Atalho: 64YRIL5
Gostou do artigo? Compartilhe!

Estou com virose de novo! Como as viroses aparecem?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que são viroses?

Rigorosamente falando, virose é toda doença causada por vírus1. Genericamente, costuma-se chamar de “virose” quando não se consegue identificar o vírus1 específico. Por outro lado, trata-se a doença pelo seu nome específico quando ele é conhecido (por exemplo: sarampo2, catapora3, dengue4, etc.). Essas doenças englobam patologias muito simples, como uma gripe5 ou uma verruga, até outras muito graves e talvez mortais, como a AIDS e as infecções6 causadas pelo vírus1 Ebola.

Outras doenças viróticas comuns são o herpes simples, a hidrofobia, a poliomielite7, a mononucleose infecciosa8, certas formas de diarreias, de conjuntivite9, de pneumonia10, de meningite11 e de hepatite12.

Os vírus1 são seres que não chegam a formar células13 e por isso não têm uma vida própria. Todo vírus1 só sobrevive no interior de uma célula14 (humana, animal ou vegetal), parasitando-a, e aí pode dar rápida origem a uma grande quantidade de novos vírus1 diferentes dos originais, mediante um processo que se chama mutação15. O vírus1 causa uma grande alteração do metabolismo16 celular podendo, inclusive, matar a célula14. Fora de uma célula14, o vírus1 não guarda nenhuma das propriedades vitais: não cresce, não se multiplica, não reage a estímulos, etc.

Como os vírus1 são transmitidos?

Alguns vírus1 só são transmitidos por meio de seringas e agulhas contaminadas, contatos sexuais e contato com sangue17 contaminado. Outros vírus1 se transmitem por vários meios, como uso comum de vasilhas ou objetos, água e secreções contaminadas.

A incubação18 do vírus1 dura de 5 a 7 dias, período no qual a pessoa infectada não apresenta sintomas19. Indivíduos infectados, mesmo em fase ainda assintomática ou de recuperação, são transmissores, o que facilita a disseminação das viroses.

Quais os sintomas19 das viroses?

Os sintomas19 das viroses são mais ou menos comuns a todas, mas há nuances que as diferenciam segundo o tipo de vírus1 e o local do corpo que afetam. O início das viroses geralmente é agudo20, com aparecimento de febre21 alta, calafrios22, dores de cabeça23, anorexia24, náuseas25, dores abdominais, dor de garganta26 e prostração27. Em alguns casos aparecem, depois do quinto ao sétimo dias, manifestações hemorrágicas28 que podem evoluir para a morte.

No verão, são muito comuns as viroses gastrointestinais, cujos sintomas19 mais comuns são: diarreia29, vômito30, dores no corpo, dores nas articulações31, dores abdominais, tosse e febre21. Em geral esse quadro dura de três a cinco dias. Na maioria das vezes os sintomas19 desaparecem em 48 a 72 horas.

Deve-se estar atento para a possibilidade das viroses propiciarem a ocorrência de infecções6 bacterianas, complicando-se com os sintomas19 delas. Isso ocorre, pois uma infecção32 viral pode debilitar temporariamente o organismo, criando uma oportunidade para o crescimento bacteriano, levando a uma nova infecção32.

Quem tem mais viroses?

As crianças e os idosos são mais susceptíveis a este tipo de infecção32, pois ou não tem um sistema imunológico33 totalmente desenvolvido ou ele já não responde mais como deveria.

Qual o tratamento das viroses?

As medicações utilizadas nas viroses ainda são pouco eficazes. Muitas viroses desaparecem espontaneamente. Para cada caso aconselham-se providências diferentes. Devem ser tomados os cuidados sintomáticos cabíveis para cada um deles como repouso, hidratação e alimentação adequadas, controle da temperatura, prevenção de infecções6 bacterianas, etc.

O médico deve sempre ser consultado para sugerir a terapêutica34 mais adequada. Como algumas viroses são altamente contagiosas, certas providências preventivas são recomendáveis, como não partilhar utensílios, lavar as mãos35 antes das refeições ou depois de ir ao banheiro, evitar ambientes fechados, dentre outras.

ABCMED, 2011. Estou com virose de novo! Como as viroses aparecem?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/242095/estou-com-virose-de-novo-como-as-viroses-aparecem.htm>. Acesso em: 26 mai. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
2 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
3 Catapora: Doença infecciosa aguda, comum na infância, também chamada de varicela. Ela é provocada por vírus e caracterizada por febre e erupção maculopapular rápida, seguida de erupção de vesículas eritematosas muito pruriginosas.
4 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
5 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
6 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
7 Poliomielite: Doença viral que afeta as raízes anteriores dos nervos motores, produzindo paralisia especialmente em crianças pequenas e adolescentes. Sua incidência tem diminuído muito graças ao descobrimento de uma vacina altamente eficaz (Sabin), e de seu uso difundido no mundo inteiro.
8 Mononucleose infecciosa: Doença de progressão benigna, muito comum, causada pela infecção pelo vírus Epstein-Barr e transmitida pelo contato com saliva contaminada. Seus sintomas incluem: mal-estar, dor de cabeça, febre, dor de garganta, ínguas principalmente no pescoço, inflamação do fígado. Acomete mais freqüentemente adolescentes e adultos jovens.
9 Conjuntivite: Inflamação da conjuntiva ocular. Pode ser produzida por alergias, infecções virais, bacterianas, etc. Produz vermelhidão ocular, aumento da secreção e ardor.
10 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
11 Meningite: Inflamação das meninges, aguda ou crônica, quase sempre de origem infecciosa, com ou sem reação purulenta do líquido cefalorraquidiano. As meninges são três membranas superpostas (dura-máter, aracnoide e pia-máter) que envolvem o encéfalo e a medula espinhal.
12 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
13 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
14 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
15 Mutação: 1. Ato ou efeito de mudar ou mudar-se. Alteração, modificação, inconstância. Tendência, facilidade para mudar de ideia, atitude etc. 2. Em genética, é uma alteração súbita no genótipo de um indivíduo, sem relação com os ascendentes, mas passível de ser herdada pelos descendentes.
16 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
17 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
18 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
21 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
22 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
23 Cabeça:
24 Anorexia: Perda do apetite ou do desejo de ingerir alimentos.
25 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
26 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
27 Prostração: 1. Ato ou efeito de prostrar(-se); prosternação 2. Debilidade física; fraqueza, abatimento, moleza. 3. Abatimento psíquico ou moral; depressão.
28 Hemorrágicas: Relativo à hemorragia, ou seja, ao escoamento de sangue para fora dos vasos sanguíneos.
29 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
30 Vômito: É a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Pode ser classificado como: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
31 Articulações:
32 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
33 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
34 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
35 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

28/09/2014 - Comentário feito por Celso
Olá, boa tarde!

Só pra...
Olá, boa tarde!

Só pra confirmar, minha nota referente a este artigo é: 5 (CINCO) que é a nota máxima. Gostei muito, achei bem objetivo, claro e completo. MUITO OBRIGADOOO!!

14/07/2013 - Comentário feito por eliana
Re: virose
há l8 dias fui diagnosticada de uma dengue, após 3 vezes indo ao médico para medir as plaquetas o me´dico me disse que eu estava com uma virose que já esta se arrastando por 20 dias e estou com muita dor de cabeça. enjoo e febre, sendo que a dor de cabeça se concentra apenas no lado esquerdo , acima da nuca e tenho que estar sempre tomando tilenol , gostaria de uma avaliação, tomo ainda remedios para esnjoo, mas o desanimo é imenso. obrigada

05/06/2013 - Comentário feito por Flavio
Re: Estou com virose de novo! Como as viroses aparecem?
Muito boa

24/10/2011 - Comentário feito por sonia
Re: Estou com virose de novo! Como as viroses aparecem?
Gostei muito do assunto abordado,pois minha filha está com virose a 10 dias e não quis internar,e ela t~em 13 anos.É aquela fase dificil de adolescente.Muito obrigada.

  • Entrar
  • Assinar