Atalho: 5G61VB2
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tipos de Cirurgia Bariátrica

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Quais são os tipos de cirurgia bariátrica1?

Existem três tipos básicos de tratamento cirúrgico:

  • Técnicas restritivas
  • Técnicas disabsortivas
  • Técnicas mistas


O que são técnicas restritivas?

São técnicas que limitam o volume de alimento sólido ingerido pelos pacientes. Esta técnica depende da colaboração do paciente no pós-operatório, pois alimentos líquidos podem continuar a ser ingeridos quase no mesmo volume que eram antes da cirurgia e se forem muito calóricos irão atrapalhar a perda de peso.

São técnicas de fácil realização, oferecem riscos mínimos para o paciente, a adaptação e a recuperação são tranquilas, no entanto, a perda de peso alcançada é menor do que com as outras técnicas.

As principais técnicas restritivas são:

  • Cerclagem dentária (em desuso)
  • Balão intragástrico: é colocado no estômago2 por endoscopia3 digestiva. Ele causa sensação de saciedade precoce, reduzindo a ingestão de alimentos. Esta técnica demanda reeducação alimentar para obter sucesso. É reconhecida como método terapêutico auxiliar para o preparo pré-operatório.  Após a colocação, o paciente pode apresentar náuseas4 e vômitos5 intensos, o que pode levar à retirada do balão.
  • Gastroplastia vertical restritiva de Mason: consiste em "grampear" o estômago2 criando um pequeno tubo que recebe o alimento. O paciente tem a sensação de plenitude gástrica, pois esta antecâmara gástrica esvazia-se lentamente. O inconveniente é que se o paciente ingerir líquidos ao invés de sólidos, poderá tomá-los em grande quantidade e se forem hipercalóricos, a perda de peso não será alcançada.
  • Banda gástrica ajustável por laparoscopia6: é uma prótese7 de silicone que tem um balão insuflável, por dentro, parecido com um manguito do aparelho de medir pressão arterial8. Quando o balão é insuflado ou desinsuflado, aperta mais ou menos o estômago2 de maneira que pode-se controlar o esvaziamento do alimento da parte alta para a parte baixa do órgão. O principio da operação é semelhante a operação de Mason porém é feita por laparoscopia6, ou seja, sem abrir o abdome9 e pode ser regulada depois, a qualquer tempo, ambulatorialmente. Geralmente, obtém-se uma perda de peso em torno de 20 a 30%, mas depende da cooperação do paciente.

O que são técnicas disabsortivas?

Com elas, o paciente tem mais liberdade de comer maior quantidade de alimentos, já que não há grande diminuição do estômago2. É feito um grande desvio do alimento, que vai para o intestino grosso10. Há necessidade de controle mais rigoroso dos distúrbios nutricionais que essas técnicas podem causar.

Existem três técnicas disabsortivas mais conhecidas:

  • Cirugia de Payne: é um desvio intestinal grande sem mexer no estômago2. Pode levar a distúrbios nutricionais muito acentuados. Por ser uma cirurgia tecnicamente simples, ela é realizada em um primeiro tempo para que o paciente perca algum peso, para depois fazer outra cirurgia definitiva. É utilizada somente com critérios rigorosos.
  • Derivação bilio-pancreática ou cirurgia de Scopinaro: consiste em retirar uma parte do estômago2, fazendo com que o paciente coma11 um volume menor porém satisfatório, associado a um "desvio intestinal". Habitualmente a vesícula biliar12 é retirada neste procedimento, já que quase 90 % dos pacientes podem apresentar pedras na vesícula13 durante o processo de emagrecimento. Os pacientes apresentam uma perda de 40% do peso total.
  • Derivação Bilio-pancreática com Duodenal Switch ou cirurgia de Hess: é realizada uma ressecção longitudinal do estômago2, preservando a sua anatomia e fisiologia14 básicas. Uma pequena porção do duodeno15 (primeira porção do intestino delgado16) também é preservada, contribuindo para melhor absorção de nutrientes como proteínas17, cálcio, ferro e vitamina18 B12. O que não acontece nas outras cirurgias para perda de peso. Vem sendo considerada uma evolução das cirurgias bariátricas. O alimento segue por um caminho, enquanto os sucos digestivos (bile19 e suco pancreático20) seguem por outro. Encontrando-se apenas a 100cm de acabar o intestino delgado16. Isto inibe a absorção de calorias21 e nutrientes levando ao emagrecimento. Esta  perda de peso é consistente e duradoura. Estudos recentes comprovam que a qualidade de vida dos pacientes submetidos a este tipo de procedimento é mais satisfatória a longo prazo.

Todas as cirurgias disabsortivas têm riscos e complicações a curto e a longo prazo. É muito importante discutir com um médico estas complicações e o que pode ser feito para preveni-las.

 

O que são técnicas mistas?

São aquelas que associam as técnicas restritivas com as disabsortivas, ou seja, fazem uma limitação ao volume de alimento sólido ingerido e um desvio menor no trânsito do alimento no trato gastrointestinal. A mais usada atualmente é a gastroplastia vertical com by-pass em y de Roux. É também chamada Capella ou Fobi-Capella, foi desenvolvida por cirurgiões e, além da restrição causada pela diminuição do volume do estômago2, ocorre uma pequena disabsorção dos alimentos, porque eles deixam de passar pela primeira parte do intestino delgado16.


Existe algum cuidado especial no pós-operatório?

Os pacientes submetidos à gastroplastia redutora devem ser acompanhados, recebendo orientações específicas para elaboração de uma dieta equilibrada. A adesão ao tratamento deverá ser avaliada, uma vez que pacientes instáveis psicologicamente podem recorrer a preparações de alta densidade calórica, de baixa qualidade nutricional, colocando em risco o sucesso da intervenção a longo prazo.


Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica1 e Metabólica

ABCMED, 2009. Tipos de Cirurgia Bariátrica. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/obesidade/35873/tipos+de+cirurgia+bariatrica.htm>. Acesso em: 22 ago. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cirurgia Bariátrica:
2 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
3 Endoscopia: Método no qual se visualiza o interior de órgãos e cavidades corporais por meio de um instrumento óptico iluminado.
4 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
5 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
6 Laparoscopia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se introduz através de uma pequena incisão na parede abdominal, torácica ou pélvica, um instrumento de fibra óptica que permite realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos.
7 Prótese: Elemento artificial implantado para substituir a função de um órgão alterado. Existem próteses de quadril, de rótula, próteses dentárias, etc.
8 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
9 Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.
10 Intestino grosso: O intestino grosso é dividido em 4 partes principais: ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmoide), reto e ânus. Ele tem um papel importante na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal), de alguns nutrientes e certas vitaminas. Mede cerca de 1,5 m de comprimento.
11 Coma: 1. Alteração do estado normal de consciência caracterizado pela falta de abertura ocular e diminuição ou ausência de resposta a estímulos externos. Pode ser reversível ou evoluir para a morte. 2. Presente do subjuntivo ou imperativo do verbo “comer.“
12 Vesícula Biliar: Reservatório para armazenar secreção da BILE. Através do DUCTO CÍSTICO, a vesícula libera para o DUODENO ácidos biliares em alta concentração (e de maneira controlada), que degradam os lipídeos da dieta.
13 Vesícula: Lesão papular preenchida com líquido claro.
14 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
15 Duodeno: Parte inicial do intestino delgado que se estende do piloro até o jejuno.
16 Intestino delgado: O intestino delgado é constituído por três partes: duodeno, jejuno e íleo. A partir do intestino delgado, o bolo alimentar é transformado em um líquido pastoso chamado quimo. Com os movimentos desta porção do intestino e com a ação dos sucos pancreático e intestinal, o quimo é transformado em quilo, que é o produto final da digestão. Depois do alimento estar transformado em quilo, os produtos úteis para o nosso organismo são absorvidos pelas vilosidades intestinais, passando para os vasos sanguíneos.
17 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
18 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
19 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
20 Suco pancreático: Secreção produzida pelo pâncreas que atua no processo digestivo e, através do ducto pancreático (ou canal de Wirsung), é lançada no duodeno.
21 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia do Aparelho Digestivo?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

27/09/2013 - Comentário feito por Cristiana
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Olá,Maria!
Eu fiz a cirurgia bariatrica tem 1 ano e meio.Antes.eu fazia tratamento para transtorno bipolar de humor,mas depois da cirugia,fiquei 6 meses sem tomar nenhum remédio.Depois senti necessidade de voltar o tratamento,mas com menos remédio e confesso que estou 90% melhor depois da cirurgia.A questão é vocè querer se tratar com um bom psiquiatra.Ver realmente se você tem depressão,pois me tratei durante vários anos como se tivesse depressão e descobri que não era.uma boa terapia também ajuda.Se eu fosse você ,não voltaria atrás,continuaria o tratamento com um bom psiquiatra e terapeuta.Procure também ajuda espiritual,religiosa,melhora muito.Precisamos estar sempre conhecendo a nós mesmos para sabermos onde mudarmo que mudar e como mudar.Precisamos de ajuda de um bom profissional.

12/02/2013 - Comentário feito por Nicélia
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Maria realmente não acho que a depressão que vc tem esteja relacionada à cirurgia. Olha, eu tive depressão mesmo antes de engordar e hoje fico muito triste quando me olho no espelho e não me vejo. Converse com a psicóloga, arrume algo para te distrair mas não desfaça a cirurgia. Talvez esteja faltando algo em sua vida que vc comia para suprir a falta. Hoje mesmo eu estando acima do peso não tenho mais depressão. Quando vejo que estou querendo entrar nela, saio, me divirto e oro. Deus pode curar sua depressão. Vá por mim. Já vivenciei isso muitas vezes. Abraços

21/01/2013 - Comentário feito por janny
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Oi pessoal meu filho fez cirurgia bariátrica a 1 ano atrás está ótimo já perdeu 58 kg. ele pesava 150 kg
e tem 27 anos, ele nasceu de novo. Eu também estou me preparado para fazer.

17/01/2013 - Comentário feito por Carlos
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Fiz a cirurgia a 8 meses. Pesava 142 quilos e hj estou com 85. Tinha colesterol alto, diabetes, pressão alta, dores na coluna, joelho e por ai vai. O meu médico mandou suspender todas as medicações no dia seguinte da cirurgia. Confesso que achei muito radical mas ele tinha razão. Na semana seguinte a o meu colesterol, pressão e diabetes começaram a despencar e hoje é super normal sem nenhuma medicação. Isso é o resultado da cirurgia ou seja a sua saúde porque com esses problemas é só uma questão de tempo para termos grandes complicações vasculares, rins e etc... Pelo lado estético nem se fala. Estou bem disposto, sem dores no joelho, sem cansaço e etc. Minha calça hoje é 44 ( cheguei a vestir 60 ) e a camisa era 9 hoje é 5 indo pra 4. Mas nem tudo é maravilha em alguns momentos tive complicações alimentares pois enjeri comidas pesadas ( carnes principalmente ). Hoje o meu maior prolema ainda é aprender a comer com calma e mastigando bem. Senão fizer isso agente passa mal ou fica com peso no estomago o que não é legal podendo inclusive a vomitar com frequência.
Faço exames a cada 2 meses e constato que estão cada vez melhores. O único problema que tive foi uma úlcera que constatei atraves de uma endoscopia mas isso devido a grande quantidade de acido gástrico pois ficava muitas horas sem comer nada e o recomendado e comer a cada 3 horas. Resumindo se vc seguir as orientações médicas tudo dará certo. Quanto ao lado psicológico tive uns altos e baixos mas sempre sai dessa pensando no lado positivo da cirurgia ou seja a questão de SAÚDE / EXAMES EXCELENTES. Com a cirurgia ganhamos uma sobrevida muito grande pois obesos são vitimas constantes de problemas cardio vasculares, problema nos rins, circulação de membros inferiores, risco de trombose e assim vai. Por isso quando me sentia deprimido por falta de comer ou acomapnhar amigos e familia nos restaurantes e churrascarias eu pensava nos ganhos que obtive e hoje saio normalmente com todos mas sei os meus limites. Como de tudo um pouco inclusive bebo o meu chopinho ( 1 ) e tenho a consciência que não posso fazer as mesmas coisas de antes ou seja comer muito e alimentos de alto grau de caloria mas não deixo de comer nada até porque a restrição do estomago não permite agente comer muito. Antes comia cerca de 650 gramas hoje é no máximo 200/250 gramas e fico muito satisfeito. Tem alimentos que desce melhor outros não então dou preferencia a estes e os outros eventualmente ( exemplo carnes vermelhas não desce muito bem agente se sente pesado mas eu como moderadamente e carnes de primeira sem gordura ).

Tudo dará certo. Deu comigo e dará com todos basta se alto ajudar e não querer resolver os problemas sozinho sem amigos, família e médicos. Eu fiz tudo errado durante anos da minha vida não espero que resolva em 8 meses tudo. É um processo constante que funciona. Pense em quantas pessoas gostariam de estar em nossos lugares ou seja ter feito essa cirurgia. No hospital público pode levar 6 anos. Muitos morrem antes ! Vira a página e nova vida. Garanto que essa é muito melhor bastam algumas regrinhas simples... Boa Sorte a Todos !

15/01/2013 - Comentário feito por MARIA
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
FIZ A CIRURGIA BARIATRICA A 10 MESES,MAIS DES DE ENTÃO ENTREI EM DEPRESSÃO E NUNCA MAIS FUI FELIZ,NUNCA,MAIS RI,SÓ FAÇO CHORAR E ME AREPENDO MUITO DE TER FEITO ESTÁ CIRURGIA HOJÉ ,NÃO CONSIGO ARUMAR ,MINHA CASA VIVO PELOS CANTOS.EMAGRECI 36 QUILOS E ISSO PARA MIM NEM ME INTERESSA E ANTES DISSO ERA O QUE EU MAIS QUERIA E HOJÉ VIVO ASSIM,EU QUE ERA UMA PESSOA ALEGRE E SORRIDENTE ATIVA NOS MEUS AFAZERES DEPENDO DOS OUTROS E AGORA ESTOU DECIDIDA A DESFAZER A CIRURGIA ESTOU EM TRATAMENTO PSCOLOGICO A QUASE 9 MESES E PSQUIATRICO A,QUASE 8MESES SE TIVER ALGUEM QUE JÁ PASSOU POR ALGUM CASO COMO O MEU POR FAVOR DEIXE UMA RESPOSTA PARA MIM,OS MEDICOS QUE ME ATENDEM VIVEM ME FALANDO DO DO MEU LADO ESTETICO NÃO OLHAM PARA O MEU LADO EMOCIONAL ESTES DIAS EU FALEI P A PSCOLOGA SE VALE MAIS APENA EU SABER QUE DESFAZENDO A CIRURGIA EU VOU FICAR BM OU FICA MAGRINHA COM QUASE 11 MESES DE OPERADA E INFELIZE ME ACABANDO AOS POUCOS PELOS CANTOS AI ELA FICOU CALADA,MEU ESPOSO ESTÁ DESESPERADO EM ME VER ASSIM ELE VAI TER QUE FAZER UM EMPRESTIMO P PAGAR O DESFAZER DA CIRURGIA PORQUER O CONVENIO NÃO VAI PAGAR ,MAIS SE ALGUEM,PASSOU POR ISSO DEIXE UMA RESPOSTA P MIM OU ATÉ UM MEDICO TM SE POSSIVEL FALANDO DO MEU ASSUNTO OBRIGADO.

13/09/2012 - Comentário feito por Eloá
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Olá
Minha filha fez essa cirurgia em setembro do ano passado, está super feliz com o resultado, hoje com 40 k a menos, passou super bem na cirurgia, a recuperação foi bem, o meu conselho é que quem puder fazer que faça, pois é bem tranquilo, é só seguir as dietas receitadas pela nutri e dá tudo certo.

05/09/2012 - Comentário feito por Lídia
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Boa tarde!!! Marquei hoje minha consulta com o Dr. Reinaldo Morioka para o dia 24/11 (que homem solicitadooO) kkkkkk... Gostaria de saber quanto tem +ou- demora todo o procedimento, vcs acham que até março eu já estou ficando magra?!?!? hehehe
Estou muito anciosa, quem tiver informações para me repassar gostaria muitoOO!!!!

Tenho 25 anos, meu peso é 104kg e minha altura é 1,65m quanto será que consigo perder de peso?!?!?

Obrigada

Fico no aguardo de noticias e informaçõe!!!
Bjos

02/08/2012 - Comentário feito por Zilmar
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
fiz a gastroplastia vertical com by-pass em y de Roux. É também chamada Capella ou Fobi-Capella a 5 anos, mas voltei a engordar, cheguei a ficar com 88 quilos e agora já estou com 102. o que devo fazer, estou apavorada, pois nem a academia está me contendo. tenho medo de chegar aos 130 como estava antes...

15/07/2012 - Comentário feito por ANA
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
gostaria de saber quanto que custa e se o sus cobre pois não estou mais nem conseguindo emprego pois esto muito gorda

26/04/2012 - Comentário feito por CLAUDIO
Re: Tipos de Cirurgia Bariátrica
Fiz uma cirurgia bariátrica em 30/10/2012 já eliminei 25 kgs e estou me sentindo muito bem, hj faço academia e não tomo mais remédios pois tomova insulina.
Minha cirurgia Capella com desvio Y, devemos fazer todo trabalho psicológico pois hj frequento todo tipo de ambiente e me satisfaço com pouco e não fico desesperado por comida, se fizer direito dá muito certo. E o que vale é comer para viver e não viver para comer.

  • Entrar
  • Assinar