Gostou do artigo? Compartilhe!

Fototerapia para a icterícia do recém-nascido

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a fototerapia?

Fototerapia ou “banho de luz”, como é popularmente conhecida, é a utilização de luzes especiais que são aplicadas ao paciente e que têm vários usos terapêuticos na Medicina: tratamento do linfoma1 cutâneo2 de células3 T, psoríase4, esclerodermia, líquen plano, caspa, eczema5 e urticária6 crônicos, púrpura7, rejuvenescimento e eliminação de manchas da face8 e das mãos9 e, a principal delas, o tratamento da icterícia de recém-nascidos.

Nas sessões são utilizadas luzes especiais, conhecidas como Luz Emitida por Diodo (LED).

Saiba mais sobre "Icterícia neonatal10", "Melasma11", "Psoríase4" e "Púrpura7".

O que é a fototerapia para a icterícia12 do recém-nascido?

Um certo grau de icterícia neonatal10 afeta cerca de 80% dos recém-nascidos. Ela é um fenômeno fisiológico13 normal que geralmente ocorre do segundo ao quinto dias de vida do bebê e desaparece ao final do sétimo dia de vida.

Normalmente, a hemoglobina14 liberada pela destruição das hemácias15 é convertida em bilirrubina16, posteriormente eliminada pelas fezes e pela urina17. Quando esse processo sofre qualquer alteração, seja por uma excessiva produção de bilirrubina16 ou por insuficiência18 do metabolismo19 hepático, ainda imaturo, a taxa de bilirrubina16 no sangue20 sobe muito e ela pode impregnar certos núcleos cerebrais, gerando uma encefalopatia21 bilirrubínica.

Nessas condições, o recém-nascido deve ser submetido à fototerapia para evitar que a bilirrubina16 se acumule em núcleos do cérebro22, gerando uma situação neurológica grave chamada Kernicterus23. Contudo, a técnica não deve ser utilizada quando o aumento da bilirrubina16 no recém-nascido é causada por algum outro problema de saúde24.

Leia sobre "Parto prematuro" e "Exsanguineotransfusão25".

Em que consiste a fototerapia para a icterícia12 do recém-nascido?

O recém-nascido que exibe uma taxa alta de bilirrubina16 (acima de 12mg/dL nas primeiras 24 horas ou 18mg/dL a partir do terceiro dia de vida) normalmente tem que ficar num berço especial, fazendo fototerapia para eliminar a bilirrubina16 em excesso. O recém-nascido é colocado debaixo de uma luz branca ou azul, distante 30 a 50 centímetros de sua pele26, com os olhos27 devidamente tapados com uma venda específica.

A fototerapia só deve ser usada cumprindo recomendações do médico em relação ao número de sessões e tempo de cada uma delas. Ela irá converter a bilirrubina16 numa substância não tóxica para o tecido nervoso28 e pode ser excretada pela bile29. Aparentemente, o uso adequado da fototerapia para o tratamento do excesso de bilirrubina16 de recém-nascidos não causa qualquer tipo de prejuízo ao organismo.

Qual é o mecanismo fisiológico13 da icterícia12 do recém-nascido?

Os eritrócitos30 são células3 de curta duração (três meses em média, no adulto). Quando são destruídas no baço31, fígado32 e medula óssea33, liberam a biliverdina, que posteriormente se converte em bilirrubina16. Essa bilirrubina16, chamada de indireta, é lipossolúvel e será conjugada no fígado32, tornando-se um composto passível de eliminação nas fezes, por meio da bile29. Quando ocorre elevação dos níveis de bilirrubina16, o recém-nascido apresenta icterícia12.

Cuidados a serem observados na fototerapia do recém-nascido

A preparação para a fototerapia envolve tirar toda a roupa do recém-nascido, exceto a fralda, mudá-lo de posição de 2 em 2 horas, promover um ambiente sossegado, proteger os olhos27 do recém-nascido de forma que a luz não penetre, proteger os órgãos genitais com uma fralda e informar aos pais sobre o tratamento de modo que lhes seja permitido exprimir os seus receios e dúvidas.

Os principais cuidados que se deve ter durante o uso de fototerapia para icterícia12 do recém-nascido são: verificar a temperatura corporal a cada três horas, aumentar a oferta hídrica e de oxigênio, sempre que necessários, proteger os olhos27 com cobertura radiopaca, cobrir a solução parenteral com papel alumínio, descontinuar a fototerapia durante a alimentação, inclusive com a retirada da cobertura dos olhos27, desde que a bilirrubina16 não esteja muito elevada, vigiar sinais34 de possível lesão35 cerebral, vigiar sinais34 de conjuntivite36, manter permeáveis as vias aéreas, pesar o recém-nascido diariamente e vigiar o número e as características das micções37, dejeções e vômitos38 diários.

Veja também sobre  "Sofrimento fetal ou hipóxia39 neonatal" e "Doença da Membrana Hialina".

 

ABCMED, 2017. Fototerapia para a icterícia do recém-nascido. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1309793/fototerapia-para-a-ictericia-do-recem-nascido.htm>. Acesso em: 22 set. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Linfoma: Doença maligna que se caracteriza pela proliferação descontrolada de linfócitos ou seus precursores. A pessoa com linfoma pode apresentar um aumento de tamanho dos gânglios linfáticos, do baço, do fígado e desenvolver febre, perda de peso e debilidade geral.
2 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
5 Eczema: Afecção alérgica da pele, ela pode ser aguda ou crônica, caracterizada por uma reação inflamatória com formação de vesículas, desenvolvimento de escamas e prurido.
6 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
7 Púrpura: Lesão hemorrágica de cor vinhosa, que não desaparece à pressão, com diâmetro superior a um centímetro.
8 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
9 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
10 Icterícia neonatal: Condição bastante comum. Resulta da elevação dos níveis séricos de bilirrubina. Os recém-nascidos apresentam níveis de bilirrubina significativamente maiores que adultos, devido a mecanismos fisiológicos normais, pois apresentam hematócrito mais elevado, maior carga de “heme” por peso, as hemácias de recém-nascidos têm uma menor vida média, apresentam uma deficiência natural de UDP glucuronosiltransferase, com uma menor capacidade de conjugar e excretar a bilirrubina. Observa-se uma menor excreção de bilirrubina relacionada ao menor trânsito intestinal dos recém-nascidos, principalmente nos prematuros. Aqueles em aleitamento materno também apresentam um menor volume fecal, reduzindo ainda mais a excreção da bilirrubina.
11 Melasma: Manchas escuras na face. O seu surgimento está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma.
12 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
13 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
14 Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
15 Hemácias: Também chamadas de glóbulos vermelhos, eritrócitos ou células vermelhas. São produzidas no interior dos ossos a partir de células da medula óssea vermelha e estão presentes no sangue em número de cerca de 4,5 a 6,5 milhões por milímetro cúbico, em condições normais.
16 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
17 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
18 Insuficiência: Incapacidade de um órgão ou sistema para realizar adequadamente suas funções.Manifesta-se de diferentes formas segundo o órgão comprometido. Exemplos: insuficiência renal, hepática, cardíaca, respiratória.
19 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
20 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
21 Encefalopatia: Qualquer patologia do encéfalo. O encéfalo é um conjunto que engloba o tronco cerebral, o cerebelo e o cérebro.
22 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
23 Kernicterus: Forma de icterícia que surge no recém nascido, de especial gravidade pela tendência a produzir alterações neurológicas irreversíveis por impregnação da bilirrubina em áreas do cérebro. Seu tratamento é a fototerapia, que transforma a bilirrubina em uma forma mais estável, incapaz de penetrar no sistema nervoso central, e passível de ser eliminada na urina.
24 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
25 Exsanguineotransfusão: Troca lenta e sucessiva de um volume de sangue de uma pessoa e reposição com uma quantidade igual de sangue compatível doado.
26 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
27 Olhos:
28 Tecido Nervoso:
29 Bile: Agente emulsificador produzido no FÍGADO e secretado para dentro do DUODENO. Sua composição é formada por s ÁCIDOS E SAIS BILIARES, COLESTEROL e ELETRÓLITOS. A bile auxilia a DIGESTÃO das gorduras no duodeno.
30 Eritrócitos: Células vermelhas do sangue. Os eritrócitos maduros são anucleados, têm forma de disco bicôncavo e contêm HEMOGLOBINA, cuja função é transportar OXIGÊNIO. Sinônimos: Corpúsculos Sanguíneos Vermelhos; Corpúsculos Vermelhos Sanguíneos; Corpúsculos Vermelhos do Sangue; Glóbulos Vermelhos; Hemácias
31 Baço:
32 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
33 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
34 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
35 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
36 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
37 Micções: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
38 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
39 Hipóxia: Estado de baixo teor de oxigênio nos tecidos orgânicos que pode ocorrer por diversos fatores, tais como mudança repentina para um ambiente com ar rarefeito (locais de grande altitude) ou por uma alteração em qualquer mecanismo de transporte de oxigênio, desde as vias respiratórias superiores até os tecidos orgânicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pediatria?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.