Atalho: 6EQJ63G
Gostou do artigo? Compartilhe!

Flatulência ou excesso de gases. Tem como controlar?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é flatulência?

A flatulência é a eliminação, pelo ânus1, de gases engolidos pelo indivíduo ou produzidos por ele no processo fisiológico2 da digestão3 e que não tenham sido eliminados pela eructação4 (arroto). Geralmente esses gases possuem odor fétido e desagradável, mas podem ser de pouco ou nenhum odor.

A flatulência e a eructação4 são fenômenos fisiológicos normais a todas as pessoas e inevitáveis.

O metabolismo5 individual produz diariamente grande quantidade de gases, mas essa quantidade pode estar aumentada nas pessoas ansiosas, nas que comem rapidamente, naquelas que falam muito durante as refeições ou nas que sofrem de determinadas doenças como a colite6, a dispepsia7, a prisão de ventre, etc.

Estima-se que cada pessoa produza e expulse 1,5 litros de gases em cerca de 20 ocasiões a cada dia. A retenção de gases causa acúmulo dos mesmos no intestino, levando à distensão abdominal e mal-estar, mas a eliminação deles, principalmente se ruidosa, em geral causa constrangimento.

A maior parte dos gases intestinais resulta da fermentação de carboidrato8 pelas bactérias residentes no intestino (flora bacteriana intestinal).

Como controlar a flatulência?

Há certas condições que podem diminuir ou aumentar a flatulência. Eliminar a flatulência é impossível. A palavra-chave para controlá-la é alimentação.

Aumentam a flatulência:

  • Leguminosas como feijão, ervilhas, lentilhas, soja, etc.
  • Batata doce, cebola, rabanete, aipo, berinjela, germe9 de trigo, repolho, brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas, etc.
  • Intolerância à lactose10 ou ao glúten11.
  • Comidas ou sucos adoçados com açúcar12 ou adoçantes artificiais (sorbitol13, manitol e xilitol, por exemplo).
  • Consumo excessivo de frutas açucaradas como uva passa, bananas, maçãs e seus sucos.
  • Engolir a comida sem mastigá-la direito e às pressas.
  • Falar durante as refeições.
  • Consumir bebidas gaseificadas.

Diminuem a flatulência:

  • Tomar bastante líquido.
  • Alimentos ricos em fibras e frutas com casca: as fibras ajudam no bom funcionamento do intestino, mas quando consumidas em excesso podem causar gases ou atrapalhar a digestão3. O consumo de fibras deve ser sempre acompanhado de uma adequada ingestão de líquidos.
  • Comer lentamente.
  • Não fumar.
  • Caminhar após as refeições, mas com a boca14 fechada.

Como é o tratamento das flatulências?

Os tratamentos visam diminuir, não eliminar a flatulência. Os medicamentos sintomáticos tradicionalmente usados não têm efeito ou seus resultados são mínimos.

Alguns remédios caseiros que têm alguma eficácia são: suco de agrião, de cenoura ou chá de alecrim ou erva doce. Quando há uma condição causal identificável de aumento da flatulência (doença ou não) ela deve ser removida ou tratada. Para isso um médico deve ser consultado.

ABCMED, 2012. Flatulência ou excesso de gases. Tem como controlar?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/293995/flatulencia-ou-excesso-de-gases-tem-como-controlar.htm>. Acesso em: 16 nov. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Ânus: Segmento terminal do INTESTINO GROSSO, começando na ampola do RETO e terminando no ânus.
2 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Digestão: Dá-se este nome a todo o conjunto de processos enzimáticos, motores e de transporte através dos quais os alimentos são degradados a compostos mais simples para permitir sua melhor absorção.
4 Eructação: Ato de eructar, arroto.
5 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
6 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
7 Dispepsia: Dor ou mal-estar localizado no abdome superior. O mal-estar pode caracterizar-se por saciedade precoce, sensação de plenitude, distensão ou náuseas. A dispepsia pode ser intermitente ou contínua, podendo estar relacionada com os alimentos.
8 Carboidrato: Um dos três tipos de nutrientes dos alimentos, é um macronutriente. Os alimentos que possuem carboidratos são: amido, açúcar, frutas, vegetais e derivados do leite.
9 Germe: Organismo microscópico (vírus, bactérias, parasitas unicelulares, fungos) capaz de produzir doenças no homem e outros animais.
10 Lactose: Tipo de glicídio que possui ligação glicosídica. É o açúcar encontrado no leite e seus derivados. A lactose é formada por dois carboidratos menores, chamados monossacarídeos, a glicose e a galactose, sendo, portanto, um dissacarídeo.
11 Glúten: Substância viscosa, extraída de cereais, depois de eliminado o amido. É uma proteína composta pela mistura das proteínas gliadina e glutenina.
12 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
13 Sorbitol: Adoçante com quatro calorias por grama. Substância produzida pelo organismo em pessoas com diabetes e que pode causar danos aos olhos e nervos.
14 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Gastroenterologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.