Atalho: 5CVEJWK
Gostou do artigo? Compartilhe!

Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O acompanhamento médico é fundamental na hora de usar um medicamento, mesmo este sendo vendido sem obrigatoriedade de uma prescrição médica. O médico é a única pessoa com as condições adequadas para avaliar as necessidades de um paciente, seu histórico de saúde1, possíveis interações medicamentosas e possibilidades de alergias, prescrevendo de forma adequada um tratamento. Todos devem estar atentos aos perigos do uso indiscriminado de medicamentos:

  • A automedicação2 pode levar a erros de diagnósticos, à escolha de uma terapia inadequada e pode retardar o reconhecimento de uma doença, com a possibilidade de agravá-la.
  • Os medicamentos que já foram anteriormente prescritos podem não ser mais efetivos para uma reincidência3 da doença. A não ser que o médico já tenha orientado desta forma.
  • Sintomas4 iguais podem ter causas diferentes. Os sintomas4 são apenas um dos indicativos de problemas de saúde1. Antes da prescrição, a consulta médica, o exame clínico e a realização de exames complementares são fundamentais.
  • Interações medicamentosas podem ter consequências graves para a saúde1. O médico tem competência para avaliar que tipos de medicamentos podem ser tomados em conjunto.
  • Os médicos devem ser cautelosos ao fazer suas prescrições, usando letras legíveis ou prescrições impressas, além de orientar sobre o uso correto e os cuidados quanto à substituição dos medicamentos prescritos.

  • Com o fracionamento das doses de medicamentos o Ministério da Saúde1 está ajudando a evitar a automedicação2 e os riscos de intoxicação, pois desta maneira o paciente leva para casa apenas a quantidade necessária para seu tratamento.
  • Cada um deve fazer a sua parte para evitar as complicações do uso indiscriminado de medicamentos. Evite o uso abusivo de qualquer medicação.
ABCMED, 2010. Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/57589/os-perigos-da-automedicacao-cuide-melhor-da-sua-saude-evite-o-uso-indiscriminado-de-medicamentos.htm>. Acesso em: 16 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Automedicação: Automedicação é a prática de tomar remédios sem a prescrição, orientação e supervisão médicas.
3 Reincidência: 1. Ato ou efeito de reincidir ou repetir. 2. Obstinação, insistência, teimosia.
4 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Clínica Médica?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

04/12/2011 - Comentário feito por Darley
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
Sou leigo, mas com sólidos conhecimentos de medicina, assunto que me interessa muitíssimo. Tenho vivência hospitalar, primeiro por ter nascido cardíaco e segundo por, durantes vários anos, prestar serviços técnicos a equipamentos médicos de sustentação de vida. Fundamental este artigo. Entretanto, as campanhas sobre os perigos da automedicação deveriam ser mais detalhadas, em linguagem compreensível à maioria da população. Mas é mais importante ainda esclarecer os médicos sobre as consequências do que prescrevem, pois há sólidos indícios de que uma grande parte jamais se deu ao trabalho de ler as bulas dos laboratórios. Em toda a minha vida (62 anos) só conheci uma pessoa que teve problemas graves (morreu!) por tomar medicamento por conta própria e muitos outros que tomaram coisas inócuas para a enfermidade de que estavam acometidos. Por outro lado, presenciei muitos casos de pessoas que ficaram com graves sequelas, bem como de algumas que morreram, por erros de médicos ao prescreverem medicações com interações extremamente danosas. Para ser médico de verdade, é preciso talento, vocação e capacitação adquirida em uma faculdade séria. Hoje há muitas que não passam de vendedoras de diplomas para pessoas desqualificadas, com graves prejuízos aos que têm a infelicidade de ser atendidos por um desses charlatães diplomados. Quanto às campanhas, há que ver onde termina o real interesse pela saúde da população e onde começa o reles interesse financeiro de receber para prescrever uma receita. Esta absurda reserva de mercado estendeu-se agora aos antibióticos, sob o pretexto de impedir que o consumo indiscriminado destes medicamentos gere bactérias resistentes. Na prática os médicos é que estão caprichando na criação de cepas resistentes, pois estão prescrevendo em massa um antibiótico fraco, obsoleto, caro e que foi criado em 1936(!) pelo Fleming. Não passam de cristais de penicilina em suspensão.

27/08/2010 - Comentário feito por Carolina
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
Sou graduanda em Farmácia, me deparo sempre com pessoas que adotam a automedicação como alternativa para solucionar os seus problemas. Apesar de ser uma conduta perigosa é uma prática muito comumente adotada por grande parte da população, o que pode trazer danos à saúde que podem ser irreversíveis. Os profissionais da saúde devem orientar sempre os seus pacientes/clientes, para que o uso indiscriminado de medicamentos possa ser reduzido.

23/08/2010 - Comentário feito por Francisco
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
Sou farmacêutico e faço um trabalho em um NASF- Núcleo de Apoio A Saúde da Família aqui na minha cidade justamente focando esse tema. Aliás, defendo muita essa bandeira de que medicamento só deveria ser vendido com prescrição. Infelizmente há uma luta anitiga e permanente no nosso país que por questões culturais e educacionais paga um preço muito alto pela utilização inorreta dos medicamentos o que provoca um aumento gritante dos gastos dos SUS com por exemplo toxicidade medicamentosa. No dia que avançarmos pra valer na educação dessa nação com certeza os cidadãos estaraomais conscientes dos perigos que o uso abusivo, desenfreado dos medicamentos podem ocasionar e assim os gastos públicos com internações hospitalares irão dimimuir e os níveis de saúde do Brasil serão melhores

23/06/2010 - Comentário feito por Willian
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
Sou profissional de saúde, e graduando do curso de enfermagem, constantemente me deparo com clientes que necessitam de atenção a saúde devido a a auto-medicação. Em alguns casos, estes encontram-se em meu setor de trabalho ( UTI), devido as inúmeras disfunções orgânicas, acometida pela uso incorreto e indevido de medicamentos. Se um remédio fez bem para o seu vizinho, não quer dizer que ele fará o mesmo a você. Em toda e qualquer situação em que se perceba algo anormal com o nosso corpo, devemos procurar um profissional devidamente habilitado ( médico), para que se realize exames, descubra o problema e então ser prescrito o medicamento e a dose correta. Até mesmo uma simples febre, quando não tratada, pode acarretar sérios problemas a saúde, mesmo que esta ceda com o uso de analgésicos, deve-se tratar a fonte de infecção, e não somente seus sintomas.
Willian Carvalho

26/05/2010 - Comentário feito por Adão
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
O meu trabalho é aviar receitas, e infelizmente muito médicos não seguem as regras, são inúmeras receitas ilegíveis, borradas, com apenas uma letra legível e o restante só rabisco, sendo que hoje a grande maioria tem tecnologia e conhecimento para orientar com uma melhor qualidade, seus pacientes e clientes. (ou pacientes não são clientes ?). É apenas um detalhe diante de um atendimento, porém indispensável para todos...

14/04/2010 - Comentário feito por Wania
Re: Os perigos da automedicação: cuide melhor da sua saúde. Evite o uso indiscriminado de medicamentos
Sou uma pessoa que teve quatro edemas de Glot, não por automedicação mais por ser orientada a usar uma medicação para aliviar dor de cabeça. Desde 1992 que não uso analgésicos e ant-inflamatórios. Graças a Deus sei o que posso usar como medicação e assim mesmo amostrando a lista de remédios que não faço uso,alguns médico teimam em prescrever medicamentosm que não posso usa-los. Quando isso acontece não volto mais ao mesmo. Muito boa essa informação.

  • Entrar
  • Assinar