Gostou do artigo? Compartilhe!

Legionelose - quais são os sintomas?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é legionelose?

A legionelose é uma infecção1 pulmonar não contagiosa2 provocada por uma bactéria3 - Legionella pneumophila - que pode existir sob uma forma leve chamada Febre4 de Pontiac ou uma forma mais grave, pneumônica, chamada Doença dos Legionários. O nome da bactéria3 resultou da sua identificação num primeiro surto conhecido, que ocorreu em 1976, numa convenção de antigos legionários (ex-combatentes de guerra) presentes num hotel da Filadélfia, EUA.

Saiba mais sobre "Febre4 de Pontiac" e "Doença dos Legionários".

Quais são as causas da legionelose?

O maior perigo da falta de limpeza nos filtros e ductos de ar refrigerado está no desenvolvimento da bactéria3 Legionella pneumophyla (entre outros microrganismos: fungos, bactérias e leveduras), que pode levar os ocupantes de ambientes climatizados a contraírem doenças respiratórias. Essa bactéria3 normalmente habita dutos de ar-condicionado, torres de refrigeração ou de água e bebedouros e pode causar infecções5 de uma das duas formas clínicas diferentes. O contágio6 da legionelose ocorre, então, pela inalação de gotas de água contendo a Legionella, que se aloja nos alvéolos pulmonares7.

O que é a febre4 de Pontiac?

A febre4 de Pontiac é a forma mais leve da legionelose, manifestando-se por sintomas8 semelhantes aos de uma gripe9 (febre4, calafrios10, mal-estar etc). É causada por uma infeção pela bactéria3 Legionella pneumophila, normalmente encontrada no solo molhado e na água, sendo contraída pela inalação de aerossois de água contaminada, mais frequentemente a partir de chuveiros, banheiras, spas e saunas.

Desconhece-se porque a infecção1 com a Legionella evolui para a febre4 de Pontiac ou para a Doença dos Legionários em cada caso particular. Contudo, como a febre4 de Pontiac é normalmente observada em doentes imunocompetentes, pensa-se que o estado do sistema imunitário11 talvez desempenhe um papel.

Do ponto de vista clínico, a doença de Pontiac apresenta sintomas8 semelhantes aos da gripe9, sem pneumonia12. Em alguns casos, pode haver dor torácica, dispneia13, diarreia14, vômitos15, eritema16 ocular com fotofobia17 e artralgia18. Estes sintomas8 geralmente duram de 2 a 7 dias e os doentes se recuperam sem tratamento. A Febre4 de Pontiac tem um curto período de incubação19 que varia de 30 a 90 horas após a infecção1 e afeta principalmente adultos, mas também pode acometer crianças.

Leia sobre "Gripe9", "Falta de ar", "Diarreia14", "Náuseas20 e vômitos15", "Fotofobia17" e "Artralgia18".

Devido à ligeireza e pouca especificidade dos sintomas8, o diagnóstico21 da febre4 de Pontiac raramente é feito e na maioria das vezes só é realizado retrospectivamente, através da detecção de altos títulos de anticorpos22 para Legionella em amostras de soro23. O diagnóstico21 também pode ser feito através da detecção do antígeno24 da bactéria3 em amostras de urina25. A gripe9 deve ser excluída.

A Fefre de Pontiac se diferencia da Doença dos Legionários por não apresentar o quadro de pneumonia12 próprio desta, em ter um período de incubação19 significativamente menor (24-72 horas contra 2-14 dias), isolamento impossível da bactéria3 e nunhuma letalidade (contra 5 a 30% na Doença dos Legionários).

Nenhum tratamento é necessário para a Febre4 de Pontiac que, em regra, conduz à recuperação total dentro de 2 a 7 dias, enquanto o tratamento deve ser instituído o mais rapidamente possível na Doença dos Legionários.

O que é a doença dos Legionários?

A doença dos Legionários é a forma mais severa da legionelose, originando uma pneumonia12 atípica. Ela também é causada pela bactéria3 Legionella pneumophila, contraída pelas pessoas ao inalar esse microrganismo a partir de fontes ou reservatórios de água. A doença tampouco é transmissível de pessoa a pessoa e nem todo mundo exposto à bactéria3 torna-se doente. Também é mais provável que uma pessoa desenvolva a infecção1 se seu sistema imunológico26 estiver enfraquecido, tiver uma doença pulmonar crônica, for fumante, tiver diabetes27, doença renal28 ou câncer29, sobretudo se tiver 50 anos ou mais de idade.

Enquanto a Febre4 de Pontiac normalmente desaparece por conta própria, a Doença dos Legionários exige tratamento, sem o qual ela pode ser fatal. Ela geralmente se desenvolve de 2 a 10 dias após a exposição à bactéria3 e frequentemente começa com dor de cabeça30, dor muscular, arrepios e febre4 (que pode chegar a 40°C ou mais). No segundo ou terceiro dia, a pessoa pode desenvolver tosse (com ou sem muco e, por vezes, sangue31), falta de ar, dor no peito32, sintomas8 gastrointestinais, como náuseas20, vômitos15 e diarreia14 e confusão ou outras mudanças mentais. Embora a Doença dos Legionários afete principalmente os pulmões33, ocasionalmente pode causar também infecções5 em feridas e em outras partes do corpo, incluindo o coração34.

Leia também sobre "Febre4", "Dor de cabeça30" e "Tosse".

Os recursos para diagnosticá-la são semelhantes aos utilizados para outros tipos de pneumonia12. Para ajudar a identificar a presença de bactérias Legionella rapidamente, o médico pode usar um teste que verifica se a urina25 contém antígenos35 para ela. Além disso, podem ser feitos exames de sangue31, radiografia de tórax36, exame de escarro ou de tecido37 pulmonar. Se o paciente tiver sintomas8 neurológicos, como confusão ou dificuldade de concentração, pode ser feita uma tomografia computadorizada38 ou uma ressonância magnética39 do cérebro40 ou uma punção lombar.

A Doença dos Legionários é tratada com antibióticos. Quanto mais cedo a terapia é iniciada, menos provável a chance de complicações graves ou morte. Em muitos casos, o tratamento requer hospitalização. A prevenção da Doença dos Legionários exige uma limpeza e desinfecção41 meticulosa dos sistemas de água, piscinas e spas. A pessoa deve também evitar fumar, porque o cigarro aumenta as chances de desenvolver a doença.

Embora o tratamento com antibióticos costume curar a doença, algumas pessoas continuam a ter problemas após o tratamento. A Doença dos Legionários pode levar a uma série de complicações com risco de vida, incluindo parada respiratória, choque42 séptico e insuficiência renal43 aguda. Quando não tratada de forma eficaz, ela pode ser fatal (5-30%), especialmente se o sistema imunológico26 estiver debilitado por doenças ou medicamentos.

Veja também sobre "Pneumonia12 em adultos".

 

ABCMED, 2017. Legionelose - quais são os sintomas?. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/1302138/legionelose-quais-sao-os-sintomas.htm>. Acesso em: 18 fev. 2020.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
3 Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
4 Febre: É a elevação da temperatura do corpo acima dos valores normais para o indivíduo. São aceitos como valores de referência indicativos de febre: temperatura axilar ou oral acima de 37,5°C e temperatura retal acima de 38°C. A febre é uma reação do corpo contra patógenos.
5 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Contágio: 1. Em infectologia, é a transmissão de doença de uma pessoa a outra, por contato direto ou indireto. 2. Na história da medicina, aplica-se a qualquer doença contagiosa. 3. No sentido figurado, é a transmissão de características negativas, de vícios, etc. ou então a reprodução involuntária de reação alheia.
7 Alvéolos Pulmonares: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes. DF
8 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
9 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
10 Calafrios: 1. Conjunto de pequenas contrações da pele e dos músculos cutâneos ao longo do corpo, muitas vezes com tremores fortes e palidez, que acompanham uma sensação de frio provocada por baixa temperatura, má condição orgânica ou ainda por medo, horror, nojo, etc. 2. Sensação de frio e tremores fortes, às vezes com bater de dentes, que precedem ou acompanham acessos de febre.
11 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
12 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
13 Dispnéia: Falta de ar ou dificuldade para respirar caracterizada por respiração rápida e curta, geralmente está associada a alguma doença cardíaca ou pulmonar.
14 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
15 Vômitos: São a expulsão ativa do conteúdo gástrico pela boca. Podem ser classificados em: alimentar, fecalóide, biliar, em jato, pós-prandial. Sinônimo de êmese. Os medicamentos que agem neste sintoma são chamados de antieméticos.
16 Eritema: Vermelhidão da pele, difusa ou salpicada, que desaparece à pressão.
17 Fotofobia: Dor ocular ou cefaléia produzida perante estímulos visuais. É um sintoma freqüente na meningite, hemorragia subaracnóidea, enxaqueca, etc.
18 Artralgia: Dor em uma articulação.
19 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
20 Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc .
21 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
22 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
23 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
24 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
25 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
26 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
27 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
28 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
29 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
30 Cabeça:
31 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
32 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
33 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
34 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
35 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
36 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
37 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
38 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
39 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
40 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
41 Desinfecção: Eliminação de microorganismos de uma superfície contaminada. Em geral utilizam-se diferentes compostos químicos (álcool, clorexidina), ou lavagem com escovas especiais.
42 Choque: 1. Estado de insuficiência circulatória a nível celular, produzido por hemorragias graves, sepse, reações alérgicas graves, etc. Pode ocasionar lesão celular irreversível se a hipóxia persistir por tempo suficiente. 2. Encontro violento, com impacto ou abalo brusco, entre dois corpos. Colisão ou concussão. 3. Perturbação brusca no equilíbrio mental ou emocional. Abalo psíquico devido a uma causa externa.
43 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Pneumologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.