Gostou do artigo? Compartilhe!

Saiba mais sobre a vacina tríplice viral

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a vacina1 tríplice viral?

Chama-se vacina1 tríplice viral à associação de vacinas contra o sarampo2, a rubéola3 e a caxumba4, as quais podem ser aplicadas de uma só vez. O sarampo2, a rubéola3 e a caxumba4 são doenças causadas por vírus5 transmissíveis de pessoa para pessoa através das secreções do espirro, fala e tosse e que frequentemente causam mortes, principalmente nos lugares onde a vacinação não é satisfatória. As vacinas são feitas com vírus5 vivos atenuados e só raramente dão margens às doenças em causa.

A vacina1 tríplice viral é apresentada sob a forma liofilizada6, em frasco-ampola com uma ou múltiplas doses. Todos os três componentes desta vacina1 são altamente eficazes (cerca de 95% de soroconversão) e a proteção, iniciada cerca de duas semanas após a vacinação, confere imunidade7 por praticamente toda a vida. No entanto, em alguns adultos, a vacina1 pode perder a eficácia e não protegê-los completamente.

Quem deve tomar a vacina1 tríplice viral?

A aplicação da vacina1 tríplice viral deve ser feita em uma dose única de 0,5 ml da vacina1, por via subcutânea8, de preferência na região deltoide9. A idade ideal de aplicação é a partir dos 12 meses de idade e um reforço deve ser aplicado entre os quatro e seis anos. Essa segunda dose serve para imunizar 2 a 7% da população que não é imunizada da primeira vez. Se for dada aos quinze meses, pode ser administrada juntamente com o primeiro reforço da vacina1 tríplice bacteriana e da vacina1 contra a poliomielite10. Além dessa proteção às crianças, a vacina1 também está indicada para todos os indivíduos, especialmente mulheres em idade fértil, pela proteção que confere contra a rubéola3, enfermidade altamente teratogênica11. A vacina1 ainda está indicada para os profissionais de saúde12 que se expõem mais aos agentes etiológicos das três doenças.

Quais são as principais reações à vacina1 tríplice viral?

Após a aplicação da vacina1 tríplice viral pode ocorrer febre13 baixa e coriza14. Caso a febre13 ultrapasse 38°C, pode-se usar um antitérmico15. No local da injeção16 pode acontecer vermelhidão e formação de nódulo17, bem como pode-se observar aumento dos gânglios18 regionais, mas isso não contraindica a aplicação das doses subsequentes da vacina1. Pode ocorrer pequeno aumento da temperatura corporal, irritabilidade, conjuntivite19 e sintomas20 catarrais, os quais podem ser tratados sintomaticamente. Raramente podem ocorrer exantemas21 e convulsões, sobretudo em pacientes predispostos, se a temperatura subir acima de 39,5º C.

Quais são as complicações possíveis da vacina1 tríplice viral?

Apesar da possibilidade de ocorrerem eventos adversos tais como meningite22, encefalite23, orquite24, parotidite25, pancreatite26, artrite27 e artralgias28, a vacina1 é bastante segura e deve ser preconizada29 para todas as crianças a partir dos doze meses de idade.

ABCMED, 2014. Saiba mais sobre a vacina tríplice viral. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-crianca/588252/saiba-mais-sobre-a-vacina-triplice-viral.htm>. Acesso em: 10 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
3 Rubéola: Doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da rubéola. Resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, aumento dos gânglios do pescoço, manchas avermelhadas na pele, 70% das mulheres apresentam artralgia e artrite. Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Durante a gravidez, a infecção pelo vírus da rubéola pode resultar em aborto, parto prematuro e mal-formações congênitas.
4 Caxumba: Também conhecida como parotidite. É uma doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da caxumba, resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, dor no corpo, perda de apetite, fadiga e dor de cabeça. Cerca de 30 a 40% dos indivíduos infectados apresentam dor e aumento uni ou bilateral das glândulas salivares (mais comumente, das parótidas). Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Em alguns casos pode complicar causando meningite, encefalite, surdez, orquite, ooferite, miocardite ou pancreatite.
5 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
6 Liofilizada: Submetida à liofilização, ou seja, à desidratação de substâncias realizada em baixas temperaturas.
7 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
8 Subcutânea: Feita ou situada sob a pele; hipodérmica.
9 Deltoide: 1. Que apresenta a forma triangular de um delta (“letra do alfabeto grego”). 2. Em botânica, diz-se do que é ovado e com os dois lados e a base retilíneos, ou quase, assemelhando-se a um triângulo (diz-se de folha). 3. Em geometria, quadrilátero não convexo, com dois pares de lados adjacentes iguais. 4. Em anatomia, o deltoide é um músculo em forma de triângulo, que cobre a cintura escápulo-umeral e a estrutura do ombro.
10 Poliomielite: Doença viral que afeta as raízes anteriores dos nervos motores, produzindo paralisia especialmente em crianças pequenas e adolescentes. Sua incidência tem diminuído muito graças ao descobrimento de uma vacina altamente eficaz (Sabin), e de seu uso difundido no mundo inteiro.
11 Teratogênica: Agente teratogênico ou teratógeno é tudo aquilo capaz de produzir dano ao embrião ou feto durante a gravidez. Estes danos podem se refletir como perda da gestação, malformações ou alterações funcionais ou ainda distúrbios neurocomportamentais, como retardo mental.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
14 Coriza: Inflamação da mucosa das fossas nasais; rinite, defluxo.
15 Antitérmico: Medicamento que combate a febre. Também pode ser chamado de febrífugo, antifebril e antipirético.
16 Injeção: Infiltração de medicação ou nutrientes líquidos no corpo através de uma agulha e seringa.
17 Nódulo: Lesão de consistência sólida, maior do que 0,5cm de diâmetro, saliente na hipoderme. Em geral não produz alteração na epiderme que a recobre.
18 Gânglios: 1. Na anatomia geral, são corpos arredondados de tamanho e estrutura variáveis; nodos, nódulos. 2. Em patologia, são pequenos tumores císticos localizados em uma bainha tendinosa ou em uma cápsula articular, especialmente nas mãos, punhos e pés.
19 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
20 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
21 Exantemas: Alteração difusa da coloração cutânea, caracterizada por eritema, com elevação das camadas mais superficiais da pele (pápulas), vesículas, etc. Pode ser produzido por uma infecção geralmente viral (rubéola, varicela, sarampo), por alergias a medicamentos, etc.
22 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
23 Encefalite: Inflamação do tecido encefálico produzida por uma infecção viral, bacteriana ou micótica (fungos).
24 Orquite: Inflamação de um ou ambos os testículos. Freqüentemente se produz como complicação de uma infecção do trato urinário ou sexual. A infecção pelo vírus da caxumba pode produzir orquite. As pessoas podem sentir dor, inchaço e coloração avermelhada do escroto.
25 Parotidite: Inflamação da glândula parótida.
26 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
27 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
28 Artralgias: Dor em articulações.
29 Preconizada: Recomendada, aconselhada, pregada.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.