Gostou do artigo? Compartilhe!

O que saber sobre o angioma cavernoso?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é angioma1 cavernoso?

O angioma1 cavernoso, também conhecido como malformação2 cavernosa, hemangioma cavernoso, cavernoma ou malformação2 arteriovenosa criptogênica3 é uma condição congênita4 relativamente rara (0,5 a 0,7% da população) de lesões5 vasculares6 que acontecem no cérebro7 ou na medula espinhal8, com aspecto arredondado ou em cachos, formadas a partir de uma anomalia que acontece com pequenos vasos do tecido nervoso9 e que, na maioria das pessoas acometidas, parece surgir de forma congênita4.

O angioma1 cavernoso pode estar localizado no encéfalo10 (cérebro7 e cerebelo11), medula espinhal8 e nervos cranianos. Cerca de 18,7% desses pacientes apresentam lesões5 múltiplas.

Quais são as causas do angioma1 cavernoso?

Acredita-se que na maioria das vezes as lesões5 do angioma1 cavernoso sejam congênitas12, no entanto, sabe-se que podem aparecer depois do nascimento, especialmente em casos de irradiação cerebral. Nos casos de angiomas cavernosos múltiplos (16 a 33% dos casos) há uma grande associação com a herança familiar.

Quais são as características clínicas do angioma1 cavernoso?

Os angiomas cavernosos constituem de 10 a 15% de todas as malformações13 vasculares6 do sistema nervoso14. Estima-se que a frequência seja de cerca de 0,4-0,5% na população geral (1 pessoa a cada 200) e com um provável grande número de portadores sem sintomas15. Cerca de 11% das lesões5 não são sintomáticas. Os sintomas15 incluem três principais tipos de manifestação clínica:

  1. Convulsões.
  2. Dores de cabeça16 e dano neurológico progressivo.
  3. Hemorragia17 ou compressão do tecido18 cerebral com os danos neurológicos correspondentes (fraqueza, entorpecimento, visão19 dupla, distúrbios visuais ou dificuldades de linguagem, etc).

O enovelado de vasos sanguíneos20 dilatados constituem um tumor21 benigno. Por causa dessa malformação2, o fluxo sanguíneo através desses vasos é lentificado; as células22 que formam os vasos não formam junções com as células22 circundantes e o suporte estrutural do músculo liso23 é dificultado, causando vazamento no tecido18 circundante. Este vazamento causa uma variedade de sintomas15 associados a esta doença.

Saiba mais sobre "Convulsões", "Dor de cabeça16" e "Hemorragias24".

Como o médico diagnostica o angioma1 cavernoso?

Os angiomas cavernosos apresentam imagens peculiares. A ressonância magnética25 é o melhor exame para identificar lesões5 de angioma1 cavernoso e para programar a cirurgia. Ela mostra pequenas áreas de hemorragias24 novas ou antigas com uma borda ao redor do angioma1 cavernoso.

No entanto, após ocorrer um sangramento agudo26 a identificação do angioma1 torna-se muito mais difícil, porque ele é mascarado pelo inchaço27 associado ao sangramento. A ausência de tecido nervoso9 normal no meio destas lesões5 é o que as diferencia de outras malformações13 como telangiectasias28, malformações13 arteriovenosas e angiomas venosos. Estas lesões5 não são visíveis na angiografia29 cerebral tradicional.

Como o médico trata o angioma1 cavernoso?

Quase todos os pacientes sem sintomas15 devem ser observados, pois eles podem assim permanecer por um tempo indefinido e, se ocorrer uma hemorragia17, será pequena e sem grandes danos neurológicos.

No tratamento conservador, sugere-se acompanhamento clínico e radiológico com ressonância magnética25 a cada 6 meses. O tratamento conservador também deve ser feito se a malformação2 estiver associada com epilepsia30 bem controlada, se o paciente for idoso ou não apresentar condições clínicas para o tratamento cirúrgico, se os angiomas forem múltiplos, se a lesão31 sintomática32 atual não puder ser determinada ou se estiver localizada em região crítica do cérebro7.

As lesões5 sintomáticas devem ser tratadas agressivamente visto o alto índice de recorrência33 e os resultados positivos da cirurgia. A remoção cirúrgica das lesões5 oferece o melhor resultado possível, mas os riscos de hemorragia17, idade do paciente, presença de hemorragias24 anteriores e os sintomas15 do paciente devem ser adequadamente levados em conta.

Leia sobre "Ressonância magnética25", "Telangiectasias28", "Angiografia29" e "Hemangiomas".

Como evolui o angioma1 cavernoso?

As mulheres parecem apresentar maior risco de hemorragia17, principalmente durante a gravidez34 devido às mudanças hormonais. Outro possível fator de risco35 é a idade, com maior probabilidade de sangramento em jovens.

Como prevenir o angioma1 cavernoso?

Não há como prever e prevenir o angioma1 cavernoso, a não ser evitando, quando possível, receber radiações sobre o cérebro7.

 

ABCMED, 2018. O que saber sobre o angioma cavernoso?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1320003/o-que-saber-sobre-o-angioma-cavernoso.htm>. Acesso em: 18 dez. 2018.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Angioma: Tumor benigno derivado dos vasos sangüíneos (hemangioma) ou dos vasos linfáticos (linfangioma). Apesar de benigno pode ser destrutivo localmente, causando, dependendo do tamanho, deformidades e problemas importantes.
2 Malformação: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
3 Criptogênica: 1. De causa indefinida. 2. Doença de caráter desconhecido ou quando todas as causas foram eliminadas, pode-se dizer criptogênica.
4 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
5 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
6 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
8 Medula Espinhal:
9 Tecido Nervoso:
10 Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês
11 Cerebelo: Parte do encéfalo que fica atrás do TRONCO ENCEFÁLICO, na base posterior do crânio (FOSSA CRANIANA POSTERIOR). Também conhecido como “encéfalo pequeno“, com convoluções semelhantes àquelas do CÓRTEX CEREBRAL, substância branca interna e núcleos cerebelares profundos. Sua função é coordenar movimentos voluntários, manter o equilíbrio e aprender habilidades motoras.
12 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
13 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
14 Sistema nervoso: O sistema nervoso é dividido em sistema nervoso central (SNC) e o sistema nervoso periférico (SNP). O SNC é formado pelo encéfalo e pela medula espinhal e a porção periférica está constituída pelos nervos cranianos e espinhais, pelos gânglios e pelas terminações nervosas.
15 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
16 Cabeça:
17 Hemorragia: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
18 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
19 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
20 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
21 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
22 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
23 Músculo Liso: Um dos músculos dos órgãos internos, vasos sanguíneos, folículos pilosos etc.; os elementos contráteis são alongados, em geral células fusiformes com núcleos de localização central e comprimento de 20 a 200 mü-m, ou ainda maior no útero grávido; embora faltem as estrias traversas, ocorrem miofibrilas espessas e delgadas; encontram-se fibras musculares lisas juntamente com camadas ou feixes de fibras reticulares e, freqüentemente, também são abundantes os ninhos de fibras elásticas. (Stedman, 25ª ed)
24 Hemorragias: Saída de sangue dos vasos sanguíneos ou do coração para o exterior, para o interstício ou para cavidades pré-formadas do organismo.
25 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
26 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
27 Inchaço: Inchação, edema.
28 Telangiectasias: Dilatações permanentes da parede de um pequeno vaso sanguíneo localizado na derme.
29 Angiografia: Método diagnóstico que, através do uso de uma substância de contraste, permite observar a morfologia dos vasos sangüíneos. O contraste é injetado dentro do vaso sangüíneo e o trajeto deste é acompanhado através de radiografias seriadas da área a ser estudada.
30 Epilepsia: Alteração temporária e reversível do funcionamento cerebral, que não tenha sido causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos. Durante alguns segundos ou minutos, uma parte do cérebro emite sinais incorretos, que podem ficar restritos a esse local ou espalhar-se. Quando restritos, a crise será chamada crise epiléptica parcial; quando envolverem os dois hemisférios cerebrais, será uma crise epiléptica generalizada. O paciente pode ter distorções de percepção, movimentos descontrolados de uma parte do corpo, medo repentino, desconforto no estômago, ver ou ouvir de maneira diferente e até perder a consciência - neste caso é chamada de crise complexa. Depois do episódio, enquanto se recupera, a pessoa pode sentir-se confusa e ter déficits de memória. Existem outros tipos de crises epilépticas.
31 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
32 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
33 Recorrência: 1. Retorno, repetição. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
34 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
35 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Cirurgia Vascular?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.