Gostou do artigo? Compartilhe!

O uso de máscaras durante a pandemia de COVID-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

A COVID-19 é uma doença infecciosa causada por um novo coronavírus (SARS-CoV-2) que pode ser transmitida por gotículas respiratórias. Atualmente o mundo vive uma pandemia1 dessa doença. Veja a seguir orientações sobre o uso de máscaras para limitar a propagação da COVID-19 e confira o infográfico no final do texto.

Por que devo considerar usar uma máscara facial?

Estudos recentes sugerem que a COVID-19 pode ser transmitida por pessoas infectadas mesmo na ausência de sintomas2 da doença. Embora o distanciamento social e a boa higiene das mãos3 sejam os métodos mais importantes para impedir a transmissão do vírus4, novas diretrizes afirmam que indivíduos saudáveis ​​podem considerar o uso de máscaras em ambientes públicos, principalmente quando o distanciamento físico é difícil (como em supermercados ou farmácias).

Os principais benefícios do uso de uma máscara incluem limitar a propagação do vírus4 de alguém que sabe ou não sabe que está infectado. As máscaras também lembram aos outros que continuem praticando o distanciamento físico.

No entanto, máscaras não médicas podem não ser eficazes na prevenção de infecções5 por quem as usa. As máscaras não devem ser usadas por crianças menores de 2 anos ou por indivíduos que não conseguem remover a máscara sozinhos ou inconscientes.

Que tipo de máscara facial posso usar?

A menos que você esteja doente, seja um profissional de saúde6 ou alguém que tenha COVID-19, máscaras médicas (incluindo máscaras cirúrgicas e N95) não são recomendadas. Devido à escassez, as máscaras médicas devem ser priorizadas para os profissionais de saúde6 que prestam atendimento aos pacientes.

Revestimentos para o rosto de pano podem ser feitos com itens domésticos, como 2 camadas de tecido7 de algodão, camisetas, bandanas ou lençóis. As máscaras devem ser presas com elásticos ou laços. Qualquer que seja o material da máscara, ela deve se encaixar bem e cobrir o nariz8 e a boca9. A máscara não deve restringir a capacidade do usuário de respirar.

Como uso uma máscara facial?

Antes de colocar uma máscara facial, lave as mãos3 com água e sabão por pelo menos 20 segundos ou use um desinfetante para as mãos3 à base de álcool (com pelo menos 60% de álcool). Sem tocar na frente da máscara, prenda os laços ou elásticos atrás das orelhas10 ou da cabeça11. Enquanto estiver usando a máscara, não toque na máscara ou em seu rosto.

Antes de remover a máscara, lave bem as mãos3 com água e sabão por pelo menos 20 segundos ou passe álcool em gel nas mãos3 até a altura dos punhos. Ao remover a máscara, retire os laços ou o elástico primeiro. Não toque na frente da máscara ou no seu rosto ao remover a máscara. Após remover a máscara, lave novamente as mãos3 com água e sabão por pelo menos 20 segundos (ou use um desinfetante para as mãos3).

As máscaras faciais devem ser lavadas rotineiramente com água e sabão ou detergente para roupas para evitar contaminação. Usar uma máscara em público sempre deve ser acompanhado de manter-se a pelo menos 2 metros de distância dos outros e praticando uma boa higiene das mãos3.

Leia sobre "Isolamento social", "Coronavírus - como é?" e "COVID-19 no Brasil".

COVID-19 e uso de máscaras

 

Referncias:

As informações veiculadas neste texto foram extraídas do site do JAMA - Journal of the American Medical Association.

ABCMED, 2020. O uso de máscaras durante a pandemia de COVID-19. Disponvel em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1365783/o-uso-de-mascaras-durante-a-pandemia-de-covid-19.htm>. Acesso em: 3 ago. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima so dirigidas principalmente aos leigos em medicina e tm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e no visam substituir as orientaes do mdico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas no devem ser utilizadas para autodiagnstico ou automedicao nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor cientfico.

Complementos

1 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Mãos: Articulação entre os ossos do metacarpo e as falanges.
4 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
8 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
9 Boca: Cavidade oral ovalada (localizada no ápice do trato digestivo) composta de duas partes
10 Orelhas: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes
11 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dvida sobre Infectologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta ser enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dvidas j respondidas.