Atalho: 6Q5JLFR
Gostou do artigo? Compartilhe!

Colonoscopia: como é o exame? Quando deve ser realizado? Para que serve? Quais são os riscos e benefícios?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é colonoscopia1?

Colonoscopia1 é um exame que permite a visualização direta do interior do reto2, cólon3 e parte do íleo4 terminal através de um tubo flexível introduzido pelo ânus5, contendo em sua extremidade uma minicâmera de TV que transmite imagens coloridas, podendo ser fotografadas ou gravadas em vídeo.

Em que consiste o exame?

O paciente é posicionado em uma maca, deitado sobre o seu lado esquerdo. Depois de leve sedação6, às vezes procedida por um anestesista, o interior do cólon3 é acessado através do tubo flexível introduzido pelo ânus5. Para isso, o cólon3 deve estar limpo de fezes e resíduos alimentares, o que exige um preparo prévio que consiste em uma dieta líquida nas 24 horas que antecedem o exame, bem como no uso de laxativos7 e de um produto chamado Manitol, conforme orientação médica. Em raros casos, esse preparo envolve uma lavagem intestinal. O aparelho é introduzido lenta, suavemente e de maneira progressiva no interior do cólon3, permitindo o exame cuidadoso da mucosa8. Durante o procedimento, pequenas quantidades de ar são injetadas dentro do intestino para melhorar a visualização, o que pode causar cólicas9 após o procedimento.

Colonoscopia

Alguns medicamentos que o paciente esteja tomando podem ser continuados normalmente, enquanto outros devem ser suspensos 48 a 72 horas antes do início do exame. Quaisquer condições especiais de saúde10 devem ser informadas ao médico.

Geralmente o exame é realizado em regime ambulatorial, sem necessidade de internação, durando de 20 a 30 minutos. Além de seu potencial diagnóstico11 direto, a colonoscopia1 também permite realizar biópsias12 da mucosa8, corrigir pequenos sangramentos e retirar eventuais pólipos13 intestinais. O exame é inócuo14 e não ocasiona dor. Geralmente é aplicada uma sedação6 ligeira para deixar o paciente mais calmo e colaborativo. Em crianças muito pequenas (geralmente abaixo de quatro anos), pode ser necessária uma anestesia15 geral superficial.

O paciente deve ir ao exame acompanhado pois os sedativos que tomará podem deixá-lo sonolento mesmo após o exame. Ele não deve dirigir ou voltar a trabalhar logo após o exame.

Por que a colonoscopia1 é solicitada?

A colonoscopia1 devia se constituir num exame preventivo16 a ser realizado periodicamente (mas não muito frequentemente) por todas as pessoas acima dos 50 anos, idade em que estão mais sujeitas ao câncer17 e aos pólipos13 intestinais. Ela permite a avaliação da mucosa8 do intestino grosso18 (onde em geral o câncer17 intestinal começa) e do calibre da luz dessa porção intestinal. Permite também a coleta de material para biópsia19, a realização de retirada de pólipos13, a descompressão20 de volvo intestinal21 e a hemostasia22 de sangramentos. Pode ainda ser realizada para diagnóstico11 e acompanhamento de tumores, para o diagnóstico11 de doença inflamatória e esclarecimento de outras patologias intestinais.

Em geral, o exame é indicado em casos de:

  • Dor abdominal de origem desconhecida
  • Sangramentos retais não precisados
  • Diarreia23 ou constipação24 crônica não esclarecida
  • Suspeita de neoplasias25, de diverticulose26 ou de hemorragia27 digestiva baixa
  • Rastreamento de cânceres, de pólipos13 e de doenças inflamatórias intestinais
  • Além de outras condições menos comuns, a juízo médico

Quais são os riscos e as contraindicações desse exame?

Quase todo procedimento médico envolve riscos. A colonoscopia1 realizada por um profissional experiente torna rara a possibilidade de riscos. A combinação da experiência do profissional com a modernização dos equipamentos faz da colonoscopia1 um procedimento simples e seguro. As raras complicações se referem à possibilidade de sangramentos ou perfurações intestinais devido mais às condições das paredes intestinais do paciente do que ao exame em si.

As contraindicações absolutas da colonoscopia1 são:

  • Suspeita de abdome agudo28
  • Suspeita de diverticulite29 aguda
  • Suspeita de megacólon30 tóxico

As contraindicações relativas mais importantes são:

  • Infarto31 recente do miocárdio32
  • Embolia33 pulmonar recente
  • Neutropenia34 significativa
  • Terceiro trimestre da gravidez35
  • Aneurisma36 da aorta37
  • Esplenomegalia38

O exame deve ser adiado para uma ocasião mais propícia em pacientes que estejam sofrendo algum tipo de coagulopatia ou que estejam tomando anticoagulantes39.

ABCMED, 2012. Colonoscopia: como é o exame? Quando deve ser realizado? Para que serve? Quais são os riscos e benefícios?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/exames-e-procedimentos/327460/colonoscopia-como-e-o-exame-quando-deve-ser-realizado-para-que-serve-quais-sao-os-riscos-e-beneficios.htm>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Colonoscopia: Estudo endoscópico do intestino grosso, no qual o colonoscópio é introduzido pelo ânus. A colonoscopia permite o estudo de todo o intestino grosso e porção distal do intestino delgado. É um exame realizado na investigação de sangramentos retais, pesquisa de diarreias, alterações do hábito intestinal, dores abdominais e na detecção e remoção de neoplasias.
2 Reto: Segmento distal do INTESTINO GROSSO, entre o COLO SIGMÓIDE e o CANAL ANAL.
3 Cólon:
4 Íleo: A porção distal and mais estreita do INTESTINO DELGADO, entre o JEJUNO e a VALVA ILEOCECAL do INTESTINO GROSSO. Sinônimos: Ileum
5 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
6 Sedação: 1. Ato ou efeito de sedar. 2. Aplicação de sedativo visando aliviar sensação física, por exemplo, de dor. 3. Diminuição de irritabilidade, de nervosismo, como efeito de sedativo. 4. Moderação de hiperatividade orgânica.
7 Laxativos: Mesmo que laxantes. Que laxa, afrouxa, dilata. Medicamentos que tratam da constipação intestinal; purgantes, purgativos, solutivos.
8 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
9 Cólicas: Dor aguda, produzida pela dilatação ou contração de uma víscera oca (intestino, vesícula biliar, ureter, etc.). Pode ser de início súbito, com exacerbações e períodos de melhora parcial ou total, nos quais o paciente pode estar sentindo-se bem ou apresentar dor leve.
10 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
11 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
12 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
13 Pólipos: 1. Em patologia, é o crescimento de tecido pediculado que se desenvolve em uma membrana mucosa (por exemplo, no nariz, bexiga, reto, etc.) em resultado da hipertrofia desta membrana ou como um tumor verdadeiro. 2. Em celenterologia, forma individual, séssil, típica dos cnidários, que se caracteriza pelo corpo formado por um tubo ou cilindro, cuja extremidade oral, dotada de boca e tentáculos, é dirigida para cima, e a extremidade oposta, ou aboral, é fixa.
14 Inócuo: 1. Que não causa dano material, físico, orgânico; que não é nocivo ou prejudicial. 2. Que não causa dano moral, psicológico ou afim; improvável de causar ofensa moral. 3. Incapaz de produzir o efeito pretendido.
15 Anestesia: Diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa. Pode ser induzida por diferentes medicamentos ou ser parte de uma doença neurológica.
16 Preventivo: 1. Aquilo que previne ou que é executado por medida de segurança; profilático. 2. Na medicina, é qualquer exame ou grupo de exames que têm por objetivo descobrir precocemente lesão suscetível de evolução ameaçadora da vida, como as lesões malignas. 3. Em ginecologia, é o exame ou conjunto de exames que visa surpreender a presença de lesão potencialmente maligna, ou maligna em estágio inicial, especialmente do colo do útero.
17 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
18 Intestino grosso: O intestino grosso é dividido em 4 partes principais: ceco (cecum), cólon (ascendente, transverso, descendente e sigmoide), reto e ânus. Ele tem um papel importante na absorção da água (o que determina a consistência do bolo fecal), de alguns nutrientes e certas vitaminas. Mede cerca de 1,5 m de comprimento.
19 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
20 Descompressão: Ato ou efeito de descomprimir, de aliviar o que está sob efeito de pressão ou de compressão.
21 Volvo intestinal: Volvo é a torção completa (rotação de 180 graus ou mais) de uma alça intestinal ao redor da sua fixação mesentérica, produzindo obstrução intestinal e infarto mesentérico. Os sintomas constituem de dores em cólica no abdome e distensão abdominal importante.
22 Hemostasia: Ação ou efeito de estancar uma hemorragia; mesmo que hemóstase.
23 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
24 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
25 Neoplasias: Termo que denomina um conjunto de doenças caracterizadas pelo crescimento anormal e em certas situações pela invasão de órgãos à distância (metástases). As neoplasias mais frequentes são as de mama, cólon, pele e pulmões.
26 Diverticulose: Presença de pequenas bolsas que se projetam para fora da parede intestinal, chamadas divertículos. São mais comuns em pessoas idosas, geralmente são assintomáticos e a maioria localiza-se no cólon sigmóide (parte final do intestino grosso). Os divertículos podem sangrar ou infeccionar.
27 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
28 Abdome agudo: Dor abdominal, em geral de início súbito, progressiva que costuma associar-se a doenças de resolução cirúrgica. Necessita de avaliação médica urgente. Algumas causas de abdome agudo são apendicite, colecistite, pancreatite, etc.
29 Diverticulite: Inflamação aguda da parede de um divertículo colônico. Produz dor no quadrante afetado (em geral o inferior esquerdo), febre, etc.Necessita de tratamento com antibióticos por via endovenosa e raramente o tratamento é cirúrgico.
30 Megacólon: Dilatação anormal do intestino grosso, produzida por defeitos congênitos (megacólon congênito ou doença de Hischprung) ou adquiridos (megacólon tóxico, hipotireoidismo, doença de Chagas, etc.) Associa-se à constipação persistente e episódios de obstrução intestinal.
31 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
32 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
33 Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia.
34 Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de “emergência infecciosa”.
35 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
36 Aneurisma: Alargamento anormal da luz de um vaso sangüíneo. Pode ser produzida por uma alteração congênita na parede do mesmo ou por efeito de diferentes doenças (hipertensão, aterosclerose, traumatismo arterial, doença de Marfán, etc.).
37 Aorta: Principal artéria do organismo. Surge diretamente do ventrículo esquerdo e através de suas ramificações conduz o sangue a todos os órgãos do corpo.
38 Esplenomegalia: Aumento tamanho do baço acima dos limites normais
39 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

16/06/2016 - Comentário feito por Rafa
Obrigada! Muito bem explicado!
Obrigada! Muito bem explicado!

27/05/2016 - Comentário feito por patrick
infinitamente esclarecedor! com otima amplitude...
infinitamente esclarecedor! com otima amplitude das palavras!!! gostei!!!!

12/05/2016 - Comentário feito por Denise
Excelente artigo. Muito esclarecedor. Antes, es...
Excelente artigo. Muito esclarecedor. Antes, esse exame me parecia um bicho de sete cabeças, hoje, já não tenho nenhum temor.

02/05/2016 - Comentário feito por Janaina
Vou fazer esse procedimento amanhã e fiq...
Vou fazer esse procedimento amanhã e fiquei mais tranquila, obrigada!

04/04/2016 - Comentário feito por madalena
foi muito esclarecedor, pois o meu pai precisa ...
foi muito esclarecedor, pois o meu pai precisa fazer, eu estava preocupada, e depois de ler as informações aqui fiquei bem mas tranquila. parabéns obrigada.

27/05/2015 - Comentário feito por zeza
Muito bom,esclarecedor vou fazer esse exame ama...
Muito bom,esclarecedor vou fazer esse exame amanhã estou muito satisfeita com as informações aqui adquiridas me ajudou muito.
Parabéns a toda equipe e muito obrigada.

23/01/2015 - Comentário feito por elza
foi bem exclarecedor vou fazer o exame hj so t...
foi bem exclarecedor vou fazer o exame hj so to na duvida se tenho que estar em jejum

10/12/2014 - Comentário feito por Maysa
Matéria mais que clara e objetiva, conse...
Matéria mais que clara e objetiva, consegui aqui entender tudo e tirar todas as dúvidas. Parabéns!!!

06/11/2014 - Comentário feito por joana
fiz este exame no dia 4/11/2014 pois n...
fiz este exame no dia 4/11/2014 pois nao sabia quais eram os procedimentos e tive a curiosidadede saber fiquei satisfeita por saber como foi realizado e por esta pagina muito bem explicada . obrigada a todos pelas informaçoes.

10/10/2014 - Comentário feito por carmem
Texto muito bem explicado.

Farei e...
Texto muito bem explicado.

Farei este procedimento no dia 14/10/2014, depois que li o texto fiquei mas tranquila.
Parabéns

  • Entrar
  • Assinar
O AbcMed® é parte integrante da Plataforma HiDoctor® e é oferecido a você gratuitamente.