Atalho: 67UKLL0
Gostou do artigo? Compartilhe!

Cistite. Como ela ocorre?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a cistite1?

Cistite1 é uma inflamação2 da bexiga3, causada por infecção4 bacteriana, agentes químicos ou quimioterapia5. No primeiro caso, coincide com o que é chamado popularmente e até por médicos de infecção4 do trato urinário6 ou infecção4 urinária baixa.

Quais as causas da cistite1?

As cistites incidem mais nas mulheres que nos homens (devido às diferenças anatômicas do trato urinário6 feminino em relação ao masculino, as quais favorecem o risco de desenvolver esta condição), nas pessoas idosas (devido à diminuição da resistência do organismo) e nas crianças pequenas (devido às deficiências de higiene).

Cerca de 70 a 90% das cistites são causadas por uma bactéria7 conhecida como Escherichia coli, este microorganismo é oriundo do intestino e pode migrar para o períneo8 e ascender até a bexiga3. Outras bactérias, embora bem mais raramente, podem estar presentes.

As condições que mais comumente produzem infecção4 da bexiga3 são a má higienização das partes íntimas (limpeza das fezes de trás para frente, por exemplo), malformações9 do sistema urinário10, constipação11 intestinal, uso de diafragmas e fatores que retardem o fluxo urinário, como as pedras nos rins12.

A presença de açúcar13 na urina14, característica do diabetes mellitus15, é um fator favorecedor da cistite1. Assim também a gravidez16, ao possibilitar a compressão sobre as vias urinárias pelo útero17 em crescimento.

O acometimento da mucosa18 vesical19 por substâncias tóxicas agressivas ou por irradiações devido à radioterapia20 são outras possíveis causas de cistites.

Quais os sintomas21 da cistite1?

O principal sintoma22 costuma ser uma frequente vontade de urinar com eliminação de apenas uma pequena quantidade de urina14 em cada micção23, acompanhada de ardência. Geralmente ocorre também dor, localizada ao longo do trajeto da urina14, no baixo ventre ou nas costas24. Pode haver febre25 baixa. Se houver infecção4, a urina14 pode ter mau cheiro ou mostrar a presença de sangue26.

Como o médico faz o diagnóstico27 da cistite1?

O diagnóstico27 de cistite1 deve ser suspeitado, em primeiro lugar, por uma história clínica bem feita que reconheça os sintomas21 principais. Uma análise ou mesmo uma cultura da urina14 podem ajudar no diagnóstico27. Em alguns casos, a ultrassonografia28 também prestará uma ajuda.

Qual o tratamento da cistite1?

Se a cistite1 for consequente a uma infecção4 bacteriana, o tratamento terá como base a eliminação dela por meio do uso de antibióticos adequados. Além disso, devem ser utilizados medicamentos para controlar outros sintomas21, como analgésicos29, anti-inflamatórios e antiespasmódicos de acordo com a necessidade.

O médico (clínico geral, urologista30, ginecologista ou pediatra, no caso de crianças) é a pessoa indicada para tratar a cistite1.

ABCMED, 2011. Cistite. Como ela ocorre?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/249810/cistite+como+ela+ocorre.htm>. Acesso em: 15 dez. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Cistite: Inflamação ou infecção da bexiga. É uma das infecções mais freqüentes em mulheres, e manifesta-se por ardor ao urinar, urina escura ou com traços de sangue, aumento na freqüência miccional, etc.
2 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
3 Bexiga: Órgão cavitário, situado na cavidade pélvica, no qual é armazenada a urina, que é produzida pelos rins. É uma víscera oca caracterizada por sua distensibilidade. Tem a forma de pêra quando está vazia e a forma de bola quando está cheia.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
6 Trato Urinário:
7 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
8 Períneo: Região que constitui a base do púbis, onde estão situados os órgãos genitais e o ânus.
9 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
10 Sistema urinário: O sistema urinário é constituído pelos rins, pelos ureteres e pela bexiga. Ele remove os resíduos do sangue, mantêm o equilíbrio de água e eletrólitos, armazena e transporta a urina.
11 Constipação: Retardo ou dificuldade nas defecações, suficiente para causar desconforto significativo para a pessoa. Pode significar que as fezes são duras, difíceis de serem expelidas ou infreqüentes (evacuações inferiores a três vezes por semana), ou ainda a sensação de esvaziamento retal incompleto, após as defecações.
12 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
13 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
14 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
15 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
16 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
17 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
18 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
19 Vesical: Relativo à ou próprio da bexiga.
20 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
21 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
22 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
23 Micção: Emissão natural de urina por esvaziamento da bexiga.
24 Costas:
25 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
26 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
27 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
28 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
29 Analgésicos: Grupo de medicamentos usados para aliviar a dor. As drogas analgésicas incluem os antiinflamatórios não-esteróides (AINE), tais como os salicilatos, drogas narcóticas como a morfina e drogas sintéticas com propriedades narcóticas, como o tramadol.
30 Urologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas no trato urinário e homens com problemas nos órgãos genitais, como impotência.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Nefrologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

22/07/2013 - Comentário feito por rosangela
Re: Cistite. Como ela ocorre?
gostei muito da matéria, pois tenho uma amiga que sofre desse mal há vários anos e ñ consegue ficar boa, vi o nome de um exame que acho que ela ainda ñ o fez, vou mandá-la pedir ao seu urologista.

  • Entrar
  • Assinar