Gostou do artigo? Compartilhe!

Teste de inclinação ou Tilt Test

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é teste de inclinação?

O teste da mesa de inclinação consiste em um exame em que a pessoa fica deitada numa mesa especial, a qual pode ser inclinada mecanicamente, de forma rápida, para elevar o corpo a uma posição de pé, de cabeça1 para cima, simulando a passagem da posição deitada para a de ficar de pé num breve espaço de tempo.

Por que fazer o teste de inclinação?

O teste da mesa de inclinação é usado para avaliar a causa de desmaios inexplicados (síncopes2). O médico pode recomendar o teste da mesa de inclinação para esclarecer episódios repetidos e inexplicados de desmaios. Esse teste também pode ser apropriado para investigar a causa de um desmaio único, se a pessoa vive em situações que a colocam em grande risco ao ter um eventual segundo ataque.

Uma das patologias diagnosticadas pelo exame é a síncope3 neurocardiogênica ou vasovagal, que é a principal causa de desmaios em pessoas sem doença cardíaca pré-existente e que é, dentre outras formas, desencadeada pelo estresse ortostático, ou seja, pela permanência do indivíduo imobilizado em pé.

Saiba mais sobre "Síncopes2", "Síncope3 vasovagal" e "Desmaios".

Em que consiste o teste de inclinação?

A preparação para o exame envolve jejum de pelo menos quatro horas. O paciente deve consultar seu médico para saber se deve ou não suspender os remédios que esteja usando. Antes de iniciar o teste da mesa de inclinação, serão colocados no peito4, pernas e braços do paciente eletrodos adesivos conectados a um eletrocardiograma5, que irá monitorar sua frequência cardíaca.

Um monitor de pressão sanguínea deve ser colocado em seu braço para verificar periodicamente sua pressão sanguínea durante o teste da mesa de inclinação. Uma veia do braço deve ser conectada para administração de medicação. A frequência cardíaca e a pressão arterial6 são medidas enquanto o paciente está deitado na horizontal.

Essa mesa pode, mecanicamente, ser inclinada em várias angulações ou ficar em posição vertical. Ela contém também um apoio para os pés, onde o paciente pode se apoiar para não escorregar quando a mesa está numa posição angulada ou horizontal.

A mesa deve permanecer em posição vertical por algum tempo, enquanto são medidas a frequência cardíaca e a pressão arterial6 do paciente. Isso simula a passagem da posição deitada para a posição de pé e permite que os médicos avaliem a resposta cardiovascular do corpo na mudança de posição.

Dependendo do motivo do teste, o paciente pode permanecer na posição vertical por poucos minutos (5 a 10 minutos) ou por um tempo maior (até 45 minutos). Esse movimento permite conhecer-se as variações de pressão arterial sistólica7 e diastólica e de frequência cardíaca (normal ou anormal), além do tipo e variações do ritmo cardíaco e do estado funcional dos reflexos de ajuste da pressão arterial6 e da frequência cardíaca nas posições deitada e em pé.

Nesse período, o paciente deve permanecer o mais quieto possível e, se sentir sinais8 e sintomas9 como náuseas10, sudorese11, tonturas12 ou batimentos cardíacos irregulares, deve informar à equipe que aplica o teste. Medicações podem ser administradas para ajudar o médico a analisar a função circulatória. Se o paciente desmaiar durante o exame ou estiver quase a desmaiar, enquanto estiver na posição vertical, a mesa é retornada para uma posição horizontal imediatamente e o paciente será monitorado de perto. A maioria das pessoas recupera a consciência ou seu estado normal quase que imediatamente.

Terminado o teste, o paciente pode retornar às suas atividades normais.

Leia sobre "Náuseas10", "Tonturas12" e "Arritmias13 cardíacas".

Quais são as complicações possíveis do teste de inclinação?

O teste da mesa de inclinação é seguro e as complicações são raras. Mas, como em qualquer procedimento médico, existem complicações. Dentre elas, pode acontecer da pressão arterial6 manter-se prolongadamente baixa e também podem haver pausas prolongadas entre os batimentos cardíacos. Essas complicações desaparecem quando a mesa é retornada para uma posição horizontal.

Veja também sobre "Hipotensão14 ortostática" e "Parada cardíaca".

 

ABCMED, 2017. Teste de inclinação ou Tilt Test. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/1308313/teste-de-inclinacao-ou-tilt-test.htm>. Acesso em: 27 out. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cabeça:
2 Síncopes: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
3 Síncope: Perda breve e repentina da consciência, geralmente com rápida recuperação. Comum em pessoas idosas. Suas causas são múltiplas: doença cerebrovascular, convulsões, arritmias, doença cardíaca, embolia pulmonar, hipertensão pulmonar, hipoglicemia, intoxicações, hipotensão postural, síncope situacional ou vasopressora, infecções, causas psicogênicas e desconhecidas.
4 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
5 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
11 Sudorese: Suor excessivo
12 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
13 Arritmias: Arritmia cardíaca é o nome dado a diversas perturbações que alteram a frequência ou o ritmo dos batimentos cardíacos.
14 Hipotensão: Pressão sanguínea baixa ou queda repentina na pressão sanguínea. A hipotensão pode ocorrer quando uma pessoa muda rapidamente de uma posição sentada ou deitada para a posição de pé, causando vertigem ou desmaio.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cardiologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.