Atalho: 6LMNST0
Gostou do artigo? Compartilhe!

Você sabe o que é alopecia areata?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é a alopecia areata1?

A alopecia areata1 (conhecida vulgarmente como “pelada”) é uma doença de causa desconhecida que se caracteriza pela repentina redução ou ausência de pelos ou cabelos em uma determinada área do corpo, geralmente o couro cabeludo. Ela tem evolução progressiva e resolução geralmente espontânea, sem alterações da pele2. A alopecia areata1 costuma apresentar-se em forma de círculos no couro cabeludo, mas também pode afetar outras regiões do corpo. Acomete por igual homens e mulheres de qualquer idade e pode apresentar recaída.

Nas mulheres este tipo de alopecia3 só aparece na parte dianteira do couro cabeludo e, salvo raras ocasiões, não deixa a cabeleira totalmente vazia.

Quais são as causas da alopecia areata1?

A causa final da alopecia areata1 ainda é desconhecida, mas entre as possíveis causas, estão a predisposição genética e fatores desencadeantes como o estresse emocional e os processos imunológicos. Muitas vezes quem tem alopecia3 tem também outras doenças autoimunes4, como alterações na tireoide5 ou vitiligo6. Muitos pacientes associam a crise de alopecia3 a algum evento estressante ocorrido pouco antes.

Há alguns poucos casos de bebês7 que nascem com alopécia3 (alopécia3 areata congênita8).

Quais são os sinais9 e sintomas10 da alopecia areata1?

A alopecia areata1 incide em cerca de 1% a 2% da população, afetando todos os grupos raciais e podendo surgir em qualquer idade, embora em 60% dos casos ocorram abaixo dos 20 anos. A doença geralmente é assintomática e se caracteriza pela queda repentina de pelos ou cabelos, formando círculos de falta de cabelos ("pelada"). Normalmente, não se constata quaisquer alterações locais da pele2. Pode atingir tanto o couro cabeludo como também a barba, supercílios, cílios11 ou qualquer outra região pilosa. A "pelada" pode curar-se espontaneamente ou tornar-se crônica e evoluir para alopecia3 universal. Novo nascimento de pelos pode ocorrer totalmente e, em algumas vezes, os pelos nascem brancos e se pigmentam novamente. É frequente ocorrer recidiva12 das lesões13.

Como o médico diagnostica a alopecia areata1?

O diagnóstico14 da alopecia areata1 é feito pelo exame das áreas onde existe perda de cabelo15. Para encontrar mais pistas, o dermatologista pode arrancar o cabelo15 próximo à área calva para sentir sua resistência e procurar anormalidades estruturais em sua raiz ou caule. Pode também fazer uma biópsia16 de pele2 para ser examinada em laboratório.

Como o médico trata a alopecia areata1?

Ainda não existe uma cura definitiva para esta doença, mas há maneiras de estimular o crescimento de cabelo15 novo:

  • Cremes ou injeções de cortisona aplicados sobre as áreas de calvície17.
  • Imunoterapia, para neutralizar o ataque do sistema imunológico18.
  • Medicações tópicas que aumentam o crescimento de cabelos.
  • Fototerapia (exposição controlada da pele2 afetada pelos raios ultravioletas).
  • Nos casos graves, uso de corticoides orais ou (mais raramente) intravenosos.

O tratamento não é obrigatório, porque a condição é benigna e tende a regredir espontaneamente.

Como prevenir a alopecia areata1?

Não há como prevenir a alopecia areata1, apenas como diminuir seus efeitos.

Como evolui a alopecia areata1?

Os folículos pilosos continuam vivos na área que ficou calva. Assim, existe a possibilidade de um novo crescimento de fios de cabelo15, sem tratamento algum.

Na maioria das vezes, o cabelo15 volta a crescer num prazo de 6 a 12 meses, embora o problema possa ocorrer novamente.

ABCMED, 2012. Você sabe o que é alopecia areata?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/315000/voce-sabe-o-que-e-alopecia-areata.htm>. Acesso em: 17 out. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Alopecia areata: Doença de causa desconhecida, que atinge igualmente homens e mulheres, caracterizando-se pela queda repentina dos pêlos nas áreas afetadas, sem alteração da superfície cutânea. Entre as possíveis causas estão uma predisposição genética que seria estimulada por fatores como o estresse emocional e fenômenos autoimunes. É uma perda de cabelo localizada em áreas bem delimitadas, arredondadas ou ovais, do couro cabeludo ou de outras partes do corpo. Pode surgir em qualquer idade, embora 60% dos seus portadores tenham menos de 20 anos.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Alopécia: Redução parcial ou total de pêlos ou cabelos em uma determinada área de pele. Ela apresenta várias causas, podendo ter evolução progressiva, resolução espontânea ou ser controlada com tratamento médico. Quando afeta todos os pêlos do corpo, é chamada de alopécia universal.
4 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
5 Tireoide: Glândula endócrina altamente vascularizada, constituída por dois lobos (um em cada lado da TRAQUÉIA) unidos por um feixe de tecido delgado. Secreta os HORMÔNIOS TIREOIDIANOS (produzidos pelas células foliculares) e CALCITONINA (produzida pelas células para-foliculares), que regulam o metabolismo e o nível de CÁLCIO no sangue, respectivamente.
6 Vitiligo: Doença benigna da pele, caracterizada pela ausência de pigmentação normal nas regiões afetadas, frequentemente face e mãos. Hoje já há tratamento, porém este é demorado e com resultados variáveis de pessoa para pessoa. CÓDIGO INTERNACIONAL DE DOENÇAS (CID): L80- VITILIGO.
7 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
11 Cílios: Populações de processos móveis e delgados que são encontrados revestindo a superfície dos ciliados (CILIÓFOROS) ou a superfície livre das células e que constroem o EPITÉLIO ciliado. Cada cílio nasce de um grânulo básico na camada superficial do CITOPLASMA. O movimento dos cílios propele os ciliados através do líquido no qual vivem. O movimento dos cílios em um epitélio ciliado serve para propelir uma camada superficial de muco ou fluido.
12 Recidiva: 1. Em medicina, é o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo; recorrência. 2. Em direito penal, significa recaída na mesma falta, no mesmo crime; reincidência.
13 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
15 Cabelo: Estrutura filamentosa formada por uma haste que se projeta para a superfície da PELE a partir de uma raiz (mais macia que a haste) e se aloja na cavidade de um FOLÍCULO PILOSO. É encontrado em muitas áreas do corpo.
16 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
17 Calvície: Também chamada de alopécia androgenética é uma manifestação fisiológica que ocorre em indivíduos geneticamente predispostos, sendo que a herança genética pode vir do lado paterno ou materno. É resultado da estimulação dos folículos pilosos por hormônios masculinos que começam a ser produzidos na adolescência (testosterona). Ao atingir o couro cabeludo de pacientes com tendência genética para a calvície, a testosterona sofre a ação de uma enzima, a 5-alfa-redutase, e é transformada em diidrotestosterona (DHT). É a DHT que vai agir sobre os folículos pilosos promovendo a sua diminuição progressiva. O resultado final deste processo de diminuição e afinamento dos fios de cabelo é a calvície.
18 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Dermatologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

02/09/2013 - Comentário feito por Liza
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Tenho 51 anos e sempre fui SUPER vaidosa. Há 10 dias, após lavar os cabelos, estava me penteando em frente ao espelho do banheiro e vi uma falha do tamanho de uma moeda de R$1,00 bem no alto, meio para o lado direito, da cabeça. Depois pedi à minha filha para verificar minha cabeça e há várias delas. Não entendo como não notei quando caiu.Na hora soube que era alopecia areata porque minha tia, irmã de minha mãe, teve isto quando eu era pequena (tinha cerca de 6 anos) e me lembro perfeitamente dela chorando, falando sobre o assunto, usando apliques e perucas (naquela época, 1968, era comum a utilização de perucas apenas para variar de look) e meu avô dizendo que já gastara uma fortuna com tratamentos e médicos caríssimos sem resultado. Ocorreu após a tumultuada separação dela. Coincidentemente, estou no meio de um divorcio litigioso e inesperado com um stress contínuo há 3 anos seguidos. Marquei dermatologista para o dia seguinte e estou usando shampoo feito em farmácia de manipulação, therapsor e minoxidil 2%. Já li que, uma vez instalada, a doença não tem cura e pode voltar outras vezes. A da minha tia durou anos, mas depois nunca mais voltou. Se alguém quiser entrar em contato para conversar, trocar idéias, etc. terei prazer . Quanto à menção à GATOS E CÃES NÃO PROCEDE. Sempre tive gatos e cachorros, minha tia nunca teve e os médicos dizem que não tem nenhuma relação. Tenho 3 cachorras, uma gata e um gato. Não tem nada a ver, com ABSOLUTA CERTEZA. Boa sorte para todos nós.

03/08/2013 - Comentário feito por Mônica
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Eu tenho alopécia areata há 7 anos. Doença difícil que acomete principalmente a condição psicológica desencadeando processo de depressão também, principalmente em mulheres. Tenho usado próteses capilares que são perfeitas, as pessoas só sabem que não tenho cabelos se eu disser, e isto ajuda bastante no manejo do emocional. Semana passada raspei a cabeça para retirar os ultimos cabelinhos e me sentir melhor com minha aparência. Hoje fui à praia sem prótese, entrei na água e foi uma delícia! Tudo está na mente... se você está bem, não importa como os outros te olham... :) Enfim, cada um encontra seu jeito de lidar com a falta de cabelos!

01/08/2013 - Comentário feito por Liana
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Eu tenho 46 anos, e tenho alopecia areata desde dos 30 anos. meu cabelo ta começando a nascer de novo. eu gostaria de conhecer. falar com pessoas que também tenham essa doença.

15/07/2013 - Comentário feito por Bruna
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Eu tenho 20 anos e tive alopecia aos 17 e voltou... do nada eu estava super bem sem estress... derepente estava com uma falha do tamanho de uma tampa , alguém sabe se uma vez que tem essa doença terá pra sempre?
Eu tinha feito o tratamento aos 17 com injeções direto no couro cabeludo, vitaminas receitada pelo dermatologista e shampoo especial feito com receita médica e meu cabelo cresceu agora estou com essa doença denovo e não sei mais por onde começar faz 3 dias que percebi a falha !

13/07/2013 - Comentário feito por Paulo
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Tive a mesma doença com 17 anos e hoje com 27 apareceu novamente.

03/07/2013 - Comentário feito por Marta
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Fui no dermatologista assim que eu descobri, ele me passou uma fórmula para ser passada no local aonde estão as falhas arredondadas e também e deu uma vitamina, e disse pra eu não me preocupar porque isso passa e era por causa do stress, mas meu cabelo ainda cai bastante, realmente passei por um período muito agitado acho que foi isso que desencadeou todo esse processo. Mas vale a pena ir ao dermatologista e não se desesperar.Quem está com problemas de calvice dê uma olhada em folhas de amora segundo o Sr. Miura ele era total/e calvo e usou as folhas de amora e hj ele tem cabelos por toda a cabeça.

14/05/2013 - Comentário feito por denise
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
fui na minha cabeleireira e ela me disse que eu poderia estar com essa doença..pediu que eu ficasse a tenta pois pode também ser resultado da química, se continuar a queda do cabelo ela me orientou procurar um medico, mas hoje uma senhora que eu conheço me disse que isso tem a ver com uma doença transmitida por gato ou cachorro, fiquei assustada pois tenho duas filhas e elas são apaixonadas pelo pelo gato delas... agora fique confusa....

30/04/2013 - Comentário feito por G.
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
Eu descobri que tenho A.A. a alguns meses. Estou fazendo tratamento com pantogar e o xampu Pilexil. Estou no segundo mês. Há uma placa no meu cabelo que está com uns fios brancos, tortos e bem finos. Ao todo o meu cabelo ainda cai bastante na hora de lavá-los. Também noto uma queda nas minhas sobrancelhas e cílios além de possuir uma placa na área da barba.

O que eu sei é que eu poderei até perder tudo, mas tenho fé que vou recuperar cada fio, pois como a própria ciência já afirmou, o poder da vontade em ação é muito forte. Não é por acaso que se verifica um maior número de recuperação em pessoas otimistas. E eu sou otimista e tenho muita vontade de ficar bom. Estudo sempre sobre a alopécia, faço o tratamento direitinho além de tomar medidas que me ajudam a ter uma vida mais saudável.

Estou disposto a conversar com quem quiser falar sobre isso. Podem me escrever que eu responderei. Vamos trocar idéias e nos ajudar mutuamente.

18/12/2012 - Comentário feito por mary
Re: Você sabe o que é alopecia areata?
eu ja passei por isso perdi 60% do cabelo depois de 1 ano meu cabelo ja creceu.

  • Entrar
  • Receber conteúdos