Atalho: 5F5AMJC
Gostou do artigo? Compartilhe!

Ovulação: o fenômeno da arborização pode ajudar a saber o dia da ovulação por um método natural alternativo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

O que é o ciclo menstrual?

O ciclo menstrual é constituído por variações hormonais que geram mudanças no organismo feminino. Ele começa no primeiro dia da menstruação1 (primeiro dia de sangramento) e vai até o dia anterior ao começo da próxima menstruação1. Esta dinâmica nos hormônios sexuais causa mudanças cíclicas e repetidas no corpo.

Podemos nos concentrar nas características biológicas influenciadas por alterações hormonais para determinar a fase do ciclo menstrual feminino (fase fértil e fase infértil).

 

Quando é o período fértil?

Os protocolos médicos tradicionais mostram que o ciclo menstrual feminino dura comumente cerca de 28 dias. Podendo ser mais longo ou mais curto. Em manuais de planejamento familiar por métodos contraceptivos naturais os ciclos variam de 21 a 35 dias e são considerados normais tendo estes intervalos de tempo.

Baseado na duração de cada ciclo, aproximadamente em torno da metade do ciclo (o que acontece entre 13-15 dias – no caso de ciclos de 28 dias, em 10-12 dias no caso de ciclos de 21 dias e 17-19 dias nos casos de ciclos de 35 dias de duração) a ovulação2 acontece. Um folículo3 maduro no ovário4 solta um óvulo5 que inicia seu caminho pelas trompas de Falópio até o útero6. Caso este óvulo5 seja fecundado por um espermatozoide7, a mulher fica grávida.

Usualmente o período fértil dura de 4 a 7 dias com um pico de 1-2 dias. No entanto, numerosos fatores ambientais e do organismo feminino influenciam cada mulher individualmente e podem causar irregularidades menstruais.

Uma vez que esta fase fértil é o único período fértil da mulher, seu reconhecimento é importante tanto para uma concepção8 desejada, quanto para ajudar na contracepção9.

 

Como saber o período fértil de um ciclo menstrual?

Os ciclos menstruais podem ser muito irregulares e o período fértil pode variar bastante. Existem também os ciclos anovulatórios, ou seja, aqueles nos quais a ovulação2 não ocorre por uma série de motivos diferentes.

O cálculo10 do período fértil baseado em calendário (tabelinha) às vezes é muito impreciso, principalmente se uma mulher tem ciclos irregulares. Consequentemente, métodos científicos baseados em fenômenos biológico-hormonais podem ser usados. Eles não garantem 100% de certeza, mas são um caminho alternativo para observar o período fértil de uma mulher.

Este método biológico-hormonal maximiza a possibilidade de uma concepção8 ou, em caso de evitar uma gravidez11, minimiza esta possibilidade. A abstinência sexual ou o uso de dispositivos contraceptivos como o condom masculino durante o período fértil diminui significativamente a possibilidade de concepção8.

Monitorar as mudanças biológicas no corpo feminino ajuda a predizer os períodos férteis e inférteis do ciclo menstrual. O gráfico de temperatura corporal é o método mais frequentemente usado. Durante a primeira fase do ciclo menstrual, a temperatura basal é mais baixa e logo seguindo a ovulação2 esta temperatura tem um aumento discreto, mas que se mantém até o final do ciclo. Este método requer uma exatidão especial e os resultados são influenciados por vários fatores como o estado de saúde12 geral e o momento em que a temperatura é medida. Frequentemente os resultados não justificam as expectativas.  

Os testes que determinam os picos dos níveis de estrogênio são mais razoáveis e exatos. Antes da ovulação2, junto com o aumento nos níveis de estrogênio no organismo feminino, os fluidos corporais (saliva, urina13, etc.) mostram um significativo aumento de minerais. A possibilidade de identificar este aumento nos minerais usando um microscópio é um dos métodos alternativos para predizer o momento da ovulação2.

 

Como é o método da arborização?

A estrutura da saliva seca ou de uma amostra do muco cervical (vista em microscópio com ampliação de 100 vezes) colhida durante o período fértil, assemelha-se às folhas de uma samambaia (este fenômeno é conhecido como efeito de arborização). Este fenômeno ocorre pois os cristais dos minerais presentes na saliva ou no muco cervical no período fértil agrupam-se em forma de folhas de samambaia e podem ser visualizados ao microscópio. Ele começa a acontecer 3 ou 4 dias antes da ovulação2 e desaparece 1 ou 2 dias após a ovulação2.

Durante as outras fases do ciclo menstrual, apenas cristais caóticos sob a forma de areia ou grãos são observados ao microscópio. Este fenômeno natural é conhecido de pesquisadores e médicos há muito tempo, mas apenas com a introdução dos mini-microscópios ele pôde ser amplamente utilizado. Hoje em dia, toda mulher em qualquer lugar e a qualquer hora pode testar em que fase do ciclo se encontra. A saliva é um fluido corporal facilmente acessível.

 

O que é preciso para utilizar este método?

É necessário adquirir um microscópio com lentes objetivas que proporcionem um aumento de 100 vezes. Um microscópio simples com 3 objetivas rotativas que permite ampliações de 100, 200 ou 300 vezes já é o suficiente. A melhor ampliação para visualizar as alterações na saliva é a de 100 vezes. Este microscópio vai ajudar na visualização do fenômeno da arborização (forma de folhas de samambaia) para saber o período fértil de uma mulher.

Para aprender a olhar as diferenças nos cristais e saber o que são grãos e o que são folhas de samambaia, é recomendável que o material seja colhido durante pelo menos uns 3 ciclos menstruais diariamente e observado ao microscópio, de preferência no mesmo horário.

Depois que a pessoa aprender a ver estas diferenças, este método pode ser usado como um auxílio para facilitar a concepção8 ou evitá-la.

 

Como deve ser a coleta da saliva?

O melhor horário é pela manhã em jejum, antes de escovar os dentes.  Ou duas horas após a alimentação, escovação dentária ou fumo.

Colher a saliva embaixo da língua14, onde está localizada a maioria das glândulas salivares15. Colocar uma gota16 de saliva sobre a lâmina do microscópio. Em um intervalo de 15 a 20 minutos a saliva seca, o que é suficiente para ocorrer a cristalização dos minerais. Uma pequena quantidade de saliva é suficiente para facilitar a visualização e agilizar o processo. Idealmente uma amostra sem formação de bolhas deve ser observada.

 

Qual é a exatidão do método? O que devo levar em consideração?

Lembre-se, não há 100% de certeza, pode haver erros.

O método não evita gravidez11 indesejada, não assegura que uma gravidez11 irá ocorrer, nem evita doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Ele é um método auxiliar para que as mulheres possam pesquisar o período fértil de seu ciclo menstrual.

Um médico deve ser consultado para melhor orientação sobre métodos contraceptivos, planejamento familiar e prevenção de doenças venéreas, também conhecidas como DSTs.

ABCMED, 2010. Ovulação: o fenômeno da arborização pode ajudar a saber o dia da ovulação por um método natural alternativo. Disponível em: <https://www.abc.med.br/p/saude-da-mulher/59369/ovulacao-o-fenomeno-da-arborizacao-pode-ajudar-a-saber-o-dia-da-ovulacao-por-um-metodo-natural-alternativo.htm>. Acesso em: 17 jun. 2019.
Nota ao leitor:
As notas acima são dirigidas principalmente aos leigos em medicina e têm por objetivo destacar os aspectos mais relevantes desse assunto e não visam substituir as orientações do médico, que devem ser tidas como superiores a elas. Sendo assim, elas não devem ser utilizadas para autodiagnóstico ou automedicação nem para subsidiar trabalhos que requeiram rigor científico.

Complementos

1 Menstruação: Sangramento cíclico através da vagina, que é produzido após um ciclo ovulatório normal e que corresponde à perda da camada mais superficial do endométrio uterino.
2 Ovulação: Ovocitação, oocitação ou ovulação nos seres humanos, bem como na maioria dos mamíferos, é o processo que libera o ovócito II em metáfase II do ovário. (Em outras espécies em vez desta célula é liberado o óvulo.) Nos dias anteriores à ovocitação, o folículo secundário cresce rapidamente, sob a influência do FSH e do LH. Ao mesmo tempo que há o desenvolvimento final do folículo, há um aumento abrupto de LH, fazendo com que o ovócito I no seu interior complete a meiose I, e o folículo passe ao estágio de pré-ovocitação. A meiose II também é iniciada, mas é interrompida em metáfase II aproximadamente 3 horas antes da ovocitação, caracterizando a formação do ovócito II. A elevada concentração de LH provoca a digestão das fibras colágenas em torno do folículo, e os níveis mais altos de prostaglandinas causam contrações na parede ovariana, que provocam a extrusão do ovócito II.
3 Folículo: 1. Bolsa, cavidade em forma de saco. 2. Fruto simples, seco e unicarpelar, cuja deiscência se dá pela sutura que pode conter uma ou mais sementes (Ex.: fruto da magnólia).
4 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
5 Óvulo: Célula germinativa feminina (haplóide e madura) expelida pelo OVÁRIO durante a OVULAÇÃO.
6 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
7 Espermatozóide: Célula reprodutiva masculina.
8 Concepção: O início da gravidez.
9 Contracepção: Qualquer processo que evite a fertilização do óvulo ou a implantação do ovo. Os métodos de contracepção podem ser classificados de acordo com o seu objetivo em barreiras mecânicas ou químicas, impeditivas de nidação e contracepção hormonal.
10 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
11 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
12 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
13 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
14 Língua:
15 Glândulas salivares: As glândulas salivares localizam-se no interior e em torno da cavidade bucal tendo como objetivo principal a produção e a secreção da saliva. São elas: parótidas, submandibulares, sublinguais e várias glândulas salivares menores.
16 Gota: 1. Distúrbio metabólico produzido pelo aumento na concentração de ácido úrico no sangue. Manifesta-se pela formação de cálculos renais, inflamação articular e depósito de cristais de ácido úrico no tecido celular subcutâneo. A inflamação articular é muito dolorosa e ataca em crises. 2. Pingo de qualquer líquido.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Tem alguma dúvida sobre Ginecologia e Obstetrícia?

Pergunte diretamente a um especialista

Sua pergunta será enviada aos especialistas do CatalogoMed, veja as dúvidas já respondidas.