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
17 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
18 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
19 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Dacriocistite: Inflamação do saco lacrimal.
22 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
23 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
24 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.