Atalho: 5G0RUQ7
Gostou do artigo? Compartilhe!

Vasectomia: sete perguntas e respostas sobre o assunto

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Antes de optar por fazer uma vasectomia, o homem deve pensar cuidadosamente sobre quais informações gostaria de obter sobre o assunto. É importante para os casais que pensam nesta possibilidade procurarem orientação antes da realização do procedimento. Quanto mais souberem a respeito, maior a certeza de uma decisão correta e que deve ser considerada como definitiva.

Consultar uma lista de perguntas e respostas que são frequentemente levantadas por outros casais que já viveram esta situação pode ajudar bastante.

Mesmo podendo ser revertida em cerca de 50% dos casos, toda vasectomia deve ser considerada definitiva.

 

O que é vasectomia?

O seu nome técnico é deferentectomia. Basicamente, a vasectomia é um procedimento cirúrgico simples realizado por urologistas ou cirurgiões gerais para tornar um homem estéril. É um método comum de contracepção1, considerado simples, seguro e eficaz.

Consiste na realização de um corte no canal deferente2, tubo que carrega esperma3 do testículo4 para se tornar parte do sêmen5. É feita a secção bilateral de ambos os canais deferentes, utilizando uma via de acesso mínima. Após esta secção, as bordas criadas dos canais são ligadas (amarradas) ou então eletrocauterizadas, para minimizar o risco de recanalização, pois o organismo tentará curar a “lesão”.

Vasectomia

Embora o homem continue a ter relação sexual e ejaculação6 como antes do procedimento, seu sêmen5 não vai ter esperma3. Consequentemente, ele não será mais capaz de engravidar uma mulher.

 

O que é uma vasectomia sem bisturi?

É uma técnica de vasectomia que, diferente do método tradicional, não usa um bisturi na sua realização. Não há incisões7 ou suturas8 (apenas uma ou duas aberturas na pele9) e a cicatrização se dá espontaneamente.

Este método resulta em menos desconforto no pós-operatório, com risco reduzido de sangramentos ou infecções10. Não deixa cicatrizes11 visíveis e é tão efetivo quanto a vasectomia tradicional.

 

Quanto tempo leva para fazer este procedimento?

O procedimento em si leva uns 20 minutos, mas com a consulta médica, a preparação e o preenchimento de papeleta leva-se cerca de uma hora até a conclusão do processo.

Pode haver sensibilidade no local, desconforto e edema12 discretos nos primeiros dois ou três dias, com retorno às atividades rotineiras em cerca de uma semana.

Seguir as instruções médicas cuidadosamente ajuda na recuperação após o procedimento.

 

Qual é a efetividade da vasectomia sem bisturi?

A vasectomia realizada por qualquer técnica reconhecida é um dos métodos contraceptivos mais efetivos. Embora nenhum procedimento seja 100% seguro ou eficaz, há menos de um por cento de falhas. 

Para comparação, em relação à gravidez13, as falhas com o uso de preservativo de látex ficam em torno de 12% e, com o uso de diafragma14, 18%.

Casais que desejam uma forma permanente e confiável de contracepção1 frequentemente escolhem a vasectomia, já que o sucesso fica em torno de 99%.

 

O que acontece com o esperma3?

Como os tubos são bloqueados antes da vesícula seminal15 e da próstata16, o homem continua ejaculando a mesma quantidade de fluido, embora sem esperma3.

Os espermatozóides17 são formados nos testículos18, que se dividem em inúmeros septos, e apresentam canais confluentes. No final destes, os espermatozóides17 atingem o epidídimo19, que tem a função de maturação dos mesmos. Saindo do epidídimo19, os espermatozóides17 entram no canal deferente2, um tubo muscular que os leva até a próstata16 por contrações musculares. A próstata16 também recebe conexões das vesículas seminais20, que têm a função de produzir o plasma seminal21 – uma espécie de sêmen5 sem espermatozóides17. A próstata16 interconecta as duas vias, misturando o plasma seminal21 aos espermatozóides17 e desaguando na uretra22, por onde geralmente são eliminados.

O corpo absorve as células23 espermáticas não usadas normalmente – se você fez ou não uma vasectomia. Depois do procedimento, os testículos18 continuam a produzir esperma3, mas eles não deixam o corpo através do sêmen5. Eles dissolvem-se e são simplesmente e naturalmente absorvidos pelo organismo.

 

Existem riscos de complicações?

Sim. Como em qualquer outro procedimento cirúrgico, pode haver complicações, e você deve perguntar ao seu médico o que deve fazer nesta situação.

Entretanto, qualquer tipo de vasectomia está entre as técnicas cirúrgicas mais seguras e a maioria das complicações, caso haja alguma, é habitualmente fácil de tratar.

As complicações incluem:

  • Dor no local. Esta dor é tratada com sucesso por medicamentos, mas algumas vezes a remoção do epidídimo19 é recomendada.
  • Uma chance de infecção24, sangramento e ferimento passageiros.
  • Formação de granuloma25.
  • Edema12 temporário e acúmulo de líquidos.
  • Em raros casos, o canal deferente2 pode ter uma recanalização espontânea e o homem tornar-se fértil novamente. Isto acontece em menos de 1% dos casos e está relacionado à experiência do cirurgião e à técnica cirúrgica aplicada.
  • Existe uma complicação clássica da vasectomia, chamada Síndrome26 da Dor pós-Vasectomia, que pode ocorrer em 5% a 30% dos casos (dependendo da intensidade da dor), e consiste em dor crônica persistente.

 

O que devo levar em consideração antes de fazer uma vasectomia?

Para ter certeza de que quer mesmo fazer uma vasectomia, esteja certo de que no futuro você não vai querer ser pai novamente. Pense se esta decisão não mudaria depois dos seguintes eventos em sua vida:

  • Se você já é pai, caso um de seus filhos falecesse ou mesmo mais do que um, você gostaria de ter um outro filho?
  • E se você se divorciar e perder a guarda de seus filhos?
  • E se você vier a ter uma nova companheira que deseja ter filhos?
  • Caso sua situação financeira melhore, seu desejo de ter mais filhos pode mudar?
  • Quando seus filhos crescerem, possivelmente vão deixar a sua casa. Você gostaria de ter novas crianças suas por lá?

Você não deve ignorar os efeitos psicológicos da impossibilidade de ter filhos. Pense neles.

A vasectomia não é habitualmente recomendada a homens que consideram guardar seus espermas em um banco de esperma3, caso decidam ter mais filhos futuramente. Converse sobre outros métodos contraceptivos com seu médico, sua parceira e procure muitas informações antes de tomar esta decisão. Tudo deve ser muito bem pensado e planejado.

ABCMED, 2010. Vasectomia: sete perguntas e respostas sobre o assunto. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-do-homem/59834/vasectomia-sete-perguntas-e-respostas-sobre-o-assunto.htm>. Acesso em: 21 jun. 2021.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
2 Canal deferente: Canal deferente ou ducto deferente é um canal muscular que conduz os espermatozóides a partir do epidídimo até a próstata.
3 Esperma: Esperma ou sêmen. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O esperma é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
4 Testículo: A gônada masculina contendo duas partes funcionais Sinônimos: Testículos
5 Sêmen: Sêmen ou esperma. Líquido denso, gelatinoso, branco acinzentado e opaco, que contém espermatozoides e que serve para conduzi-los até o óvulo. O sêmen é o líquido da ejaculação. Ele é composto de plasma seminal e espermatozoides. Este plasma contém nutrientes que alimentam e protegem os espermatozoides.
6 Ejaculação: 1. Ato de ejacular. Expulsão vigorosa; forte derramamento (de líquido); jato. 2. Em fisiologia, emissão de esperma pela uretra no momento do orgasmo. 3. Por extensão de sentido, qualquer emissão. 4. No sentido figurado, fartura de palavras; arrazoado.
7 Incisões: 1. Corte ou golpe com instrumento cortante; talho. 2. Em cirurgia, intervenção cirúrgica em um tecido efetuada com instrumento cortante (bisturi ou bisturi elétrico); incisura.
8 Suturas: 1. Ato ou efeito de suturar. 2. Costura que une ou junta partes de um objeto. 3. Na anatomia geral, é um tipo de articulação fibrosa, em que os ossos são mantidos juntos por várias camadas de tecido conjuntivo denso; comissura (ocorre apenas entre os ossos do crânio). 4. Na anatomia botânica, é uma linha de espessura variável que se forma na região de fusão dos bordos de um carpelo (ou de dois ou mais carpelos concrescentes). 5. Em cirurgia, ato ou efeito de unir os bordos de um corte, uma ferida, uma incisão, com agulha e linha especial, para promover a cicatrização. 6. Na morfologia zoológica, nos insetos, qualquer sulco externo semelhante a uma linha.
9 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
10 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
11 Cicatrizes: Formação de um novo tecido durante o processo de cicatrização de um ferimento.
12 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
13 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
14 Diafragma: 1. Na anatomia geral, é um feixe muscular e tendinoso que separa a cavidade torácica da cavidade abdominal. 2. Qualquer membrana ou placa que divide duas cavidades ou duas partes da mesma cavidade. 3. Em engenharia mecânica, em um veículo automotor, é uma membrana da bomba injetora de combustível. 4. Na física, é qualquer anteparo com um orifício ou fenda, ajustável ou não, que regule o fluxo de uma substância ou de um feixe de radiação. 5. Em ginecologia, é um método contraceptivo formado por uma membrana de material elástico que envolve um anel flexível, usado no fundo da vagina de modo a obstruir o colo do útero. 6. Em um sistema óptico, é uma abertura que controla a seção reta de um feixe luminoso que passa através desta, com a finalidade de regular a intensidade luminosa, reduzir a aberração ou aumentar a profundidade focal.
15 Vesícula seminal: As vesículas seminais são duas bolsas membranosas lobuladas que elaboram um líquido para ser adicionado na secreção dos testículos.Elas secretam um líquido que contém frutose (açúcar monossacarídeo), prostaglandinas e proteínas de coagulação (vitamina C). A natureza alcalina do líquido ajuda a neutralizar o ambiente ácido da uretra masculina e trato genital feminino, que tornaria inativos os espermatozóides.
16 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
17 Espermatozóides: Células reprodutivas masculinas.
18 Testículos: Os testículos são as gônadas sexuais masculinas que produzem as células de fecundação ou espermatozóides. Nos mamíferos ocorrem aos pares e são protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. Têm função de glândula produzindo hormônios masculinos.
19 Epidídimo: O epidídimo é um pequeno ducto, com cerca de seis centímetros de comprimento, enrolado sobre si mesmo, que coleta e armazena os espermatozóides produzidos pelo testículo. Localiza-se atrás do testículo, no saco escrotal, e desemboca na base do ducto deferente, o canal que conduz os espermatozóides até a próstata.
20 Vesículas seminais: Divertículos glandulares em forma de bolsa encontrados em cada ducto deferente em machos vertebrados. Une-se com o ducto ejaculatório e serve como depósito temporário de sêmem.
21 Plasma seminal: Produzido pela vesícula seminal, próstata e glândulas bulbouretrais. Contém componentes orgânicos e inorgânicos, fornece um meio nutritivo e protegido para os espermatozóides até o seu trajeto ao sistema reprodutivo feminino. Aminas básicas como a putrescina, espermina, espermidina e cadaverina são responsáveis pelo cheiro e sabor do sêmen. Essas bases alcalinas neutralizam o ambiente ácido do canal vaginal, protegendo o ADN dentro do esperma da desnaturação ácida.
22 Uretra: É um órgão túbulo-muscular que serve para eliminação da urina.
23 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
24 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
25 Granuloma: Formação composta por tecido de granulação que se encontra em processos infecciosos e outras doenças. É, na maioria das vezes, reacional a algum tipo de agressão (corpo estranho, ferimentos, parasitas, etc.).
26 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Urologia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.

Comentários

07/12/2015 - Comentário feito por Luciano
Fiz a vasectomia no dia 05.11.2015 e concordo c...
Fiz a vasectomia no dia 05.11.2015 e concordo com o Celso. Sempre ouvi que era tranquilo, indolor. Porém é bem incômoda a cirurgia pois sentimos remexer o local. Dá muita agonia. O pós operatório também foi dolorido, com inchaço e dor ao toque. Quanto a cicatrização das incisões foi tranquilo, porém demorou 20 dias para reduzir o inchaço e parar de doer ao toque. Um colega que já tinha realizado a cirurgia perguntou se coloquei gelo no local e se usei a cueca especial, porém não fiz isso pois o cirurgião que fez a minha cirurgia não me prestou essas informações. Mas, apesar de tudo isso, é muito benéfico e poupamos nossas companheiras.

24/10/2015 - Comentário feito por Celso
Fiz a cirurgia dia 22/10/15, a dor da ...
Fiz a cirurgia dia 22/10/15, a dor da anestesia é suportavel, porem dolorida, e tenho certeza que não pegou direito, pois senti muita dor, assim que ele cortou gemi de dor e o medico aplicou mais um poco de anestesia, na hora de cortar e fazer o procedimento para obstruir o canal senti uma dor horrivel que subia ate o estomago, passei o tempo todo sentindo dores a ponto de gemer, unco momento que não senti nada foi na hora de dar os pontos, somente, o restante foi uma experiencia muito ruim e que nao desejo para ninguem passar a dor que passei, o pos operatorio esta doloroso tb faz 3 dias que operei, e a dor nao passa, me arrependi muito, por causa da dor que estou sentindo.

11/10/2015 - Comentário feito por diego
FIZ A CIRURGIA DIA 06/10/2015 - O PROCE...
FIZ A CIRURGIA DIA 06/10/2015 - O PROCEDIMENTO NÃO DUROU MAIS DE 15 MINUTOS, SÓ SENTI A AGULHA DA ANESTESIA, MAIS NADA. SÓ FICOU UM POUCO DOLORIDO NO DIA SEGUINTE, PORQUE É NORMAL DE QUALQUER CIRURGIA, MAS NADA ABSURDO. É UMA GRANDE MENTIRA DE QUEM DIZ QUE É HORRIVEL E DOLOROSO. RECUPERAÇÃO TRANQUILA. TENHO 32 ANOS ESTOU ME RECUPERANDO MUITO BEM E TRANQUILO.

05/10/2015 - Comentário feito por BRUNO
Bom dia. Fiz a cirurgia dia 17/09 o procedi...
Bom dia. Fiz a cirurgia dia 17/09 o procedimento cirúrgico foi tranquilo senti uma dor, porém igual o comentários anteriores dá para suportar. O pós operatório que tem que ter muita atenção, fiquei de repouso e peguei 12 dias de atestado, região muito inchada nos 4 primeiros dias (muito gelo e os medicamentos que o médico passou) e dores até, hoje sinto pequenas dores (como fosse fisgada) e região dolorida. O meu relato é fiz não arrependo e a vida segue normalmente, porém cada organismo reage de um jeito. Agora só esperar um tempo para fazer o espermograma (para ficar tranquilo).
abraço a todos.

02/10/2015 - Comentário feito por Albino
Boa noite! gente e fiz esta cirurgia a 7 anos, ...
Boa noite! gente e fiz esta cirurgia a 7 anos, com exito não tenho do que reclama glorias a Deus, tenho lido relatos aqui...caracas a sustadores. Tempo cirúrgico doze minutos , em relação a vida sexual, gente norma muito bom.

28/09/2015 - Comentário feito por Rodrigo
Boa noite, fiz a cirurgia dia 25/09 e achei...
Boa noite, fiz a cirurgia dia 25/09 e achei muito tranquila, no momento da cirurgia senti um pouco de dor mas nada muito forte. Os médicos dizem que vc não sente nada, mentira, sente sim mas é pouca dor da pra suportar sem problemas. No dia senti bastante incômodo por que doía um pouco ao andar e inchou um pouquinho. Mas no segundo dia já estava melhor e no terceira já fazia tudo normalmente. O médico recomendou que não ficasse andando após a cirurgia, acredito que por isso melhorei bem rápido.
Recomendo a todos, é simples e rápida. Se precisasse faria de novo!

17/09/2015 - Comentário feito por Manuel
Vasectomia
Não é nada como ...
Vasectomia
Não é nada como os medico dizem a operação é dolorosa e os dias seguinte muito incomodo dores e inchaço .
Outros reacções perca de prazer, menos erecção o homem não tem tanto desejo e o pénis perde volume.
O homem perde aquele tesão que tinha, se fazia duas vezes sexo em 24 horas agora não faz
É um erro fazer vasectomia os homem que estejam a pensar fazer pensem não duas vezes mas sim mil vezes.

05/09/2015 - Comentário feito por ag
Boa noite, eu fiz vasectomia há 21 anos. O médi...
Boa noite, eu fiz vasectomia há 21 anos. O médico fez, no mesmo dia fui trab.serviço leve. Não tive dor nenhuma, nem inchaço. Eu recomendo q todos os homens que gostam das suas esposas a fazer e melhor do a mulher tomar remédio. Mas procure um médico de verdade, não aprendiz como os amigos estão reclamando ok aconteceu com eles o fiz se fosse preciso fazer de novo eu faria. Fiz não senti nada, não doeu e o saco nem inchou.

03/09/2015 - Comentário feito por Rafael
Vasectomia, a carnificina do saco.
N&atil...
Vasectomia, a carnificina do saco.
Não é que com 43 anos de experiência eu caí num golpe antigo que é aplicado contra os cidadãos de bem?
O golpe da vasectomia, a cirurgia simples, rápida e segura.
Depois de passar por 3 urologistas e ouvir as mesmas afirmações de todos, resolvi me submeter à cirurgia no último dia 14 de Agosto de 2015.
Todos os médicos foram unânimes em afirmar que era uma cirurgia simples, feita em poucos minutos e que eu já sairia do hospital "batendo asas e voando"! Minha vida sexual melhoraria pois eu e minha esposa nos sentiríamos menos preocupados com uma gravidez não planejada. Três dias depois poderia voltar ao trabalho e a ter relações sexuais. Após uma semana poderia retomar minhas atividades físicas.
Ah sim, antes da cirurgia eu corria 2 vezes por semana, andava de bicicleta 5 e ainda fazia musculação. Tinha uma vida sexual ativa sem problemas.
Enfim, o médico que escolhi me indicou o Hospital São Luiz do Itaim. É um SUS limpo! Desorganizados, atrasaram em 1h30min o início da cirurgia e meu jejum de 8h de comida e água foi para mais de 10h.
Terminada a cirurgia, o médico me deu alta a partir das 21h, mas o hospital também atrasou. Sai quase às 22h.
Chegando em casa fui fazer gelo para que não aparecessem os hematomas, mas eles já tinham aparecido.
Na 2ª feira, dia 17/08, liguei ao médico e relatei os hematomas. Ele pediu que eu fosse ao consultório. Examinou-me, disse que isto não era o esperado. Recomendou-me que mantivesse o suspensório escrotal (que eu usava desde a cirurgia), tomasse um antibiótico e retornasse depois de 1 semana. Os hematomas eram grandes e espessos. Atingiram seu auge na 4ª feira dia 19/08. Liguei ao médico que me disse que não deveria ficar preocupado pois eram hematomas subcutâneos e seriam absorvidos pelo corpo. Realmente foram absorvidos, mas o inchaço e endurecimento da parte superior do testículo só aumentaram.
Retornei ao consultório no dia 24/08 e ouvi do médico que o inchaço e o endurecimento eram consequências do uso do suspensório escrotal (que ele mesmo recomendou usar!). Eu estava com um "edema organizado". Deveria aguardar o corpo absorver e ficar suspenso de quaisquer atividades físicas ou sexuais.
Dia 31/08 retornei novamente ao médico. O inchaço diminuíra, mas o edema, grande e duro em cima do testículo direito persistia. Ele me liberou para retornar às atividades físicas e sexuais; mas de que jeito?
Fiquei 17 dias parado, destroçado psicologicamente por ver as consequências da carnificina que fora feita em meu saco e ainda com um "caroço" enorme em cima do meu testículo. É possível ter vida normal assim?
Me arrependi amargamente. Esta história de que a cirurgia é simples, rápida e segura é uma falácia! Peçam às suas companheiras que tomem anticoncepcional e sejam felizes.

29/08/2015 - Comentário feito por Warley
Fiz a cirurgia no dia 24/08/2015 a 5 di...
Fiz a cirurgia no dia 24/08/2015 a 5 dias e está doendo muito. Meu testículo esquerdo especialmente está muito inchado e dolorido, não posso nem encostar nele que a dor é terrível. Mal consigo ficar em pé. Mal consigo sentar. É uma dor como se estivesse queimando. Estou tomando anti-bióticos e anti-inflamatório, mas até agora nada. estou também colocando gelo e pouco resolve. Meu saco está grande e o pênis muito inchado. Estou muito chateado porque antes da cirurgia eu estava super bem. Depois dela virou um inferno minha vida. Não sei o que fazer, estou muito mal. Fui ao medico e ele disse que isso é normal, e que meu lado esquerdo foi muito explorado, por causa de uma atrofiação que tenho no testículo esquerdo. Estou muito muito preocupado. Tô pensando em comprar argila pra ver se ajuda mais. Me arrependo seriamente...

  • Entrar
  • Receber conteúdos