Gostou do artigo? Compartilhe!

Edema de Quincke: o que é isso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é edema1 de Quincke?

O edema1 de Quincke, chamado também de angioedema2, edema angioneurótico3 ou urticária4 gigante, é uma desordem caracterizada por um edema1 (inchaço5) do tecido subcutâneo6, que afeta preferencialmente os tecidos moles do organismo (lábios, pálpebras7, genitália8, língua9, laringe10, etc.), embora possa acontecer em qualquer parte do corpo. Surge inesperadamente afetando os tecidos subcutâneos, as mucosas11, podendo afetar a laringe10 e causar uma asfixia12 grave, o que constitui uma urgência13 que necessita tratamento imediato. O nome dessa condição foi dado em homenagem ao médico alemão Heinrich Quincke, quem primeiro a descreveu, em 1882.

Quais são as causas do edema1 de Quincke?

O edema1 de Quincke é uma forma de urticária4 associada a um edema1. Ele está associado à alergia14 alimentar, medicamentosa ou a uma sensibilização aos venenos dos himenópteros (abelha, vespa, zangão, etc.), à urticária4, à anafilaxia15 e à doença do soro16. Durante essa reação alérgica17, a histamina18 é liberada na corrente sanguínea, causando muitos dos sintomas19 próprios da situação. O angioedema2 também pode ser hereditário, sendo, nessa condição, uma desordem autossômica20 dominante. Muitas vezes, a causa do angioedema2 nunca é descoberta. 

Quais são os principais sinais21 e sintomas19 do edema1 de Quincke? 

O sinal22 mais notável do edema1 de Quincke é presença de um edema1 localizado, de aparição abrupta, relacionado a alguns dos fatores causais ou mesmo surgindo espontaneamente. Um exame físico pode revelar sons anormais à ausculta23 pulmonar, durante a respiração.

Como o médico diagnostica o edema1 de Quincke?

O diagnóstico24 do edema1 de Quincke deve ser feito a partir da história clínica do paciente e pela observação direta do edema1. Esse edema1 geralmente ocorre ao redor dos olhos25 e dos lábios e pode ou não ser doloroso, mas também pode se manifestar nas mãos26, pés e garganta27. Raramente o médico sentirá necessidade de realizar exames de sangue28 ou testes de alergia14.

Como o médico trata o edema1 de Quincke?

Os casos leves não precisam de tratamento, mas os casos graves representam uma situação de emergência29. Compressas geladas ou úmidas podem ajudar a aliviar a dor, quando ela existe. Os casos moderados podem ser tratados por meio de medicamentos, entre os quais estão os anti-histamínicos, anti-inflamatórios, epinefrina e broncodilatadores30.

Como evolui o edema1 de Quincke?

O angioedema2 que não causa dificuldades respiratórias não representa problema maior que um desconforto local e um incômodo estético.

Se a pessoa apresentar dificuldades de respirar, deve procurar ajuda médica urgentemente, pois talvez precise que um tubo seja inserido em sua garganta27 para manter as vias respiratórias abertas, procedimento que precisa preferencialmente ser realizado em um hospital.

Quais são as complicações possíveis do edema1 de Quincke?

O edema1 de Quincke pode levar a uma asfixia12 grave e, eventualmente, à morte. 

ABCMED, 2014. Edema de Quincke: o que é isso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/534294/edema-de-quincke-o-que-e-isso.htm>. Acesso em: 20 out. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
2 Angioedema: Caracteriza-se por áreas circunscritas de edema indolor e não-pruriginoso decorrente de aumento da permeabilidade vascular. Os locais mais acometidos são a cabeça e o pescoço, incluindo os lábios, assoalho da boca, língua e laringe, mas o edema pode acometer qualquer parte do corpo. Nos casos mais avançados, o angioedema pode causar obstrução das vias aéreas. A complicação mais grave é o inchaço na garganta (edema de glote).
3 Edema angioneurótico: Ataques recidivantes de edema transitório que aparecem subitamente em áreas da pele, membranas mucosas e ocasionalmente nas vísceras, geralmente associadas com dermatografismo, urticária, eritema e púrpura.
4 Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
5 Inchaço: Inchação, edema.
6 Tecido Subcutâneo: Tecido conectivo frouxo (localizado sob a DERME), que liga a PELE fracamente aos tecidos subjacentes. Pode conter uma camada (pad) de ADIPÓCITOS, que varia em número e tamanho, conforme a área do corpo e o estado nutricional, respectivamente.
7 Pálpebras:
8 Genitália: Órgãos externos e internos relacionados com a reprodução. Sinônimos: Órgãos Sexuais Acessórios; Órgãos Genitais; Órgãos Acessórios Sexuais
9 Língua:
10 Laringe: É um órgão fibromuscular, situado entre a traqueia e a base da língua que permite a passagem de ar para a traquéia. Consiste em uma série de cartilagens, como a tiroide, a cricóide e a epiglote e três pares de cartilagens: aritnoide, corniculada e cuneiforme, todas elas revestidas de membrana mucosa que são movidas pelos músculos da laringe. As dobras da membrana mucosa dão origem às pregas vocais.
11 Mucosas: Tipo de membranas, umidificadas por secreções glandulares, que recobrem cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
12 Asfixia: 1. Dificuldade ou impossibilidade de respirar, que pode levar à anóxia. Ela pode ser causada por estrangulamento, afogamento, inalação de gases tóxicos, obstruções mecânicas ou infecciosas das vias aéreas superiores, etc. 2. No sentido figurado, significa sujeição à tirania; opressão e/ou cobrança de posições morais ou sociais que dão origem à privação de certas liberdades.
13 Urgência: 1. Necessidade que requer solução imediata; pressa. 2. Situação crítica ou muito grave que tem prioridade sobre outras; emergência.
14 Alergia: Reação inflamatória anormal, perante substâncias (alérgenos) que habitualmente não deveriam produzi-la. Entre estas substâncias encontram-se poeiras ambientais, medicamentos, alimentos etc.
15 Anafilaxia: É um tipo de reação alérgica sistêmica aguda. Esta reação ocorre quando a pessoa foi sensibilizada (ou seja, quando o sistema imune foi condicionado a reconhecer uma substância como uma ameaça ao organismo). Na segunda exposição ou nas exposições subseqüentes, ocorre uma reação alérgica. Essa reação é repentina, grave e abrange o corpo todo. O sistema imune libera anticorpos. Os tecidos liberam histamina e outras substâncias. Esse mecanismo causa contrações musculares, constrição das vias respiratórias, dificuldade respiratória, dor abdominal, cãimbras, vômitos e diarréia. A histamina leva à dilatação dos vasos sangüíneos (que abaixa a pressão sangüínea) e o vazamento de líquidos da corrente sangüínea para os tecidos (que reduzem o volume de sangue) o que provoca o choque. Ocorrem com freqüência a urticária e o angioedema - este angioedema pode resultar na obstrução das vias respiratórias. Uma anafilaxia prolongada pode causar arritmia cardíaca.
16 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
17 Reação alérgica: Sensibilidade a uma substância específica, chamada de alérgeno, com a qual se entra em contato por meio da pele, pulmões, deglutição ou injeções.
18 Histamina: Em fisiologia, é uma amina formada a partir do aminoácido histidina e liberada pelas células do sistema imunológico durante reações alérgicas, causando dilatação e maior permeabilidade de pequenos vasos sanguíneos. Ela é a substância responsável pelos sintomas de edema e irritação presentes em alergias.
19 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
20 Autossômica: 1. Referente a autossomo, ou seja, ao cromossomo que não participa da determinação do sexo; eucromossomo. 2. Cujo gene está localizado em um dos autossomos (diz-se da herança de características). As doenças gênicas podem ser classificadas segundo o seu padrão de herança genética em: autossômica dominante (só basta um alelo afetado para que se manifeste a afecção), autossômica recessiva (são necessários dois alelos com mutação para que se manifeste a afecção), ligada ao cromossomo sexual X e as de herança mitocondrial (necessariamente herdadas da mãe).
21 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
22 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
23 Ausculta: Ato de escutar os ruídos internos do organismo, para controlar o funcionamento de um órgão ou perceber uma anomalia; auscultação.
24 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
25 Olhos:
26 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
27 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
28 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
29 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
30 Broncodilatadores: São substâncias farmacologicamente ativas que promovem a dilatação dos brônquios.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Alergia e Imunologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.