Gostou do artigo? Compartilhe!

Whey Protein (Proteína do Soro) - O que é? Quem deve usar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a Whey Protein (Proteína do soro1)?

A Whey protein é um suplemento proteico derivado da proteína do soro1 do leite extraído através de um processo especial, quando esse é transformado em queijo. Este processo de extração faz com que seja possível obter-se uma alta concentração de proteínas2. Há diferentes processos de extração, resultando em diferentes tipos de Whey protein, os quais passam por diversos processos de microfiltração e ultrafiltração.

Basicamente, existem três tipos de Whey protein:

  1. Concentrado de Whey protein, o tipo mais usualmente encontrado, resulta em 60% a 80% de proteínas2.
  2. Isolado de Whey protein, que possui uma quantidade muito maior de proteínas2 (cerca de 90%), sem gorduras e carboidratos. Esse tipo de suplemento é também uma ótima opção para quem busca uma diminuição dos índices calóricos, eliminação de tecido adiposo3 e perda de peso.
  3. Hidrolisado de Whey protein, em que o soro1 passa por uma hidrólise (quebra de moléculas feita pela água) que quebra as cadeias proteicas em peptídeos menores, favorecendo a absorção desse tipo do suplemento.

A diferença entre esses tipos de Whey protein reside principalmente no índice de concentração de proteínas2, que varia de acordo com o processo de filtração utilizado. Há também a diferença em relação à digestiblidade e ao tempo de absorção de cada um pelo organismo.

Veja sobre "Como ganhar massa muscular", "Alimentos ricos em proteínas2" e "Anabolizantes".

Por que usar a Whey Protein (Proteína do soro1)?

O suplemento de Whey protein tem um alto índice proteico e é ideal para a constituição de massa muscular, devido ao seu valor biológico e ao poder de reabilitação de músculos4 que eventualmente tenham sido lesados. Outra característica que a síntese proteica demonstra é a melhor e mais rápida recuperação em quadros de exercícios excessivos.

A Whey protein pode também ajudar a prevenir o colesterol5 ruim do organismo e a controlar a pressão arterial6. Alguns estudos apontam o suplemento como coadjuvante7 no combate à obesidade8, devido à sua ação no controle da glicose9. Com o uso da Whey protein durante a prática de atividades físicas, as fibras dos músculos4 se tornam mais fortes e maiores, isto é, elas ganham massa.

A Whey protein possui uma grande quantidade de glutamina e outros aminoácidos essenciais para o corpo, sem acréscimo de gordura10 e colesterol5 no organismo. Por essas qualidades, ela é frequentemente usada por aqueles que desejam fazer uma modelagem muscular ativa.

Saiba mais sobre "Reduzir LDL colesterol11", "Dieta que reduz a pressão arterial6", "Obesidade8" e "Atividade física".

Como usar a Whey Protein (Proteína do soro1)?

A quantidade de Whey protein que deve ser consumida é variável e dependente da necessidade de cada indivíduo. O ideal é consultar um profissional qualificado que irá determinar a quantidade necessária, conforme o resultado dos testes e exames. Sem isso, o método mais utilizado é usar de 1 grama12 a 1,5 grama12 por quilo de peso.

Normalmente, o uso correto do suplemento de Whey protein não oferece riscos à saúde13. Contudo, o uso em doses exageradas pode acarretar problemas renais. Os rins14 trabalham eliminando produtos do metabolismo15 das proteínas2, como a ureia16, amônia e resíduos nitrogenados. Quando o consumo de proteínas2 é elevado, os rins14 ficam sobrecarregados e não conseguem trabalhar com sua capacidade normal, o que poderá causar problemas graves neste órgão.

O suplemento de Whey protein pode ser combinado com outros tipos de suplementos alimentares. Quando ingerido juntamente com a glutamina, por exemplo, ele auxilia no crescimento celular. Aminoácidos essenciais também podem ser consumidos juntamente com a Whey protein, oferecendo melhoras na recuperação muscular, diminuição da fadiga17, fortalecimento no sistema imunológico18 e diminuição e recuperação de micro lesões19.

Qual é o mecanismo fisiológico20 da Whey Protein (Proteína do soro1)?

Durante a prática de atividades físicas, principalmente as que exigem muito esforço, as fibras dos músculos4 sofrem um desgaste devido ao processo catabólico a que são submetidas. Com o uso da Whey protein, as fibras musculares21 se tornam mais fortes e maiores, isto é, ganham massa.

Uma das vantagens de usar a Whey protein é que ela fornece mais aminoácidos essenciais para o corpo. A literatura científica refere-se à Whey protein como excelente fonte de proteína, devido a seu perfil de aminoácidos e seu poder para formação de massa muscular. Os aminoácidos encontrados em sua composição possuem a capacidade de produzirem energia, sem o uso de carboidratos.

Quem deve usar a Whey Protein (Proteína do soro1)?

As proteínas2 são as principais responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento muscular. A Whey protein, portanto, é indicada para aquelas pessoas que desejam adquirir massa muscular, por possuir alto índice de valor proteico, ideal para essa constituição de massa, e também devido ao seu valor biológico e ao poder de reabilitação muscular que proporciona aos que praticam exercícios físicos.

Leia sobre "Pilates", "Treinamento funcional" e "Musculação para idosos".

 

ABCMED, 2018. Whey Protein (Proteína do Soro) - O que é? Quem deve usar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/vida-saudavel/1317708/whey-protein-proteina-do-soro-o-que-e-quem-deve-usar.htm>. Acesso em: 16 jul. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
2 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
3 Tecido Adiposo: Tecido conjuntivo especializado composto por células gordurosas (ADIPÓCITOS). É o local de armazenamento de GORDURAS, geralmente na forma de TRIGLICERÍDEOS. Em mamíferos, existem dois tipos de tecido adiposo, a GORDURA BRANCA e a GORDURA MARROM. Suas distribuições relativas variam em diferentes espécies sendo que a maioria do tecido adiposo compreende o do tipo branco.
4 Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.
5 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
6 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
7 Coadjuvante: Que ou o que coadjuva, auxilia ou concorre para um objetivo comum.
8 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
9 Glicose: Uma das formas mais simples de açúcar.
10 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
11 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
12 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
13 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
14 Rins: Órgãos em forma de feijão que filtram o sangue e formam a urina. Os rins são localizados na região posterior do abdômen, um de cada lado da coluna vertebral.
15 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
16 Ureia: 1. Resíduo tóxico produzido pelo organismo, resulta da quebra de proteínas pelo fígado. É normalmente removida do organismo pelos rins e excretada na urina. 2. Substância azotada. Composto orgânico cristalino, incolor, de fórmula CO(NH2)2 (ou CH4N2O), com um ponto de fusão de 132,7 °C.
17 Fadiga: 1. Sensação de enfraquecimento resultante de esforço físico. 2. Trabalho cansativo. 3. Redução gradual da resistência de um material ou da sensibilidade de um equipamento devido ao uso continuado.
18 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
19 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
20 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
21 Fibras Musculares: Células grandes, multinucleadas e individuais (cilídricas ou prismáticas) que formam a unidade básica do tecido muscular esquelético. Constituídas por uma substância mole contrátil, revestida por uma bainha tubular. Derivam da união de MIOBLASTOS ESQUELÉTICOS com o sincício, seguida de diferenciação.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Medicina Esportiva?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.