Gostou do artigo? Compartilhe!

Manchas escuras na pele? Pode ser fitofotodermatite!

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é fitofotodermatite?

A fitofotodermatite é uma condição alérgica causada na pele1 pela exposição ao sol após contato com certas substâncias químicas fotossensibilizantes. Nem todas as pessoas irão desenvolver uma reação cutânea2 após manusear plantas ou frutas que contêm essas substâncias e passar algum tempo no sol, mas aqueles que o fazem podem experimentar reações cutâneas3 sérias.

Quais são as causas da fitofotodermatite?

As substâncias que causam fitofotodermatite, principalmente as chamadas furocumarínicas, estão presentes em algumas plantas e vegetais (”erva-de-são-joão”, aipo, coentro, cenoura, erva-doce, salsa e nabo) e nos sucos de algumas frutas, como figo, limão, lima, laranja, tangerina e outras.

O figo é a mais perigosa delas, pois costuma causar bolhas. Alguns produtos que contenham furocumarínicas, como perfumes, por exemplo, também podem se tornar igualmente perigosos. Por isso, sol e perfume também são uma associação que não combina.

Qual é o mecanismo fisiológico4 da fitofotodermatite?

As substâncias furocumarínicas são absorvidas pela pele1 e, no que o paciente se expõe à luz solar, ocorre uma reação química que provoca inflamação5 e irritação da pele1. Os pacientes podem inicialmente não notar o problema, uma vez que decorrem várias horas desde a absorção para que a reação se manifeste.

Quais são as principais características clínicas da fitofotodermatite?

A fitofotodermatite pode aparecer em qualquer idade e em pessoas sem nenhuma hipersensibilidade conhecida. A história típica sempre comporta manchas em áreas da pele1 que estiveram expostas ao sol, de tamanhos variados, primeiro avermelhadas e que depois escurecem, tornando-se amarronzadas, de formatos variados e bizarros, bem delimitadas, acompanhadas por ardência ou coceira e as vezes seguidas de vesículas6 e bolhas. Embora essas manchas sejam mais comuns da mãos7, braços e pernas podem também aparecer no tronco sob a forma de dedos quando a pessoa é tocada por outras com as mãos7 "contaminadas" (marido, esposa, namorado(a), pais, filhos, etc).

Como o médico diagnostica a fitofotodermatite?

Algumas pessoas reconhecem a natureza do problema que têm e já trazem o diagnostico8 pronto: “estou com manchas de limão", dizem. Outras nem suspeitam do que se trata e precisam relatar uma história mais detalhada ou serem interrogadas sobre ela. O diagnóstico8 é feito sem dificuldades a partir da história e da ectoscopia9 das manchas. Em geral o paciente relata que durante uma exposição ao sol, na praia, por exemplo, esteve mexendo com uma fruta cítrica e que as manchas na pele1 surgiram no dia seguinte.

Como o médico trata a fitofotodermatite?

Inicialmente, na fase inflamatória da pele1, em que há vermelhidão, coceira e ardor10, o tratamento deve se feito com cremes de corticoides. A seguir, quando se formam manchas escuras (hipercromias) é preciso usar um despigmentador para corrigir as manchas. O uso do filtro solar é imprescindível. Nunca estoure as bolhas eventualmente formadas para não criar portas de entrada para infecções11!

Saiba mais sobre "Corticoides", "Manchas escuras na pele1" e "Protetor solar".

Como prevenir a fitofotodermatite?

Para prevenir a fitofotodermatite deve-se evitar contato com frutas cítricas ou perfumes antes ou durante a exposição ao sol. Proteger com filtro solar o local que eventualmente tenha tido contato com o sumo das frutas inculpadas.

Leia também sobre "Melasma12", "Sardas ou efélides", "Pitiríase rósea", "Eritrasma", "Vitiligo13" e "Pitiríase versicolor".

 

ABCMED, 2017. Manchas escuras na pele? Pode ser fitofotodermatite!. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/pele-saudavel/1292463/manchas-escuras-na-pele-pode-ser-fitofotodermatite.htm>. Acesso em: 22 fev. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
4 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Vesículas: Lesões papulares preenchidas com líquido claro.
7 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Ectoscopia: Exame físico geral do paciente. É a visão global do paciente, incluindo o estado geral de saúde e quaisquer outras características físicas e/ou psicológicas evidentes.
10 Ardor: 1. Calor forte, intenso. 2. Mesmo que ardência. 3. Qualidade daquilo que fulge, que brilha. 4. Amor intenso, desejo concupiscente, paixão.
11 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
12 Melasma: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.
13 Vitiligo: Doença benigna da pele, caracterizada pela ausência de pigmentação normal nas regiões afetadas, frequentemente face e mãos. Hoje já há tratamento, porém este é demorado e com resultados variáveis de pessoa para pessoa. CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS (CID): L80- VITILIGO.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.