Atalho: 6T5HRZI
Gostou do artigo? Compartilhe!

O que é osteomielite?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Osteomielite1 (do grego osteos = osso + myelós = medula2 + -ite, que, em medicina, indica inflamação3) é a inflamação3 aguda ou crônica do osso. Usualmente essa infecção4 é causada por bactérias piogênicas (produtoras de pus5) ou fungos, que pode comprometer também a medula óssea6 e o periósteo7 (membrana que reveste o osso). A bactéria8 que mais comumente causa a osteomielite1 é o Staphylococcus aureus, mas o agente responsável varia de acordo com a idade do paciente e o mecanismo da infecção4. Os ossos longos9 dos membros e da coluna vertebral10 são os mais frequentemente acometidos, no entanto a osteomielite1 pode acometer qualquer osso do corpo. A inflamação3 da medula óssea6 pode fazer pressão contra a parede rígida do osso e comprimir os vasos sanguíneos11 contidos nela, interrompendo o fornecimento de sangue12 ao osso, causando a morte dele.

A osteomielite1 sempre começa como infecção4 aguda e caso não seja tratada adequadamente evolui para uma forma crônica.

Quais são as causas da osteomielite1?

A osteomielite1 é uma infecção4 causada por bactérias, fungos ou vírus13, que podem chegar aos ossos principalmente por uma dessas três vias:

  1. Circulação14 sanguínea: uma infecção4 pré-existente que se espalha pelo corpo através do sangue12.
  2. Invasão direta: fraturas expostas, cirurgias, implantes ou próteses, etc.
  3. Infecções15 dos tecidos moles adjacentes (trauma, cirurgia ou foco infeccioso junto ao osso).

Pode também ser secundária a uma doença vascular periférica16 que produza isquemia17 no osso. As pessoas diabéticas são mais suscetíveis ao desenvolvimento da osteomielite1.

Osteomielite

Quais são os sinais18 e sintomas19 da osteomielite1?

Às vezes a osteomielite1 passa meses ou anos sem produzir sintomas19, mas quando eles começam, normalmente, a osteomielite1 causa febre20 e dor no osso infectado, que piora à noite e com a movimentação. Os tecidos que recobrem o osso podem mostrar-se inchados e inflamados e os movimentos podem se tornar dolorosos. As vértebras normalmente desenvolvem infecções15 mais graduais, causando dores persistentes nas costas21 e sensibilidade aumentada ao tato. A febre20 pode estar ausente. Nas infecções15 crônicas que transbordam os ossos podem formar-se abscessos22 nos tecidos moles adjacentes, causando uma supuração23 constante ou intermitente24 através da pele25.

Como o médico diagnostica a osteomielite1?

Uma primeira suspeita diagnóstica pode advir dos sintomas19 e dos exames físicos. Um exame de sangue12 pode auxiliar o diagnóstico26, indicando se há uma quantidade aumentada de leucócitos27 (sobretudo nas formas agudas) bem como taxas elevadas de proteína C reativa e velocidade de sedimentação. A cintilografia28 óssea, a tomografia computadorizada29 e a ressonância magnética30 ajudam a identificar a zona infectada. No entanto, para saber-se qual é a bactéria8 ou fungo31 que está causando a infecção4 deve-se colher amostras de sangue12, pus5, líquido articular ou do próprio osso.

Como o médico trata a osteomielite1?

O tratamento básico da osteomielite1 é feito com antibióticos. Deve-se escolher os antibióticos que têm boa penetração óssea e que cubram os germes mais comumente responsáveis pela osteomielite1. No princípio eles devem ser administrados por via endovenosa, podendo mais tarde ser dados por via oral. A terapia com antibióticos deve durar no mínimo quatro a seis semanas, sendo que algumas pessoas necessitarão de meses de tratamento. Os abscessos22 quase sempre necessitarão de drenagem32 cirúrgica. A drenagem32 sempre deverá ser feita quando o pus5 do osso infectado abrir caminho até à pele25, formando uma fístula33. Os tecidos e ossos mortos devem ser extraídos cirurgicamente e o espaço vazio deve ser preenchido com osso, músculo ou pele25 sãos. Em casos graves pode ser necessária a amputação34 do membro ou a extirpação do osso afetado.

Como prevenir a osteomielite1?

Não há uma maneira específica de se prevenir a osteomielite1. Deve-se procurar evitar as suas possíveis causas.

Como evolui a osteomielite1?

Se uma infecção4 óssea não for tratada de maneira adequada, pode produzir-se uma osteomielite1 crônica que venha a demandar extração do osso ou até mesmo a amputação34 do membro comprometido.

Pode haver evolução do processo inflamatório para as articulações35, levando à artrite36 e artrose37.

Em pacientes com osteomielite1 crônica há o risco de septicemia38 (infecção4 generalizada).

ABCMED, 2013. O que é osteomielite?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/334420/o+que+e+osteomielite.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Osteomielite: Infecção crônica do osso. Pode afetar qualquer osso da anatomia e produzir-se por uma porta de entrada local (fratura exposta, infecção de partes moles) ou por bactérias que circulam através do sangue (brucelose, tuberculose, etc.).
2 Medula: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
3 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Pus: Secreção amarelada, freqüentemente mal cheirosa, produzida como conseqüência de uma infecção bacteriana e formada por leucócitos em processo de degeneração, plasma, bactérias, proteínas, etc.
6 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
7 Periósteo: Membrana de tecido conectivo que reveste exteriormente os ossos e da qual podem formar-se elementos ósseos.
8 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
9 Ossos longos: Exemplo: Fêmur
10 Coluna vertebral:
11 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
14 Circulação: 1. Ato ou efeito de circular. 2. Facilidade de se mover usando as vias de comunicação; giro, curso, trânsito. 3. Movimento do sangue, fluxo de sangue através dos vasos sanguíneos do corpo e do coração.
15 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
16 Doença vascular periférica: Doença dos grandes vasos dos braços, pernas e pés. Pode ocorrer quando os principais vasos dessas áreas são bloqueados e não recebem sangue suficiente. Os sinais são: dor e cicatrização lenta de lesões nessas áreas.
17 Isquemia: Insuficiência absoluta ou relativa de aporte sanguíneo a um ou vários tecidos. Suas manifestações dependem do tecido comprometido, sendo a mais frequente a isquemia cardíaca, capaz de produzir infartos, isquemia cerebral, produtora de acidentes vasculares cerebrais, etc.
18 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
21 Costas:
22 Abscessos: Acumulação de pus em uma cavidade formada acidentalmente nos tecidos orgânicos, ou mesmo em órgão cavitário, em consequência de inflamação seguida de infecção.
23 Supuração: Secreção de pus. Pode significar infecção no tecido afetado.
24 Intermitente: Nos quais ou em que ocorrem interrupções; que cessa e recomeça por intervalos; intervalado, descontínuo. Em medicina, diz-se de episódios de febre alta que se alternam com intervalos de temperatura normal ou cujas pulsações têm intervalos desiguais entre si.
25 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
26 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
27 Leucócitos: Células sangüíneas brancas. Compreendem tanto os leucócitos granulócitos (BASÓFILOS, EOSINÓFILOS e NEUTRÓFILOS) como os não granulócitos (LINFÓCITOS e MONÓCITOS). Sinônimos: Células Brancas do Sangue; Corpúsculos Sanguíneos Brancos; Corpúsculos Brancos Sanguíneos; Corpúsculos Brancos do Sangue; Células Sanguíneas Brancas
28 Cintilografia: Procedimento que permite assinalar num tecido ou órgão interno a presença de um radiofármaco e acompanhar seu percurso graças à emissão de radiações gama que fazem aparecer na tela uma série de pontos brilhantes (cintilação); também chamada de cintigrafia ou gamagrafia.
29 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
30 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
31 Fungo: Microorganismo muito simples de distribuição universal que pode colonizar uma superfície corporal e, em certas ocasiões, produzir doenças no ser humano. Como exemplos de fungos temos a Candida albicans, que pode produzir infecções superficiais e profundas, os fungos do grupo dos dermatófitos que causam lesões de pele e unhas, o Aspergillus flavus, que coloniza em alimentos como o amendoim e secreta uma toxina cancerígena, entre outros.
32 Drenagem: Saída ou retirada de material líquido (sangue, pus, soro), de forma espontânea ou através de um tubo colocado no interior da cavidade afetada (dreno).
33 Fístula: Comunicação anormal entre dois órgãos ou duas seções de um mesmo órgão entre si ou com a superfície. Possui um conduto de paredes próprias.
34 Amputação: 1. Em cirurgia, é a remoção cirúrgica de um membro ou segmento de membro, de parte saliente (por exemplo, da mama) ou do reto e/ou ânus. 2. Em odontologia, é a remoção cirúrgica da raiz de um dente ou da polpa. 3. No sentido figurado, significa diminuição, restrição, corte.
35 Articulações:
36 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
37 Artrose: Também chamada de osteoartrose ou processo degenerativo articular, resulta de um processo anormal entre a destruição cartilaginosa e a reparação da mesma. Entende-se por cartilagem articular, um tipo especial de tecido que reveste a extremidade de dois ossos justapostos que possuem algum grau de movimentação entre eles, sua função básica é a de diminuir o atrito entre duas superfícies ósseas quando estas executam qualquer tipo de movimento, funcionando como mecanismo de absorção de choque. O estado de hidratação da cartilagem e a integridade da mesma, é fator preponderante para o não desenvolvimento da artrose.
38 Septicemia: Septicemia ou sepse é uma infecção generalizada grave que ocorre devido à presença de micro-organismos patogênicos e suas toxinas na corrente sanguínea. Geralmente ela ocorre a partir de outra infecção já existente.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ortopedia e Traumatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

29/05/2016 - Comentário feito por Narcio
Achei mui interessante as informaç&otild...
Achei mui interessante as informações e os comentários e optei em comentar minha situação!
Tenho hj 41 anos desde junho/1998 fiquei paraplégico referente à FAF (fratura c/ arma de fogo) após três anos, por desconhecer totalmente do assunto ficava sentado em uma almofada de (agua ou ar) e somando as contingencias, adquiri uma UP (Úlcera de pressão ou outros dizem escaria),enfim fui parar na USP devido muitas febres constantes, lá os médicos presenciaram um ponto meio avermelhado meio a pretejado e retiraram com bisturi deixando um túnel para que se avesse saída da secreção(resumindo devido a umidade, mais a pressão exercida no local do osso do isquio esquerdo (significa o local exato da UP) atingiu a pele e ocorreu isso) o isquio fica aproximadamente entre a nadéga e a coxa.
Fui varias mais varias vezes na USP, na AACD e a maioria das vezes me falavam “ai tá bonitinho é pequenininho quase impercebível”. Teve casos que percebi que alguns nem sabia do que se tratava e nisso os anos foi se passando. Resolvi ser acompanhada pela minha medica e como era clinica e diagnostico ostiomelite no canal do túnel com um cotonete, a mesma me encaminhou para um ortopedista e o ortopedista analisou e me aconselhou ñ mexer com isso pois ostiomelite ñ tem cura, a saída dessa secreção é um bom sinal te juro foi tipo assim, porque se eu fechar esse túnel vai acumular lá dentro e vai ficar pior.
Em 2010 fui na ortopedia do HC a medica analisou superficialmente e falou que teria que arrancar o quadril, amigos peguei esperei a Drª vira as costas peguei minha cadeira e “ O ” me joguei, sai voado.
Em 2016 voltei ao HC nas Clinicas de SP, e expliquei tudo a um Dr. da plástica que por sinal foi ultra atencioso disse que estava praticamente com 14 com UP e estava começando a sentir dores e um odor indesejado, expliquei tb que passava colagenase e tinha constantemente infecção urinaria me medicou uso de papaína durante 2 meses e fui e entrei em cirurgia com desbrindamento e retalho resumindo uma técnica cirúrgica, foi vários pontos, fiquei 12 dias internado tomando antibióticos na veia 3 vezes ao dia, recebi alto e passei a tomar via oral 3 vezes ao dia tb, após 60 acamado começou a ter umas dores fortes de ouvido n~sei se é o frio, ou se as cocei de mais, ou pesquisando na internet
Complicações possíveis
•A bactéria ou vírus que não responde ao tratamento pode se espalhar para os tecidos circundantes, como a saliência óssea atrás da orelha (mastoide) e outros tecidos do crânio, incluindo o cérebro. No entanto, essas infecções são bem raras

hj faz exatamente 11 semanas que estou de repouso, e semana que vem volta ao ambulatório e lhe passarei maiores informações sobre ter ostiomelite cronica.
Obs Cada caso é um caso a minha bactéria foi diagnostica e estou lutando pra vence-la...

12/05/2015 - Comentário feito por Veronica
Estou com esse problema na família.
Estou com esse problema na família.
Meu marido , que é cadeirante, criou uma escara no glúteo. Isso a uns sete anos. Fomos a vários médicos, que nos davam orientações para a cura, mas não resolvia, porque, descobrimos a dois anos atrás, quem é especialista nessa área não é o médico, e sim, a enfermeira.
A dois anosmeu marido teve um caso de assepticemia e foi diagnosticado com osteomielite crônica no glúteo direito. Agora estamos frequentemente procurando ajuda, pois seguidamente cria abscessos e partes dos ossos se soltam, ficando armazenados nos tecidos moles.
Sabemos que será uma luta constante para que ele tenha uma vida melhor, mas isso faz parte do processo. Lutar faz parte da vida e nunca devemos desistir, Abraços e forças!

08/03/2015 - Comentário feito por Jardel
Passei por um quadro de esteomielite na inf&aci...
Passei por um quadro de esteomielite na infância, com mais ou menos com 7 anos de idade (no fêmur). Por desconhecimento médico (passei por mais de 20 ortopedistas), fiquei 2 anos sem andar, com dores fortíssimas, febre, remédios e gesso de todas as formas nas pernas. Por fim, após uma tomografia computadorizada, um médico constatou ser osteomielite e ainda houve tempo de tratar com sucesso. Após pouco mais de 10 anos, submeti a outra cirurgia para correção no quadril (fiquei com uma perna maior que a outra) chamada osteotomia ("Osteotomia é o seccionamento cirúrgico de um osso, com o fim de corrigir uma restauração ou deformidade do esqueleto, ou por consolidação viciosa de fratura, ou por anomalias congênitas ou adquiridas. A osteotomia é empregada, por exemplo, visando à correção de uma deformidade da articulação do quadril. Geralmente esse tipo de cirurgia é feito nos membros de locomoção que têm seus movimentos tolhidos por anomalias ósseas. Em alguns casos, faz-se a extração de fragmentos do osso que contém a deformidade" - wikipédia). Graças a Deus, hoje estou com 32 anos, curado da osteomielite e com uma osteotomia. Ainda ando um pouco mancando, mas nada que atrapalhe em relação às dores da infância.

Não sabia os fatos que comprometeriam a evolução da doença. Pesquisando as causas aqui e após a leitura dos comentários, suspeito que tenha a adquirido após um corte profundo resultante de uma artimanha andando de bicicleta. Eu simplesmente abri meu calcanhar por completo andando na garupa com meu primo. Não me atentei a alongar as pernas o suficiente para que o pé não encostasse na corrente e catraca, resultado: RASGUEI MEU CALCANHAR POR COMPLETO!!! Dei pontos sem anestesia numa clinica, pois o local do ferimento estava muito sujo. Em consequência, depois os pontos ficaram inflamados, com pus. Talvez este tenha sido o motivo do desenvolvimento da doença. Mas o que importa é o hoje. Estou curado, feliz e sem dores graças aos médicos e primeiramente a DEUS!

19/07/2014 - Comentário feito por leiliane
eu tenho osteomelite ha 16 anos,sinto muitas do...
eu tenho osteomelite ha 16 anos,sinto muitas dores ate hoje e preciso colocar uma protese no femur.ta dificil fazer o tratamento e a cirurgia pois tenho que pagar todas as consultas e a cirurgia vai demorar muito pelo sus.me ajudem.

20/04/2014 - Comentário feito por leandro
quando tinha 10 anos estava jogando bola machuq...
quando tinha 10 anos estava jogando bola machuquei unha do pé,depois de alguns dias minha perna estava vermelha e enchada ,fui no medico e ele enjessou minha perna ,sentia muita dor arranquei o gesso,fui para o medico e fiquei enternado varios dias estava com osso melite ,sofri muinto mas nao precizei fazer cirugia so medicamentos drenagem osso ,e quando compretei 22 anos voltou de volta tive que fazer cirugia no osso tinha soltado um pedaço do osso ,graças a deus sarou ,estou com 32 anos agora mas sempre faços exames para previnir ,muinto sofrido ter essa doença ,mas tem cura , faço exercios normais nunca mudou minha rotina em nada , e so procucarar o ortopedista com muinta experiencia que ele fara e dara o melhor dele ,porque perder um membro do corpo não está nos planos de nimguem .

27/03/2014 - Comentário feito por maria
Re: O que é osteomielite?
meu marido já a 3 anos luta contra sarcoma grau III que deu no fêmur, a penúltima cirurgia teve de amputar a perna, depois de uns 2 meses teve outra cirurgia para tirar um tumor de 14 cm, agora a uns 15 dias o coto começou a sair secreção e pus, teve que fazer uma limpeza, e ai o médico diz que ele esta com osteomielite cronica, ele também é diabético. o que é esquisito é que quando ele teve que tirar o tumor de 14 cm, não foi medicado no hospital, e disseram que só tomaria remédio em casa, muito esquisito não acham?

26/03/2014 - Comentário feito por celia
Re: O que é osteomielite?
trabalho em um hospital e temos uma cliente de apenas 11 anos com esse problema,ja luta a muito tempo contra essa doença e so com a gente esta a mais de 30 dias. Faz pena porque ela fica louca para ir para casa.

21/03/2014 - Comentário feito por William
Re: O que é osteomielite?
Olá sou William.
só hoje procurei saber oq tive , minha mãe resumiu a minha história.
quando tinha 3 anos de idade tive osteomielite, comecei com os sintomas : febre dores muito forte na perna esquerda e começo de pinamunia , fui ao médico em um a cidade vizinha , onde o médico engessou minha perna esquerda (sem ao menos saber oq tinha acontecido comigo , por causa disso quase perdi minha perna)
fui liberado mas ao notar que nada melhorava minha mãe resolveu me levar a unesp de botucatu onde os médico fizeram vários exames mas nenhum teve resultado , fui salvo por um milagre. por isso sou muito grato a Deus e a todos médico enfermeiro que cuidaram de mim.
queria poder agradece-los um por um , mas que Deus abençoe a todos e todos nós .
por isso falo a quem estiver passando por isso ou conheça alguém procure um médico certo de confiança e tenha fé muita fé pq sem Deus não somos nada . abraços fiquem com Deus!

18/03/2014 - Comentário feito por Evandro
Re: O que é osteomielite?
Olá, fui mordido por um cachorro no polegar direito e após 3 meses a cicatrização foi total. O dedo estava completamente fechado. Então na virada do ano de 2013/2014 eu joguei vôlei com amigos e a bola pegou no polegar da mordida desencadeando o processo infeccioso da osteomielite. Ja estou a três meses com inchaços e desinchados tomei 40 cápsulas de antibiótico e não resolveu. Acabei de ser encaminhado para cirurgia. Vamos ver né !

13/03/2014 - Comentário feito por Maria
Re: O que é osteomielite?
o motivo do meu interesse é que aconteceu com uma sobrinha,após 15 dias internada é que saiu o diágnostico,ela tem apenas 11 anos

  • Entrar
  • Assinar